PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    novembro 2014
    D S T Q Q S S
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  

Archive for novembro \07\UTC 2014

Como identificar uma pessoa que desmotiva a equipe

Posted by HWBlog em 07/11/2014

conselhosOs desmotivadores invariavelmente são reclamões e não oferecem sugestões de como resolver as demandas. Têm o perfil de observar a porção vazia do copo e podem ser encontrados em qualquer tipo de empresa.

Apresentam comportamento agressivo quando são contrapostos e até mesmo evitam a convivência em clima amistoso. Preferem conflitos e fofocas como forma de diálogo com seus pares.

O excesso de justificativas faz parte do discurso de pessoas desmotivadoras, pois encontram sempre uma boa desculpa e raramente alguma solução coerente.

Comprometimento é uma palavra que não consta no dicionário dos desmotivadores, pois têm uma postura apática diante de cada proposta ou projeto. Têm atitude pessimista, mas são insistentes em seu ponto de vista e mostram argumentos irreais.

Sua indisciplina contribui para influenciar de forma negativa o ambiente da empresa e os colegas de trabalho, pois geram resultados negativos e assim, fortalecem seus argumentos afirmando que “dará errado mesmo”, e finalizam com a frase ”não falei?”.

Não sabem ouvir e/ou interrompem a fala dos colegas, sempre com colocações desnecessárias e inoportunas, e desrespeitando o ponto de vista da chefia e mesmo dos colegas, na tentativa de descredenciá-los.

São egoístas e de forma individualista, estão preocupados em tirarem vantagem de tudo, ou mesmo em prejudicar a evolução dos outros.

A convivência geralmente é complicada, pois em muitos casos são carentes e precisam de auditório e plateia, pessoas que lhe deem atenção.

Posted in Motivação | Leave a Comment »

Dicas para falar melhor em público

Posted by HWBlog em 04/11/2014

falar melhorRecente pesquisa realizada pela Fuqua School of Business, da Duke University, nos EUA, sugere que presidentes de grandes empresas com vozes mais graves estão mais propensos a ter sucesso. Foram comparados a remuneração anual, o tamanho da empresa e a estabilidade no cargo ao potencial da voz de 792 CEOs do mercado norte-americano. “A boa notícia é saber que a voz, o estado emocional e a postura corporal podem ser lapidados para que se tenha mais segurança e convicção no discurso”, avalia a diretora executiva do Instituto de Neurolinguística Aplicada (INAp), Maíra Larangeira, do Rio de Janeiro.

De acordo com a especialista, para entender essa pesquisa, deve-se analisar quais competências fazem um bom CEO, e quais atitudes ele precisa ter para manter o sucesso profissional. “Sabemos que os estados emocionais são contagiantes, então, seja na frente de uma empresa ou comandando uma reunião, é possível assumir a postura de “meteorologista” da equipe e gerar o clima mais bem adequado”, completa o diretor do INAp e palestrante internacional Jairo Mancilha. Maíra informa que isso pode ser explicado por intermédio dos neurônios espelho, que fazem com que as pessoas se conectem com as que estão ao redor, inconscientemente espelhando e reproduzindo o comportamento delas. Neste caso, um executivo capaz de passar segurança e certeza de suas decisões pelo seu tom de voz repercute essa sensação em seus liderados, gerando confiança nas palavras dele porque “ele sabe o que está fazendo”. “Mesmo que isso não seja verdade, inconscientemente é o que acontece”, relata a especialista.

Por outro lado, a voz pode prejudicar a trajetória de um profissional ou retardar seu sucesso. Um bom exemplo dessa possibilidade de interferência negativa é o de Margaret Thatcher. O filme biográfico “A Dama de Ferro” (2011) mostra outros parlamentares em sessão da Câmara dos Comuns ridicularizando-a por ter uma entonação muito estridente, e chegam a dizer: “se a senhora não gritasse tanto seria mais fácil compreendê-la”. Thatcher, então, despendeu enorme tempo e esforço para alterar seu timbre.

A voz precisa ser bem trabalhada para a mensagem ser eficaz. Subir o tom ao final da fala, por exemplo, gera uma tonalidade de fala percebida como acessível. “Isso faz com que o ouvinte interprete que você está querendo obter informações, fazer uma pergunta. Já a entonação baixa no final da frase gera confiabilidade e a percepção do ouvinte é que você está enviando informações, sendo recebido como uma afirmação ou uma ordem”, pontua Maíra Larangeira. E mais: manter a cabeça parada faz com que a voz permaneça em um nível constante.

Confira abaixo as quatro dicas da especialista para desenvolver a arte de comunicar com confiança:

1 – Como a programação neurolinguística apregoa a prática, experimente ficar de pé com os braços levantados por vinte segundos. Perceba como ficará mais confiante e seguro. É que essa postura aumenta o nível de testosterona no sangue. Aplique isso na sua próxima reunião.

2 – Para gerar mais credibilidade, além de baixar o tom no final da frase, faça breves pausas usando sempre a respiração abdominal.

3 – Mantenha o corpo parado e, em particular, a cabeça, uma vez que durante a fala gesticulamos com as mãos. Os gestos também devem ser congelados na pausa para criar maior impacto, pois assim você prende a atenção do ouvinte.

4 – Se você é um CEO, pode se aperfeiçoar para ser visto como um líder carismático. Assista novamente o discurso de Martin Luther King Jr, e observe como ele fez uso da pausa depois de dizer “I have a dream” (eu tenho um sonho) e o impacto que isso causou em quem ouve o discurso. Pratique! Tudo isso tem a ver com congruência.

Posted in Comunicação | Leave a Comment »