PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    maio 2012
    D S T Q Q S S
    « abr   jun »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  

Archive for 3 de maio de 2012

Além do marketing e do proselitismo

Posted by HWBlog em 03/05/2012

O desafio de reverter as mudanças climáticas, proteger o ambiente, garantir a produção de alimentos e o fornecimento de energia para mover o mundo e a economia exige atitudes cada vez mais responsáveis das empresas de todos os setores. Assim, tem cada vez mais valor e reconhecimento as organizações que primam pela produção limpa, racionalização do uso de água e eletricidade, conscientização de seus recursos humanos para uma postura cidadã perante o Planeta e a sociedade e outras práticas inerentes ao conceito de sustentabilidade.

Considerada a importância desse comportamento corporativo, é lícito e justo que as empresas que se pautam por conduta política, social e ecologicamente correta incorporem suas ações nesse campo às suas estratégias de marketing e comunicação institucional. Trata-se de uma iniciativa útil para todos, inclusive no sentido de estimular a multiplicação de projetos sustentáveis. Por outro lado, é condenável fazer o discurso e investir em propaganda quando não se tem algo concreto. Retórica não despolui, não sequestra carbono da atmosfera e, o que é mais grave, não convence todos durante todo o tempo.

O recado ficou muito claro no pronunciamento do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, durante o recente “‘KPMG Summit: Business Perspective for Sustainable Growth”, evento realizado em Nova York (EUA). Na ocasião, o líder internacional estimulou o universo corporativo a abraçar o princípio da sustentabilidade, dizendo que, com a maioria dos ecossistemas em declínio, a profunda desigualdade social e as mudanças climáticas, a prosperidade e a estabilidade global estão em risco.

Observando que “a sustentabilidade precisa ser incorporada ao DNA da cultura dos negócios e investimentos”, Ban elogiou a adesão de quase sete mil empresas, em 140 países, ao Pacto Global, iniciativa das Nações Unidas para estimular práticas responsáveis. Porém, criticou o fato de muitas companhias limitarem seus esforços de sustentabilidade a programas que nunca decolam e/ou a meras estratégias de relações públicas.

A relevância do tema e o imperativo de ampliar o número de organizações efetivamente responsáveis ante o Planeta e o futuro conferem significado ímpar ao Fórum de Sustentabilidade Corporativa, que será realizado no âmbito da Rio+20, que acontece no próximo mês de junho, na capital fluminense. Será uma ótima oportunidade de as empresas engajarem-se de modo definitivo e mais pleno nos pressupostos contidos nos três pilares do importante evento da ONU: o econômico, o social e o ambiental.

Quanto mais o tema sair do plano dos discursos e se converter em ação prática de governos, empresas e cidadãos, melhores condições terá o mundo, não só em termos de qualidade de vida, mas também nas reversões das crises. Afinal, será cada vez mais difícil garantir o crescimento econômico em meio a um ambiente devastado, multidões de miseráveis e recursos naturais esgotados. Cabe a cada um de nós — pessoas físicas e jurídicas — fazer a sua parte para impedir tal amanhã. Constrói-se o futuro com poucas e sábias palavras e muita ação!

Pedro Melo: Author

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

In addition to marketing and proselytizing
The challenge of reversing climate change, protect the environment, ensure food production and supply of energy to move the world economy and attitudes requires increasingly responsible companies from all sectors. Thus, it has more value and recognize organizations that strive for clean production, rational use of water and electricity, awareness of its human resources to a citizen attitude towards society and the planet and other practices inherent in the concept of sustainability.
Given the importance of corporate behavior, it is reasonable and fair that companies are governed by political behavior, social and eco-friendly incorporating their actions in this field to their marketing strategies and institutional communication. This is a useful initiative for everyone, including the effect of stimulating the proliferation of sustainable projects. On the other hand, it is wrong to make the speech and invest in advertising when you do not have anything concrete. Rhetoric does not despolui not sequester carbon from the atmosphere and, what is worse, does not convince everyone all the time.
The message was very clear in the statement of the Secretary-General Ban Ki-moon during the recent “‘KPMG Summit: Business Perspective for Sustainable Growth” event in New York (USA). On occasion, the international leader encouraged the corporate world to embrace the principle of sustainability, saying that with the majority of ecosystems in decline, the deep social inequality and climate change, global prosperity and stability are at risk.
Noting that “sustainability must be incorporated into the DNA of the culture of business and investment”, Ban praised the membership of almost seven thousand companies in 140 countries, the Global Compact, a United Nations initiative to encourage responsible practices. However, he criticized the fact that many companies limit their sustainability efforts to programs that never take off and / or mere public relations strategies.
The relevance of the issue and the need to increase the number of organizations actually responsible to the planet and the future give meaning to the unique Corporate Sustainability Forum to be held in the Rio +20, held next June in Rio de Janeiro. It will be a great opportunity for companies to engage in a definitive and fullest on the assumptions contained in the three pillars of UN major event: the economic, social and environmental.
The more the theme of the speeches out of the plane and turn into practical action by governments, companies and citizens will better the world, not only in terms of quality of life, but also in the reversal of the crisis. After all, it will be increasingly difficult to ensure economic growth amid a ravaged environment, crowds of miserable and depleted natural resources. Each one of us – individuals and corporations – do your part to prevent such tomorrow. It builds the future with a few wise words and lots of action!

Posted in Artigos | Leave a Comment »

Qual o diferencial dos melhores

Posted by HWBlog em 03/05/2012

Para alcançar o sucesso, é importante observarmos pessoas e empresas que se destacam em suas áreas de atuação, saber o que elas fazem diferente das demais para alcançar resultados superiores.

Através de uma pesquisa realizada com pessoas e empresas que possuem características dos vencedores, percebemos que essas pessoas possuem três características que se destacam em sua maneira de agir:

1) A primeira característica é que são objetivas, simples e claras na sua comunicação. Isso é fundamental em negociações para chegar a acordos satisfatórios para todas as partes.

2) A segunda característica é que conhecem muito bem o sistema e os critérios com que trabalham. Devem ter bem claras quais são as metas e objetivos e as formas que serão usadas para que sejam alcançados.

3) E a terceira característica é que conhecem bem as características de seus clientes, possuem intimidade com eles a ponto de virarem seus confidentes.

Além de saber o que se deve fazer, é importante saber o que não se deve fazer:

1) A primeira atitude que não se deve ter é que chamamos de “ser cabeça fraca”, isso acontece com a pessoa que recebe uma orientação e entende como uma reclamação. É importante entender que orientações devem ser muito bem-vindas, pois ajudam a se manter no caminho.

2) A segunda atitude que não se deve ter é o que chamamos de “ser amarelão”, que acontece quando a pessoa de fato recebe uma crítica e se abala emocionalmente, levando para o lado pessoal. Críticas devem ser avaliadas, compreendidas e usadas para melhorar a forma de agir.

3) A terceira coisa que não faz parte das características dos vencedores é reclamar do método, é o que acontece com a pessoa que culpa o método por suas falhas. Os vencedores usam os recursos disponíveis a seu favor, sabendo contornar as dificuldades.

É importante também aos vencedores que tenham um posicionamento mental, um propósito claro. Além disso, devem perceber seu “mini max”, que é defender seus pontos fortes e esconder seus pontos fracos, pois o que pode acontecer é que, ao focar em seus pontos fracos, a pessoa deixe isso influenciar seus atos, diminuindo sua autoestima.

Já nas empresas vencedoras, observamos pelo menos três características:

1) A primeira delas é que seus colaboradores amam trabalhar na empresa, elas lutam por uma causa, a causa da empresa.

2) A segunda é que se preocupam com todos os momentos de conexão com os clientes, procurando sempre superar a expectativa. Podemos chamar isso de insatisfação com a satisfação do cliente.

3) A terceira característica é o controle dos custos, sempre buscando melhores resultados e, claro, conhecendo bem seu concorrente para saber explorar suas fraquezas.

Essas são algumas atitudes que devemos perceber em nossa rotina diária para avaliarmos o que devemos desenvolver para chegarmos ao ponto que queremos.

Haroldo Wittitz: Author, Editor and Publisher

What is the differential of the best
To achieve success, it is important to observe people and companies who excel in their fields, know what they do differently from others to achieve superior results.
Through a survey of individuals and companies that have characteristics of the winners, we realize that these people have three characteristics that stand out in their ways:
1) The first characteristic is that they are objective, simple and clear in your communication. This is critical in negotiations to reach agreements satisfactory to all parties.
2) The second feature that is very knowledgeable about the system and the criteria with which they work. They must have very clear what are the goals and objectives and forms that are used to being achieved.
3) The third feature is that you know well the characteristics of their customers, they have intimacy with the turning point of his confidants.
Besides knowing what to do, it is important to know what not to do:
1) The first thing you should not have is what we call “being weak head,” it happens to the person who receives an orientation and meant as a complaint. It is important to understand that guidelines should be very welcome as they help to keep them on track.
2) The second attitude that one should not have is what we call “being yellowing” that happens when the person actually receives a critical and emotionally shaken up, taking it personally. Reviews should be evaluated, understood and used to improve the way you act.
3) The third thing that is not part of the characteristics of the winners is the method claim, is what happens to the person who blames the method for their failures. The winners will use the resources available to them, knowing overcome the difficulties.
It is also important to the winners who have a mental position, a clear purpose. Furthermore, they should realize their “mini max”, which is to defend your strengths and hide your weaknesses, because that can happen is that by focusing on their weaknesses, the person let it influence his actions, lowering their self-esteem.
Have the winning companies, we observed at least three characteristics:
1) The first is that your employees love working at the company, they are fighting for a cause, the cause of the company.
2) The second is concerned with all the moments of connection with customers, trying to always exceed expectations. We may call this dissatisfaction with customer satisfaction.
3) The third feature is the control of costs, always looking for better results and, of course, knowing your competitor to know how to exploit their weaknesses.
These are some attitudes that we see in our daily routine to evaluate what we should develop to reach the point we want.

Posted in Carreira, Comportamento | Leave a Comment »

Conhece o SojaBook? É a versão rural do Facebook

Posted by HWBlog em 03/05/2012

Numa era em que pipocam versões de redes sociais especializadas nisso nou naquilo, um argentino foi oirginal. Criou o SojaBook,, que, como o próprio nome denuncia, pega carona na maior rede social do mundo para estabelecer conexões entre interessados no mercado agrícola.

A versão rural do Facebook foi idealizada pelo administrador de empresas Mariano Torrubiano, 35. “Oi, eu tenho vontade de começar a criar frangos. Alguém poderia me dar alguns conselhos?”, pergunta um agricultor de 50 anos cadastrado no sistema. Este é o público que faz o negócio andar.

Segundo aponta mais de 10 mil pessoas acessam o SojaBook, dos quais 15% são brasileiros. A rede social existe há quatro meses, com versão em espanhol, e ganha divulgação no esquema “boca a boca”. Uruguaios, chilenos, colombianos e até chineses e indianos compõem o time.

“As pessoas se sentem muito à vontade porque são todos produtores, pessoas do campo que dividem ali [no site] as mesmas inquietudes, problemas e trocam soluções”, disse Torrubiano.

O argentino conta que a teve a ideia enquanto estava em uma feira agrícola em seu país. Ao ver um operador acessando o Facebook por meio de um notebook, pensou na necessidade de criar algo exclusivo sobre o tema. O administrador de empresas pensa em firmar seu negócio como a primeira rede social de agricultores da América do Sul.

Tende a ganhar dinheiro. Só no Brasil, a feira Agrishow, realizada em Ribeirão Preto, pretende movimentar R$ 2 bilhões este ano.

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

SojaBook knows? It is the rural version of Facebook
In an era in which pop up versions of social networks specialized in what it nou, was an Argentine original.  SojaBook, created, which, as its name hints, piggybacks on the world’s largest social network to establish connections between stakeholders in the agricultural market.
The rural version of Facebook was conceived by businessman Mariano Torrubiano, 35. “Hi, I’ve been wanting to start keeping chickens. Could anyone give me some advice,” asks a farmer of 50 years registered in the system. This is the public doing business floor.
According points more than 10 000 people access the SojaBook, 15% of whom are Brazilian. The social network has existed for four months, with the Spanish version, and win the disclosure scheme “word of mouth.” Uruguayans, Chileans, Colombians and even Chinese and Indians make up the team.
“People feel very comfortable because they are all farmers, rural people who share there [the site] the same concerns, problems and exchange solutions,” said Torrubiano.
The fact that the Argentine had the idea while in an agricultural fair in your country. Seeing an operator accessing Facebook through a notebook, he thought the need to create something unique on the subject. The businessman thinks establish your business as the first social network of farmers in South America
Tends to make money. In Brazil alone, the fair Agrishow held in Ribeirao Preto, intends to move $ 2 billion this year.

Posted in Internet, Tecnologias | Leave a Comment »