PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    janeiro 2016
    D S T Q Q S S
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  

Archive for janeiro \20\UTC 2016

Truques mentais para você se dar bem profissionalmente

Posted by HWBlog em 20/01/2016

emotional-intelligenceInformações das mais diversas áreas podem ser relevantes para o seu crescimento profissional. Analisar e interpretar o comportamento dos colegas de trabalho pode trazer grandes benefícios na tomada de decisão e nos relacionamentos cotidianos. Travis Bradberry, coautor do best-seller Emotional Intelligence 2.0 (numa tradução livre Inteligência Emocional 2.0), descreveu em artigo à Inc. alguns truques que podem te ajudar nessa tarefa. Ele mostra como certos sinais do inconsciente alheio são úteis para captar mensagens muitas vezes não ditas. Confira: 

1. Quando um grupo começa a rir, cada indivíduo olha para a pessoa da qual se sente mais próximo
Seja observador e entenda os relacionamentos de todos ao seu redor com o auxílio deste sinal. Também observe de quem você se sente mais próximo.

2. Quem lhe faz um favor acabará gostando mais de você por isso
Ao te ajudar, as pessoas irão, subconscientemente, justificar o porquê de estarem fazendo aquilo. Elas encontrarão justificativas como: “farei este favor porque gosto dele / ele é meu amigo / ele faria isto por mim”.

3. O silêncio gera respostas
Ao fazer uma pergunta e a pessoa demorar para responder, resista ao impulso de avançar com a conversa e permaneça em silêncio. Dessa forma, o outro sentirá a necessidade de prover uma resposta. Esta dica pode ser eficaz durante uma negociação.

4. Sinalizar com as mãos abertas gera confiança
Evite apontar para algo, faça indicações com a mão aberta de forma amigável. Apontar pode ser visto como um gesto agressivo e antipático, enquanto um gesto com a mão espalmada traduz confiança.

5. Acenar positivamente com a cabeça durante uma conversa ou ao fazer uma pergunta ajudará a convencer a outra pessoa a concordar com o que você disse
Experimente este truque para estimular outra pessoa a concordar com o que você está dizendo. As pessoas costumam, inconscientemente, espelhar seus movimentos e, ao acenar positivamente durante a conversa, você indica que está falando algo verdadeiro e interessante.

6. Caso você decida mentir para alguém, adicione detalhes embaraçosos à história
Este truque auxiliará a formar uma imagem nítida na mente das pessoas e os detalhes embaraçosos tornarão a história mais crível. Isso porque deduz-se que, em uma mentira, você contaria fatos para melhorar sua imagem e não para denegri-la.

7. Pessoas tendem a se lembrar melhor de tarefas incompletas
É uma tendência natural do cérebro conhecida como o efeito Zeigarnik. O ser humano apresenta esta tendência pelo desejo em completar a tarefa não terminada. Quando uma música fica presa em sua cabeça, tente cantar o final dela e logo ela sairá de sua mente.

8. Mascar chiclete ajuda a relaxar e manter o foco
Mascar chiclete melhora a circulação de sangue no cérebro e reduz os níveis de cortisol no corpo, o hormônio responsável pelo estresse, melhorando o desempenho de sua memória e te mantendo mais alerta. 

9. A posição dos pés pode indicar o interesse do indivíduo em uma conversa
Pés apontados para você durante uma conversa demonstram que a pessoa está interessada e ouvindo o que você está dizendo. Por outro lado, pés apontados para outras direções indicam que a pessoa está distraída e te ignorando.

10. Ao ser apresentado a alguém, repita o nome da pessoa para memorizá-lo mais facilmente
Esta dica ajudará você a se lembrar do nome daquela pessoa. Introduza pelo menos 3 vezes o nome dela de forma natural para evitar constrangimentos.

11. Demonstrar entusiasmo faz com que as pessoas gostem mais de você
Retomando a ideia de espelhamento do comportamento, você deve mostrar empolgação ao encontrar alguém para causar uma boa primeira impressão. O seu entusiamo será refletido de volta para você.

12.  Mantenha contato visual durante 60% de uma conversa
Encarar durante a conversa inteira é visto como agressivo e deselegante, enquanto que manter contato visual limitado demonstra desinteresse ou acanhamento. O equilíbrio é a chave para você parecer interessado, amigável e confiável.

Posted in Comportamento | 1 Comment »

Respostas para entender o Simples Nacional

Posted by HWBlog em 19/01/2016

3d blind human with balance in her hand

Para quem está começando uma pequena empresa, o regime costuma ser a melhor opção para pagar uma alíquota única de imposto. Mas, antes de escolher, é preciso avaliar se seu negócio pode fazer parte do Simples e se é, de fato, mais vantajoso.

Para ajudar nesta tarefa, uma lista de perguntas com respostas sobre o modelo, respondidas pela Receita Federal;

1. Quais impostos estão inclusos no Simples?

Em uma mesma alíquota, o empreendedor já recolhe os seguintes tributos: Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), Contribuição para o PIS/Pasep, Contribuição Patronal Previdenciária (CPP), Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) e Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

2. Qual o limite de receita bruta para estar Simples Nacional?

Para estar no Simples, as empresas podem ter receita de R$ 3,6 milhões no mercado interno e mais R$ 3,6 milhões em exportações. O valor, no entanto, é proporcional aos meses de adesão. Se você começou a  empresa em 2015 e quer optar pelo Simples neste ano, precisa se atentar à regra.

Por exemplo, uma empresa aberta em maio pode ter faturamento limite proporcional de R$ 2,4 milhões em 2015 para poder entrar no regime. O mesmo vale se você faz a opção no abertura da empresa: um negócio aberto em setembro, já no Simples, pode ter faturamento limite de R$ 1,2 milhão naquele ano para não ser excluído.

3. Quem não pode fazer parte do Simples Nacional?

Existem várias situações que excluem empresas do sistema. A principal é ultrapassar o valor limite de faturamento de R$ 3,6 milhões. Ficam de fora ainda empresas que tenham outra pessoa jurídica no comando, filiais ou sucursais de empresas com sede no exterior, cooperativas, sociedade por ações, empresas com sócios que morem no exterior, negócios em débito com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou com as Fazendas Públicas Federal, Estadual ou Municipal.

A exclusão vale ainda para alguns setores, como bancos e instituições financeiras, serviço de transporte, energia elétrica, carros e motos, importadora de combustíveis, cigarro e bebidas e incorporação de imóveis. Por isso, antes de fazer sua escolha, converse com o contador se a empresa cumpre todos os requisitos.

4. Como fazer a opção pelo Simples Nacional?

A opção pelo Simples Nacional é feita na internet, por meio do  Portal do Simples Nacional ( em Simples Serviços > Opção > Solicitação de Opção pelo Simples Nacional) e vale para todo o ano. Em 2016, a opção pelo Simples pode ser feita até 29 de janeiro.

5. Como acessar os serviços do Simples Nacional?

O acesso aos serviços do Simples Nacional pelo site exige código de acesso ou certificado digital.

6. É possível solicitar o cancelamento do Simples?

É possível cancelar o pedido de inclusão no Simples enquanto ele estiver “em análise”. Depois de aprovado, o pedido vale por todo o ano e só pode ser modificado no ano seguinte.

7. Tenho débitos do Simples Nacional. O que fazer?

É possível parcelar os débitos do Simples Nacional. Em 2015, a Receita Federal notificou 400 mil pequenas empresas para regularizarem suas dívidas. O empreendedor tem até o último dia de adesão ao Simples para os pagamentos. Quem não quitar ou parcelar seus débitos poderá ser excluído.

8. Ultrapassei o limite de faturamento. E agora?

Esta é uma das ocasiões em que a empresa é excluída do Simples. Ao ultrapassar um faturamento bruto anual de R$ 3,6 milhões, o negócio deixa de ser parte do regime. O ideal é fazer o pedido de exclusão antes mesmo de estourar o limite. O contribuinte pode confirmar a exclusão acessando o serviço no portal do Simples Nacional.

Priscila Zuini

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

Ética e Empreendedorismo

Posted by HWBlog em 17/01/2016

eticaRecentemente, muitas pessoas acompanharam o seriado que retratava a vida e “obra” do maior narcotraficante de todos os tempos, Pablo Escobar. Como eu me lembrava da maioria dos fatos da época, fiquei muito interessado em pesquisar mais e relembrar algumas coisas sobre a vida desse “fenômeno”, que só existiu graças a corrupção, ignorância e pobreza de muitos.

Apesar de repudiar todas as atrocidades feitas por ele e de ser radicalmente contra qualquer tipo de contravenção, não pude deixar de assistir a um outro seriado (melhor ainda) produzido pela TV colombiana, dessa vez com os olhos de alguém que gosta de observar e analisar o comportamento de empreendedores. Minha proposta era tentar esquecer um pouco as coisas terríveis feitas por esse homem e analisar as suas ações identificando acertos e erros, sob a ótica empreendedora.

Como tem sido demonstrado em todas as biografias, documentários e seriados, Pablo Escobar era uma pessoa dotada de uma inteligência analítica e estratégica acima da média, alem de possuir uma fantástica visão de oportunidades e ousadia (para não dizer “agressividade”) nos negócios.

Esses atributos geralmente indicam uma grande probabilidade de sucesso. No entanto, se não houver uma inteligência emocional agregada a essas competências, a probabilidade de fracasso será muito maior do que a de empreendedores que tenham uma inteligência apenas mediana, mas possuam uma inteligência emocional acentuada.

Confira abaixo os principais acertos e erros de Pablo Escobar que podem servir de lição para os nossos empreendedores.

ACERTOS

1. Conseguiu identificar uma necessidade de um mercado específico O reconhecimento de uma boa oportunidade – onde há um potencial mercado consumidor para a solução de um problema -, a percepção da escassez de um produto ou a identificação de um produto inovador é a base de qualquer empreendimento de sucesso.

2. Verificou a disposição dos membros desse mercado a pagarem pelo seu produto Uma solução ou produto que possa ser consumido por um mercado específico não é suficiente. O público deve estar disposto a pagar por esses produtos ou soluções, e os valores devem gerar lucro para a sua operação.

3. Influenciou toda a cadeia, da produção à distribuição Empreender é também expandir a sua área de influência. Desenvolver bons fornecedores e parceiros na distribuição e logística são cruciais em determinados tipos de operação. Nesse caso, Pablo Escobar estabeleceu essa influência, oferecendo sociedade a esses parceiros.

4. Entrou em um negócio que tinha as competências necessárias para gerenciar Embora ele estivesse entrando em um empreendimento novo, trazia competências anteriores adquiridas em negócios similares.

5. Anotava tudo O hábito de ter listas de tarefas a fazer evita a perda de foco e possibilita um melhor acompanhamento de suas atividades. Além disso, cria-se uma base histórica do seu negócio, facilitando o planejamento futuro.

6. Pensava em responsabilidade social No início de suas “atividades empresariais”, ele tinha uma preocupação legítima com a sua comunidade. Isso gerou uma grande admiração e suporte por parte da população local.

ERROS

1. Ficou arrogante Um dos primeiros sinais de potencial fracasso de um empreendedor é a arrogância oriunda do “sucesso”. Por conta dessa arrogância, empreendedores desrespeitam parceiros comerciais e perdem tempo e energia em projetos megalomaníacos. Ao longo do tempo, vão perdendo o respeito e confiança de todos os envolvidos.

2. Acreditou que sua influência e poder podiam tudo Ao conseguir aumentar a sua área de influência e ganhar muito dinheiro, passou a ter a sensação de poder influenciar tudo e todos. Parece algo fácil de entender, mas essa é uma das grandes armadilhas do sucesso para pessoas que não tem inteligência emocional: não suportar a frustração de ver algumas de suas empreitadas não se materializando em resultados.

3. Entrou em atividades que não conhecia Influenciado pelas arrogância e a sensação de poder tudo, entrou em uma área que não conhecia (a política), com a sensação de que conseguiria tudo. Não só não conseguiu, como foi expurgado dessa atividade e, como efeito colateral, perdeu o foco de seu negócio principal, alem de sofrer danos pessoais que impactaram no seu desempenho.

4. Afastou-se dos negócios para travar suas batalhas pessoais Por conta de sua vaidade e sensação de poder tudo, concentrou-se em batalhas pessoais que não agregavam nenhum valor para si nem para seu negócio. Quantos empreendedores não entram em disputas judiciais ou “brigas” com seus concorrentes apenas pelo prazer de “eliminar” os inimigos, que, na maioria dos casos nem representam ameaça real?

5. Não foi fiel com seus parceiros de negócio Se, no início da carreira, mantinha a sua palavra e respeitava os parceiros, mais tarde passou a adotar a política de só aumentar seus próprios ganhos, em detrimento aos de seus “parceiros comerciais”.

Sei que, à primeira vista,  analisarmos um narcotraficante como exemplo de empreendedorismo pode ser muito ruim. No entanto, escolhi esse exemplo propositadamente para que, alem das análises acima, façamos a seguinte reflexão. Quantas vezes admiramos e nos inspiramos em empreendedores pelo  simples fato de terem ganho muito dinheiro, sem nos preocuparmos com os meios que utilizaram para atingir esse sucesso?

Será que não está na hora da comunidade empreendedora e das entidades que fomentam o empreendedorismo pararem de idolatrar empreendedores apenas pelo seu sucesso financeiro? Será que não está na hora de passar a ser mais seletivo e criterioso quanto aos métodos utilizados para chegar lá? E quanto à maneira como tratam a comunidade e seus colaboradores? E, finalmente, quanto à quantidade de crimes “indiretos” que  alguns deles já cometeram? Quantos Pablo Escobar não existem ainda, travestidos de empreendedores e benfeitores?

Creio que essa seria uma grande contribuição que a comunidade empreendedora estaria dando para a melhoria da ética em  nosso país.

Carlos Miranda

Posted in Ética, Empreendedorismo | Leave a Comment »

Planejamento Estratégico

Posted by HWBlog em 17/01/2016

tabuleiro de xadrezPara todo empreendedor que deseja  crescer, um dos primeiros passos é entender como iniciar algo que proporcione boas chances de sucesso ao negócio. Como o próprio significado da palavra indica, planejar estratégias é uma arte que requer eficiência, informações adequadas e conhecimento de mercado, para que as decisões tomadas estejam bem casadas com a visão de futuro da empresa.

É aconselhável, para todas as situações, que o plano esteja traçado no papel antes que seja colocado em ação. Portanto, o inicio de todo planejamento estratégico passa por algumas definições simples:

· Quem somos? Qual a nossa missão? Qual a relevância do nosso negócio para o mercado? Afinal, aonde queremos chegar?

· Quais os atores envolvidos nesse planejamento? Quem deve ter participação importante nas análises que traçarão os caminhos da empresa;

· Definidos os papeis de cada um, é o momento de ter em mãos o máximo de informações que lhe darão uma visão mais completa do mercado. Saiba de tudo que se refere à análise de mercado, crescimento e desenvolvimento de funcionários,  concorrentes, áreas e mercados para explorar;

· Esteja informado sobre os insumos (internos e externos) para realização de seu negócio. O entendimento de mercado é tão bom quanto à compreensão do que ocorre dentro da sua própria empresa.

A importância das métricas dentro do seu planejamento estratégico

Acabaram-se os anos em que o que importava era bater o concorrente com gastos milionários em campanhas publicitárias. Hoje, quem não realizar uma métrica bem relacionada com o planejamento e ambições da empresa estará atrasado.

As métricas nada mais são do que estratégias para mensurar qualquer investimento ou ação relacionada à sua empresa, em quantidade e qualidade. Mas o mais importante é que ela deve estar diretamente relacionada aos planos de estratégia. Não adianta ter números e mais números, bons ou ruins, se esses números não estiverem dando respostas conclusivas para a gestão do negócio, se estamos ou não estamos chegando mais perto dos nossos grandes objetivos. Portanto,  métricas de sucesso  são aquelas em que os resultados serão um termômetro para saber se os objetivos da empresa estão sendo alcançados.

Colocando em prática

Sair do papel e ir para a realidade pode muitas vezes ser um tema complicado para o empreendedor. Portanto, a primeira coisa que devemos levar em consideração na parte da execução é analisar como fazemos o que fazemos. Ou seja, qual é a forma como conduzimos o processo de pessoas/equipe, a estratégia e nossos planos operacionais. Quanto mais organizada e bem feita for essa execução, mais poderemos medir o nível de maturidade de uma empresa.

Por exemplo, as realizações de reuniões periódicas precisam trazer realidade aos debates e alguns obstáculos que exigirão decisões. O nível de profissionalismo que se darão essas reuniões e as decisões feitas a partir desses possíveis obstáculos darão o tom da eficiência da sua execução. No livro “Execução”, escrito por Larry Bossidy & Ram Charan, a definição da palavra para a gestão empresarial é esclarecedora: “No seu sentido fundamental, executar é uma forma sistemática de expor a realidade e agir sobre ela”.

Contudo, a sua prática está diretamente relacionada à seriedade e organização com que trata a execução de seus planejamentos. Será sempre um desafio mental complexo, sem muita intuição, mas de um pensamento sistêmico e de forte trabalho. Veja alguns pontos a que devemos nos atentar:

· A sincronia dos processos de gestão pessoas, estratégia e rotina são essenciais para uma boa execução;

· Divisão de funções, atribuições e responsabilidades são partes importantes para alcançarmos os objetivos com organização;

· Não devemos dar passos maiores do que podemos. Planos maiores que nossa capacidade geram frustação, pois, plano bom é aquele conseguimos implantar estando dentro da realidade;

· Se quisermos uma execução boa, devemos saber premiar e incentivar as pessoas envolvidas nessa evolução;

· Estar aberto a novas realidades, saber a hora de mudar e abrir mão de algo com flexibilidade e sabedoria, será um bom controle de qualidade dos seus planos estratégicos.

Um planejamento estratégico completo requer muito mais esforço e dedicação do que normalmente imaginamos, mas se feito com qualidade, formarão o caminho das pedras para a conquista de todos os seus objetivos. Empresas que colocam com eficiência todos os seus planos e práticas, são as que abandonam estratégias equivocadas com facilidade traçando novos rumos, aproveitando boas  oportunidades , formando grandes líderes e criando resultados mais sustentáveis e lucrativos. 

 

Posted in Empreendedorismo, Planejamento | Leave a Comment »

Coisas que os ricos não falam – e você também não deveria

Posted by HWBlog em 17/01/2016

plano de carreiraFalar com pessoas que ascenderam financeiramente por causa do empreendedorismo é uma experiência diferente. A confiança vai além do que está na carteira: a característica tem a ver com as atitudes e o jeito de falar desse grupo de pessoas. Ao perceber isso, o americano Steve Siebold escreveu o livro “How Rich People Think” (“Como Pessoas Ricas Pensam”, em tradução literal), destacando elementos além do dinheiro que separam os ricos de todo o resto. Isso inclui algumas frases que eles não dizem. Saiba quais são elas:

1 – “Não consigo bancar a minha ideia”
Muitos empreendedores têm grandes ideias que, na maioria das vezes, não são colocadas em prática por acharem que não terão dinheiro o suficiente para seguir adiante. Quando uma pessoa rica tem uma ideia que sabe que não poderá bancar, ela geralmente encontra outras formas de financiá-la, sem deixar a ideia de lado.

2 – “Não mereço ser rico”
Ainda tem muita gente que acredita não merecer ter mais dinheiro do que o necessário para levar uma boa vida. Já as pessoas ricas pensam da seguinte forma: “por que não eu?”. Essa crença faz com que eles se sintam muito mais motivados para perseguirem seus sonhos

3 – “Posso perder tudo”
Em vez de verem a perda como algo ruim, os ricos a enxergam como uma experiência com a qual podem aprender. Para eles, todo investimento requer estratégia e conhecimento dos benefícios e consequências. Quanto mais tentativas e aprendizados, menor é o risco de perda.

4 – “Odeio o meu trabalho”
A maioria das pessoas se arrasta todos os dias para trabalhos dos quais não gostam até que chegue o momento de se aposentarem. Os ricos sabem que o segredo da riqueza é o “combo” paixão e esforço. A primeira é o combustível para o segundo. Uma vez que você faz com que você gosta e com vontade, tudo se torna possível.

Posted in Empreendedorismo, Finanças | Leave a Comment »

Quantos dragões você precisa matar?

Posted by HWBlog em 10/01/2016

dragãoImagine-se em uma daquelas batalhas épicas medievais em que há um cavaleiro, um dragão, um castelo e uma mocinha apaixonada.
Você é o cavaleiro, e precisa matar o grande dragão para ter o amor da mocinha. O que você precisa fazer? Só tem uma opção: você precisa dar uma facada no coração do dragão gigante e passar adiante para conseguir o que você quer.
Agora volte para o presente e entenda uma coisa: assim são as suas vendas e as tarefas do dia a dia, como na história.

Você poderia ter um departamento especializado em facas para escolher a melhor faca para a situação. E você poderia ter também um departamento para pesquisar e definir as melhores armaduras. E quanto ao cavalo? Com certeza você poderia precisar de um departamento de cuidados dos cavalos. Mas no final das contas você precisa ir lá e dar uma facada no coração do dragão. Não interessa se tem a melhor faca, a melhor armadura e o melhor cavalo, departamentos que cuidam de tudo isso ou se você não tem!

Faça o básico primeiro! Antes de qualquer coisa. Você pode querer milhões de ferramentas de marketing, pode pedir um departamento especializado nisso ou naquilo, mas o que você precisa fazer é ir lá e dar a facada no dragão.

De que adianta ter o melhor do melhor em tudo, mas o seu trabalho não é feito?

Não se preocupe em ter o melhor programa de marketing, a melhor estrutura financeira e o melhor produto do mundo. A vida não é assim, o mundo não é assim. O mundo é você se esforçar e ter certeza de que você vai conseguir o que quer, mesmo sabendo que não tem as melhores ferramentas que poderia ter. Viver é ter entusiasmo por tudo mesmo quando você tem problemas. Viver é estar entusiasmado para RESOLVER esses problemas.

A única coisa que você não pode deixar de fazer é tudo o que realmente precisa ser feito. Se você é contador, contabilize. Se você é atendente, atenda. Se você é vendedor, venda. Faça as ligações diárias que tem que fazer, faça o número de visitas que você precisa fazer, faça os follow-ups que precisa fazer.

Não estou dizendo para você abaixar a cabeça e virar um robô. NÃO! Estou dizendo pra você não se esquecer de fazer o que precisa ser feito. Você precisa trazer ideias novas, precisa colaborar, deve dar sugestões e fazer perguntas para as pessoas dos outros departamentos. Mas, o mais importante é fazer as vendas, se você é vendedor.

Ter as melhores facas, a melhor armadura e o melhor cavalo é ótimo! Mas no final das contas você precisa matar o dragão. Tendo ou não tendo tudo isso.

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

Contrate o caráter, treine as habilidades

Posted by HWBlog em 07/01/2016

intenção do comandanteOs processos seletivos de profissionais são cada vez mais completos e complexos. E isso não diz respeito apenas às qualificações técnicas, pois cada vez mais empresas notam a necessidade de contratar uma boa pessoa antes de um bom profissional. Para seguir essa tendência, é preciso pensar nas vantagens de escolher algumas qualidades acima daquilo que parece ser esperado para um profissional — experiência, qualificações e habilidades.

Confira abaixo porque é mais vantajoso contratar o caráter e treinar habilidades do que cair no erro comum de escolher apenas aquele que parece ser o melhor profissional.

Avaliar o alinhamento de valores é crucial
Não há nada pior para uma empresa do que contratar um funcionário que acredita e possui valores totalmente diferentes daqueles pregados pela empresa. É o caso, por exemplo, de um empreendimento que tem abordagem mais humana e que contrata um profissional muito mais focado em resultados — e apenas em resultados.

Além de não desempenhar sua função dentro do esperado, um profissional não alinhado fará com que todos ao seu redor sintam o efeito de um ponto que está fora da curva: atritos, retrabalhos e rixas são apenas alguns dos problemas que surgirão. Com isso, todo o bem-estar do ambiente de trabalho é afetado, trazendo más consequências para a produtividade. Por isso, mais do que fazer um teste de inglês ou de conhecimentos, é preciso conhecer os valores do candidato para ter certeza que tenha a ver com o que a empresa vivencia no cotidiano.

Postura e conduta também são importantes
A ética está muito mais relacionada ao caráter do que a qualquer habilidade ensinada em um curso ou em uma graduação.  A conduta também é importante porque tem a ver com como o funcionário se portará em reuniões, encontros importantes ou almoços com investidores, por exemplo. Uma conduta inadequada pode espantar oportunidades de negócio mesmo que o funcionário não seja responsável pelo contato direto com o público.

Imagine, por exemplo, que o funcionário foi contratado, mas que ao final do expediente use suas redes sociais para reclamar da empresa, da sua conduta e dos seus valores. Embora seja algo feito em sua vida particular, isso pode afetar como as pessoas de seu círculo verão e consumirão a empresa. Por isso, funcionários com uma postura profissional e com uma conduta correta são muito melhores do que os funcionários que usam oportunidades profissionais e colegas de trabalho apenas como degraus de uma escada para o sucesso.

Vá além das qualificações do currículo e das habilidades

Com treinamento, qualquer habilidade pode ser ensinada a um profissional — um novo idioma, a operação de um novo sistema, uma nova linguagem de programação —, mas ter caráter e ética não são passíveis de ensinamento. Por isso, é muito importante ir além do que o currículo apresenta e focar no que o candidato tem a oferecer como pessoa.

O que ele fala, como ele fala e como ele demonstra agir tem muito mais influência no papel que ele desempenhará na empresa do que suas qualificações ou experiências anteriores. Atentar-se a isso significa contratar um profissional de valor para a empresa e que realmente agregará ao local. Portanto, contrate o caráter, treine as habilidades!

Considerando que qualquer técnica pode ser ensinada, é muito mais vantajoso para a empresa contratar um profissional com valores e postura adequados do que o que se mostra apenas mais experiente. Isso porque caráter não pode ser ensinado ou modificado e a falta dele pode resultar em gastos com novos processos de seleção e problemas internos.

Posted in Liderança | Leave a Comment »

Sinais de que você está se tornando um chefe tóxico

Posted by HWBlog em 05/01/2016

chefe tóxicoLiderar uma equipe não é simples. Mesmo sem perceber, muitos chefes perdem o domínio dos funcionários e diminuem a produtividade das suas empresas por se tornarem tóxicos demais dentro do seu ambiente de trabalho.

Antes que isso aconteça e os danos se tornem irreparáveis, os empreendedores podem realizar uma avaliação própria para descobrir se algumas características se destacam. Atitudes como ignorar seus funcionários e transferir a culpa para outras pessoas são atos que podem levar a sua liderança para um caminho sem volta. Por isso, confira a lista elaborada pela revista Entrepreneur  abaixo para saber se você é um líder tóxico:

1. Ignorar os funcionários

Um chefe que não leva em conta as ideias da sua equipe é tóxico. Por isso, antes de simplesmente ignorar as sugestões dos seus subordinados, escute e discuta as propostas deles. Sua equipe merece a oportunidade de explicar a razão de querer colaborar com novas ideias. Mesmo que ela não vá para frente, as pessoas sentirão que suas vozes fazem diferença para o negócio.

2. Transferir a culpa

Uma pesquisa realizada pela BambooHR mostrou que um em cada cinco norte-americanos se demite por achar que seus chefes transferem a culpa para eles. Ao invés de encontrar culpados, bons líderes assumem os problemas e tentam criar soluções para eles. Isso criará um ambiente onde os funcionários se sentem seguros e apreciados, o que só pode ajudar a empresa.

3. Deixar a equipe de lado

Um líder forte confia na sua equipe e deixa os funcionários com a autonomia que precisam para exercer o seu melhor. No entanto, isso é diferente de deixá-los atuando sem nenhuma liderança. Para se tornar um bom chefe, o empreendedor deve prover mais do que instruções. Ele também deve dar suporte para que a equipe saiba aonde chegar com o trabalho.

4. Focar no negativo

Na hora de dar um feedback, muitos chefes acreditam que focar no que os funcionários ainda têm para aprimorar é a melhor  escolha. Mas um dos segredos para não se tornar alguém mal visto na empresa é saber elogiar e fazer críticas construtivas. Uma pesquisa realizada pelo Gallup, por exemplo, mostrou que 67% dos funcionários que receberam elogios se engajaram com a causa da empresa. Para especialistas, essa é uma forma de mostrar o valor da equipe para o negócio.

Posted in Gestão | Leave a Comment »

Não deixe que boas ideias se percam

Posted by HWBlog em 04/01/2016

planejamento 04Qualquer um que trabalhou em uma grande empresa pode elencar algumas razões pelas quais boas ideias morrem: conflitos com projetos existentes, existência de opositores, escassez de recursos, etc. Ainda que empresas decidam “se tornar mais inovadoras”, elas eventualmente esquecem de estar atentas a coisas que matam ideias promissoras. Para mudar isso:

Comece com uma pesquisa. Pergunte a quem inova sobre em que níveis a dinâmica da companhia sufoca novas ideias – então, tome medidas de ação a partir dessas respostas.

Consiga aprovação externa. Vender uma ideia é mais fácil quando os clientes estão cientes e podem comunicar o que esperam dela.

Busque formas de levantar dinheiro. Ideias não podem ser bem sucedidas sem que as empresas aloquem recursos suficientes para que elas sejam.

Pense semanalmente, não mensalmente. Mover-se lentamente mata ideias e desmotiva investidores. Procure maneiras de agilizar os processos envolvidos.

Adaptado de “6 Ways to Keep Good Ideas from Dying at Your Company”

Posted in Gestão | 2 Comments »