PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    agosto 2017
    D S T Q Q S S
    « jul    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  

Archive for the ‘Carreira’ Category

Atitudes que te fazem perder oportunidades

Posted by HWBlog em 31/05/2016

Image of three business people working at meetingEstar bem preparado é necessário pra obter sucesso em qualquer área da sua vida. No ramo profissional, quem não está preparado (ou disposto a aprender e se preparar) não verá as oportunidades que podem aparecer.

Ter a formação necessária, atualizar constantemente os conhecimentos, desenvolver habilidades variadas, ter determinação, motivação e um plano de ações efetivas, tudo isso faz parte de um profissional disposto a avançar.

Além de tudo isso, para alcançar uma boa posição no mercado de trabalho, é preciso evitar atitudes que acabam atrasando a carreira.

Sugestões para serem seguidas:

1 – Falta de interesse

Não inteirar-se sobre os procedimentos da empresa pode ser interpretado pelos gestores como falta de interesse pela organização.

2 – Incompatibilidade com perfil da empresa

Quando a personalidade e os valores do indivíduo não correspondem aos da organização insistir no emprego é um erro.

3 – Falta de compromisso

Comparecer ao emprego todos os dias não é suficiente para demonstrar compromisso com o trabalho. A empresa precisa de resultados e não apenas de ações.

4 – Faltas

Faltar por qualquer motivo pode ser interpretado como descaso. E, se o funcionário parece não precisar da empresa, a organização também acaba não precisando dele.

5 – Má utilização de recursos

Utilizar os recursos da empresa de forma imprópria é mais um ato a ser evitado. Não use o telefone da organização para assuntos pessoais, use o computador apenas para o trabalho e deixe para conferir as redes sociais e compras online para casa.

6 – Falta de responsabilidade

Esquecer compromissos é inevitavelmente percebido como irresponsabilidade e desinteresse.

7 – Excesso de ego

Ter o ego muito elevado e não admitir erros são atitudes que prejudicam a sua evolução profissional. Humildade é uma característica essencial para quem deseja conquistar o respeito de todos na empresa e oportunidades de promoção.

8 – Ócio criativo

Exercite a capacidade de procurar soluções inovadoras e eficazes para os problemas e desafios que surgem nas empresas todos os dias, esforçando-se para ser um colaborador criativo e proativo.

9 – Falta de bom senso

Falar mal do chefe ou de alguém importante da empresa atrasa a carreira, além de demonstrar falta de ética e de respeito. Portanto, meça bem as palavras e evite comentários indelicados.

10 – Atrasos

Cumprir seu horário de entrada e saída é um passo importante. Atrasos, mesmo de poucos minutos, demonstram falta de responsabilidade com a empresa e com os clientes.

Posted in Carreira | Leave a Comment »

Dicas de executivos de sucesso para se dar bem na vida e no trabalho

Posted by HWBlog em 24/05/2016

produtividade-carreiraO site da revista Inc. selecionou dicas de executivos de sucesso. O que elas têm em comum? Quase todos eles costumam levantar cedo, se exercitam e sabem muito bem como lidar com dinheiro. Eles também valorizam boas noites de sono e se mantêm afiadas estudando constantemente. Aperfeiçoamento é palavra-chave para esse pessoal.

Leia abaixo as frases de algumas dessas pessoas bem-sucedidas

Faça caminhadas

“Eu moro em San Francisco, uma bela cidade para caminhar. Todo dia tento andar em algum lugar, seja para ir para uma reunião ou apenas para vagar pela orla. Sempre aproveito para fazer outras coisas enquanto caminho: ligo para um amigo, penso sobre um novo post ou artigo para escrever e até mesmo pratico um discurso para uma apresentação.”

Ruth Ross, palestrante, autor de Coming Alive: The Journey to Reengage Your Life and Career, no qual fala sobre a falta de engajamento dos americanos no mundo corporativo

Durma, pratique exercícios e medite

“Acordo todo os dias na mesma hora, não importa se é segunda-feira ou domingo. E não importa também a que horas fui dormir. Medito todas as manhãs. Faço exercícios pelo menos cinco manhãs por semana. Isso significa que, antes de começar o meu dia de trabalho, já estou com minha mente e meu corpo preparados para conseguir pensar de forma clara e positiva. Isso me ajudar a ter sucesso.”

Stuart Taylor é fundador e CEO do The Resilience Institute, que orienta organizações, líderes e pessoas para ver oportunidade em vez adversidade.

Tire um tempo para rir

“Separo um tempo do meu dia para dar boas risadas. Gosto de fazer isso à noite, quando minha mente ainda está fervilhando com mil tarefas. Posso rir de um vídeo no Youtube. Essa prática diária limpa minha mente e elimina o stress.”

Daniel Young, co-fundador do BInvested

Ligue o modo avião

“Todas as manhãs faz questão de deixar meu telefone no modo avião por, no mínimo, uma hora depois de eu acordar para que eu possa passar o tempo ininterrupto com a minha mulher e minha filha de 11 meses de idade. Além de começar o dia cercado por pessoas que você ama, você também se assegura de que seu dia vai começar de forma lúdica e criativa. Isso, muitas vezes, pode ser extremamente útil no seu trabalho.”

Ben Harvey, fundador da empresa de treinamento Authentic Education

Ponha em prática a regra dos 10%

“Sempre separo 10% do que ganho para guardar. Com isso, consegui me livrar de uma dívida de US$ 187 mil. Quando você paga você mesmo com esse dinheiro, você está se valorizando. Não gaste seu dinheiro com coisas fugazes como carros e casas. Inviste em coisas mais perenes.”

Simone Milasas, mentora de negócios e autora do livro Joy of Business

Comece o dia com uma pergunta

“Eu começo meu dia com uma pergunta: ‘Onde preciso colocar minha atenção hoje?’ Eu administro várias empresas e trabalho com pessoas de todo o mundo. Fazer esta pergunta me permite conectar com as pessoas que podem ajudar na realização dos objetivos desse dia rapidamente.”

Gary Douglas, autor best-seller, investidor e fundador da empresa de desenvolvimento de pessoal, Access Consciousness.

Posted in Carreira, Produtividade | Leave a Comment »

Como espantar o stress em situações de crise no trabalho

Posted by HWBlog em 06/04/2016

homemtristeQuem está por dentro das notícias de negócios sabe que nos últimos meses, anúncios de demissão em massa sacodiram o mercado. Para se ter uma ideia, mais de 20 empresas empreenderam cortes “generosos” nos seus quadros de funcionários, entre planos de reestruturação ou fechamento de projetos como estratégia para conter os prejuízos.
E como fica o clima entre os funcionários e executivos em meio a essas mudanças? É certo que a tensão aumenta e, mesmo o mais sereno de todos os profissionais, sente o peso da atmosfera do escritório.

Pensando nisso, a psicóloga e consultora organizacional Meiry Kamia deu algumas dicas para reduzir o estresse e ser feliz mesmo em tempos de crise e demissão em massa:

Controle a sua atitude diante do cenário

Frustração, irritabilidade, ansiedade e estresse são sintomas do medo, diz Meiry. “O medo do que está por vir, gera ansiedade que, com o tempo, resulta em estresse”, diz. A sensação de falta de controle resulta em problemas físicos como coração acelerado, aumento da pressão, dor de cabeça, entre outros.

Então, a primeira atitude é perceber se você está sendo vítima destas reações internas e combate-las assim que elas aparecerem. A arma? Atitude positiva, indica a especialista.

Mas como? “Uma forma saudável de manter a atitude positiva é refletir sobre o que se ganha com a situação, sobre qual é o aprendizado”, diz. Toda experiência traz um aprendizado, explica Meiry, você pode se perguntar, por exemplo: “que virtude estou aprendendo e/ou exercitando por meio dessa experiência?”, “será que estou tendo que aprender a ser mais paciente? Mais determinado? Mais humilde? Mais confiante? Como essa experiência me torna mais sábio e como ela me fortalece?”

De acordo com Meiry, sabedoria é saber extrair o aprendizado real de situações limite como esta.

Foco na solução

Com colegas sendo demitidos, é natural que a carga de trabalho aumente. E com isso, começam a surgir os problemas e as muitas horas extras. “Entretanto, reclamar o tempo todo não ajudará a solucionar os problemas, ao contrário, quanto mais você pensar e falar sobre os problemas maiores eles se tornarão”, recomenda Meiry.

Você não pode controlar os fatores externos que dão o contorno dramático à situação, mas pode manter as rédeas das suas reações. “Algumas pessoas passam por momentos estressantes de forma mais tranquila, e a diferença desses profissionais para os outros é a forma como enxergar a situação, já que o estresse está relacionado à percepção”, diz a consultora.

A recomendação para virar o jogo é manter o foco no que precisa ser feito. Execute, solucione problemas, em vez de valorizar os problemas. Otimismo é sinal de autoconfiança. “São pessoas que pegam o problema e resolvem, sabem da sua capacidade de produção e por isso confiam em si mesmas”, diz Meiry.

Mantenha a mente no presente

Quem já praticou medicação sabe a importância de manter a atenção no momento presente para o bem-estar. “O estresse aparece quanto a mente oscila do passado ao futuro”, lembra Meiry. Seja prático, se estiver em horário de expediente, trabalhe. Quando estiver em casa, evite os pensamentos e preocupações com o trabalho. Pode parecer fácil, mas faça o teste de observação. Quanto tempo do dia você passa realmente conectado ao presente?

Faça o seu melhor

Até o seu último dia de trabalho na empresa, dê o seu melhor. Não se esqueça de que você está sendo observado e, se faz um bom trabalho, deixa uma marca positiva. “Marketing pessoal é o que os outros falam sobre o profissional”, diz Meiry.
Duas palavras justificam o conselho da consultora: referência e indicação. “Você pode conseguir uma entrevista porque um ex-colega ou ex-chefe o indicou”, diz Meiry. É a lei do Universo, diz ela: “quando você dá o seu melhor, você recebe o melhor”, diz.

Posted in Carreira | Leave a Comment »

Dicas para reter talentos na sua empresa

Posted by HWBlog em 24/10/2015

As pessoas são peças fundamentais para a boa gestão. Mas conquistar o comprometimento dos colaboradores não é tarefa fácil. Treinar, repassar os valores, os objetivos e a cultura da empresa, orientar sobre os processos e os padrões de trabalho são atividades que consomem tempo. Muitas vezes, as empresas investem recursos no treinamento de seus funcionários e, muitas vezes, percebem que prepararam equipes para os concorrentes.

A retenção de talentos é, portanto, fator-chave para não perder os investimentos feitos em capacitação. Nesse cenário, as micro e pequenas empresas levam vantagem, pois os líderes estão mais próximos dos colaboradores. Envolver o funcionário em reuniões decisivas, saber seu papel na organização, transitar entre as diversas áreas da empresa são diferenciais que podem pesar positivamente na retenção de talentos.

Outro fator que deve ser levado em consideração é a participação no mercado, cada vez maior, da geração Y, que tem como uma de suas principais características o engajamento com uma causa. É fundamental que essa geração perceba sua participação nos negócios e tenha suas ideias levadas em consideração. A seguir, algumas dicas que podem ajudar na retenção dos colaboradores.

1. Estabeleça um plano de carreira para que o funcionário possa visualizar as possibilidades internas e, assim, investir no seu crescimento.
2. Crie um ambiente que possibilite ao colaborador desenvolver projetos com maior autonomia e novas competências.
3. Envolva os funcionários nos processos de decisão ou engaje-os em projetos em andamento, escutando suas sugestões de forma apreciativa.
4. Crie ações para melhorar o clima no ambiente de trabalho. Estimule a prática de esportes, promova campeonatos internos ou disponibilize áreas de lazer.
5. Crie um ambiente mais familiar, com confraternizações e happy hours, ou incentive o colaborador a contribuir com uma planta, fotos ou objetos que tornem o ambiente mais acolhedor.
6. Estimule a troca de ideias e crie oportunidades para ouvir as pessoas. Evite eventuais críticas não construtivas.

A retenção de colaboradores engajados está intimamente ligada à valorização das pessoas. Um bom começo para alinhar as expectativas é a aplicação de uma pesquisa de clima organizacional para identificar os pontos fortes e as oportunidades de melhoria. Isso criará um canal de comunicação com a alta direção e gerará material para trabalhar a própria retenção de talentos.Tornar o funcionário corresponsável no planejamento de sua carreira é a chave do engajamento

Posted in Carreira | Leave a Comment »

“Fazendo burradas se aprende muito” : veja 5 dicas do brasileiro mais rico

Posted by HWBlog em 20/10/2015

Jorge_Paulo_LemannNum evento para empreendedores promovido pela Endeavor, o empresário Jorge Paulo Lemann contou um pouco sobre sua trajetória profissional e deu dicas a quem tem ou pretende abrir o próprio negócio. “Eu acho que os empreendedores é que salvarão o Brasil. Não desanimem na primeira dificuldade”, diz.

Considerado o homem mais rido do Brasil , Lemann é dono da empresa de investimentos 3G Capital Partners, que possui marcas como Burger King e Heinz. No Brasil, ele é sócio da Ambev, fabricante das cervejas Brahma, Skol, Antarctica, entre outras.

Um dos pontos de sua apresentação foram os erros cometidos ao longo de sua história. “Fazendo burradas se aprende muita coisa. Pais, deixem seus filhos errarem porque isso rende aprendizados valiosos no futuro”, afirma.

Das dificuldades que enfrentou, Lemann extraiu lições que moldam seu estilo gerencial até hoje. Veja abaixo 5 lições do empresário.

1. Saiba perder e aprenda com os erros

Jogador de tênis desde os sete anos, Lemann diz que o esporte lhe ensinou que sem esforço não há resultados e que nem sempre é possível ganhar. “O tênis foi importante para eu me habituar a não ganhar sempre. Quando perdia, eu tentava analisar o que tinha dado errado e como poderia melhorar na próxima vez.”

2. Desenvolva métodos para manter o foco

De tenista e surfista do Arpoador, Lemann foi para a universidade de Harvard aos 17 e teve dificuldades para se adaptar a uma rotina de estudos. Foi ameaçado de expulsão no primeiro ano por soltar fogos no campus e percebeu que teria que se esforçar se quisesse sair de lá com um diploma.

“Tive que desenvolver métodos para focar nos estudos. Reduzia meus cursos às cinco coisas básicas que eu tinha que aprender neles e estudava seis horas por dia, além das aulas. Hoje, nas empresas, temos cinco metas básicas e cada funcionário também tem cinco metas básicas.”

3. Cerque-se de pessoas diferentes e cuide da administração

Formado e de volta ao Brasil, Lemann se juntou a amigos economistas e fundaram uma empresa financeira, que faliu em quatro anos. “Foi um baque colossal, eu tinha 26 anos, me achava o máximo e descobri que não era tão esperto ou inteligente assim. Novamente, as dificuldades me ensinaram muita coisa”, diz.

Segundo o empresário, o negócio não deu certo porque os sócios tinham perfis parecidos, todos queriam vender, mas ninguém cuidava da administração. “Aprendi que em sociedades e quando se contrata gente, não se deve escolher apenas pessoas parecidas com você, precisa diversificar. Depois disso, também passei a dar muita atenção à administração das minhas empresas.”

4. Esteja aberto a mudanças de planos

Seu próximo negócio foi uma corretora de ações, que ele comprou com sócios aos 31 anos. Mas, um mês após a aquisição, a Bolsa de Valores teve uma grande queda e o negócio de corretagem acabou. Eles viraram operadores do Tesouro Direto.

“Pretendíamos uma coisa que não deu certo, mas conseguimos outra oportunidade. Em alguns anos, éramos os maiores naquilo. A dificuldade nos obrigou a isso. O caminho nunca é uma linha reta, por isso é importante aprender com as dificuldades e procurar nelas uma oportunidade”, diz.

5. Contrate gente boa

Depois da corretora frustrada, ele fundou o banco Garantia. Foi nessa época que ele desenvolveu o sistema de atrair profissionais bons e remunerá-los bem.

“Não tínhamos dinheiro nem nome, então tínhamos que competir atraindo as melhores pessoas. Hoje em dia, esse é o ponto forte das nossas empresas. Fazemos os negócios e as compras que estamos fazendo porque temos equipe para mandar às novas empresas e introduzir nossa cultura.”

Posted in Carreira, Empreendedorismo, Gestão, Motivação, Sucesso | Leave a Comment »

Empresas avaliam até perfil psicológico e valores pessoais para filtrar candidatos

Posted by HWBlog em 11/10/2015

Já não bastam cinco anos de experiência e inglês fluente no currículo: para acertar na escolha, os processos seletivos passaram a traçar também o perfil psicológico e até os valores pessoais dos profissionais por meio de testes e dinâmicas em grupo.

Quem se cadastra no 99jobs, que faz seleções para Microsoft e Votorantim, responde a perguntas como “Qual o seu carro dos sonhos?” e “O que você faria se ganhasse R$ 20 milhões?”.

Guilherme Hashimoto, 25, trainee da Whirlpool (dona das marcas Brastemp, Consul e KitchenAid) acredita que o teste de valores foi o que o levou a ser selecionado pela organização e eliminado da disputa de outro processo do qual participava.

Apesar da “reprovação” em uma das seleções, ele defende esse tipo de exame, porque não faz sentido trabalhar em uma empresa que não tem a ver com sua personalidade, afirma.

FILTRO

Cerca de 7.500 pessoas se inscreveram no último processo seletivo da Microsoft organizado pela 99jobs. Para filtrar os candidatos, a primeira peneira aplicada não foi uma avaliação dos conhecimentos técnicos, como lógica ou idiomas, mas sim de compatibilidade de valores.

Se um candidato não se enquadrava no perfil de pessoas que gostam de interagir com clientes, ele provavelmente não passou pelo funil, exemplifica Eduardo Migliano, presidente da 99jobs.

Entender o comportamento do profissional é hoje uma prioridade das empresas, e em alguns casos chega a ter mais peso na seleção do que uma boa faculdade no currículo.

“As pessoas são demitidas por falta de habilidade comportamental, não técnica”, afirma Roseluci Mafia, professora de MBA em gestão de pessoas do Ibmec-MG.

Na empresa de recrutamento de executivos Talenses, o principal instrumento de avaliação de comportamento é o teste Disc (dominância, influência, estabilidade e conformidade). O formato é simples: diante de uma situação descrita, o candidato responde se concorda ou discorda.

O resultado é um mapa dos pontos fracos e fortes do avaliado: ele exerce bem liderança, mas se atenta pouco às regras, exemplifica Gabriel Almeida, da Talenses.

Mas mesmo os testes cognitivos, como os de lógica e de idioma, estão sendo repaginados. Manuela Silva, 24, conta que o exercício de inglês para ingressar na Votorantim foi enviar um vídeo pelo aplicativo de mensagens WhatsApp.

INTERPRETAÇÃO

Outro exame utilizado pela Talenses é o MBTI (Tipologia de Myers-Briggs) para definir o perfil psicológico do profissional. A aplicação é terceirizada pela consultoria Fellipelli, que conta com mais dez testes do tipo em seu catálogo. O preço varia de R$ 50 a R$ 500 por prova.

Segundo Adriana Fellipelli, presidente do negócio, todas as avaliações possuem embasamento científico, e por isso têm a vantagem de serem mais objetivas do que uma entrevista pessoal, que pode ser influenciada por fatores como empatia, por exemplo.

A professora Mafia, porém, discorda que a subjetividade possa ser eliminada, porque os resultados da avaliação ainda precisam de interpretação. “Um perigo que vemos no mercado são pessoas sem preparo para fazer uma análise consistente, e acabam com uma leitura rasa.”

Na consultoria de recrutamento Page Personnel, a avaliação comportamental é acompanhada por entrevista pessoal e checagem de referências. “O teste ajuda, mas não é tudo”, diz Ricardo Haag, diretor da empresa.

A professora de psicologia Acácia dos Santos, editora da revista “Avaliação Psicológica”, diz que muitos testes são importados e usados no Brasil sem validação pelo Conselho Federal de Psicologia. “Quando começamos a registrá-los no conselho, dos cem pedidos que recebemos, aprovamos apenas 30”, afirma.

Segundo Santos, o problema de um exame importado é que ele trabalha com conceitos como “liderança” que são definidos de modo diferente em cada cultura. Sem validação, não há garantia de que eles sejam compatíveis com os brasileiros, o que distorce o resultado.

DINÂMICA

As atividades em grupo estão entre as mais temidas por quem participa de um processo seletivo. Com a primeira fase de testes on-line, à distância, acaba sendo na famigerada dinâmica o momento de se provar aos olhos de avaliadores e concorrentes.

Mônica Böhme, presidente da Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos, explica que o método evoluiu de uma abordagem maniqueísta (os avaliadores aprovavam quem se comportava como eles esperavam) para uma leitura de perfil: como essa pessoa se coloca? Ela se impõe sobre os outros, interrompe? Como ela negocia?

Essas respostas servem tanto para traçar a personalidade do profissional como para confirmar o resultado dos testes de comportamento, aplicados a distância.

Entre as atividades mais comuns usadas em dinâmicas, destacam-se os estudos de caso, em que um problema relacionado ao negócio da empresa é apresentado para ser discutido em grupo. Assim, avalia-se tanto o conhecimento do profissional sobre o tema como sua postura, explica Böhme.

Tarefas mais lúdicas, como jogos de tabuleiro, também têm despertado o interesse dos empregadores.

Na seleção para o programa de trainee de 2014 da Votorantim, os candidatos tiveram que brincar com Lego.

A avaliação levou em conta quanto cada um se preocupou em ajudar um colega com uma peça que faltava, ou como negociou para obter algo que faltava para ele, diz Manuela Silva, 24, que participou da atividade e hoje é uma das coordenadoras do programa de treinamento.

Já Hashimoto resolveu inovar por conta própria. Na última etapa da disputa por uma vaga de trainee na Whirlpool, a empresa pediu a todos os concorrentes que fizessem uma apresentação de três minutos sobre si.

Em vez de exibir slides, como era esperado, ele usou camisetas, para mostrar como “vestia a camisa” do que acreditava: foi colocando, uma por cima da outra, uniformes da escola, intercâmbio, atlética da faculdade, até chegar na Whirlpool. Foi aprovado.

Fernanda Perrin

Posted in Carreira, Recursos Humanos | Leave a Comment »

Sinais que seu chefe não gosta de você

Posted by HWBlog em 12/09/2015

resiliencia3Todos querem ser amados no ambiente trabalho, especialmente pelos patrões, já que são eles que tomam decisões sobre as promoções e aumentos salariais, avaliam performances e geralmente desempenham um papel significativo na felicidade geral dos empregados.

E, se eles não gostam de você, nem sempre é fácil tentar reverter a situação. “Se o seu chefe não gosta de você, ele provavelmente não vai te dizer isso”, diz Michael Kerr, autor do livro “A vantagem do Humor”. “Os sinais podem ser bastante sutis, mas eles geralmente são fáceis de detectar se você está olhando para eles”, garante.

Lynn Taylor, especialista em ambiente de trabalho, diz que não é preciso ser o melhor amigo do chefe, mas é mais fácil ser criativo e bem-sucedido se o funcionário se sente querido, apoiado e respeitado por seu chefe.

Veja abaixo 17 sinais que mostram que o chefe odeia seu funcionário, segundo Kerr e Taylor.

Pressentimento ruim

Se você sente que seu chefe não gosta de você, pode ser apenas coisa da sua cabeça. Mas também pode ser verdadeiro. Se ele o trata de forma muito diferente do resto das pessoas, você provavelmente não é a pessoa favorita dele. Confie na sua intuição e procure outros sinais caso você tenha um forte sentimento sobre isso.

Fora das grandes decisões

Ao não inclui-lo nas grandes decisões, isso pode indicar que seu chefe não confia em sua opinião. Quando pedem sua contribuição, a mensagem enviada é de que você é valorizado, então não pedir nada pode revelar o recado oposto: “Eu realmente não me importo com o que você pensa”.

Sem contato visual

É difícil para um chefe que está com raiva de você olhar diretamente nos seus olhos. Pode ser indício de que ele tem medo de que você possa ser capaz de detectar a hostilidade dele. Portanto, ele evita o olho no olho ou mesmo ficar perto sempre que possível.

Sem sorrisos

Se o seu chefe fizer um esforço consciente para não sorrir quando você está na sala, algo não está certo.

Faz de tudo para te evitar

Se você perceber que seu chefe só vai pela escada quando você está esperando o elevador, ou se ele monta a agenda de tal forma que ele raramente te encontra, podem ser sinais de que está evitando você.

Ignora a presença

Se seu chefe nunca diz “Bom dia” quando você chega ou “Tenha uma ótima noite” na hora de ir embora, ele pode estar dizendo que ele não gosta de você.

Curto e grosso

Se você perguntar: “Como vai?” e ele sempre responder “Ok” ou “tudo bem”, se nos e-mails ele vai sempre direto ao ponto e nunca começa com um simpático “Olá” ou “Boa tarde” podem ser sinais de que o chefe não é seu maior fã. Ainda mais se ele sempre parece um adolescente mal-humorado.

Linguagem corporal negativa

Se seu chefe está sempre de braços cruzados sobre o peito ou nunca olha para cima da tela do computador quando você entra no escritório, a linguagem corporal do seu chefe revela os verdadeiros sentimentos dele em relação a você.

Conversas só virtuais

Seu chefe se comunica com você principalmente via e-mail, evitando conversas pessoalmente. Assim, se ele não gosta de você, uma mudança em direção a uma comunicação mais virtual pode ser um sinal.

Exclui de projetos e reuniões

Ele nunca te convida para participar de reuniões importantes ou projetos especiais.

Desacordo constante

Se o seu chefe não concorda com nenhuma ideia sua ou com o que você diz, mas não faz o mesmo com os outros, é um sinal de que ele secretamente te odeia.

Conversas só profissionais

Seu chefe nunca pergunta sobre sua vida pessoal ou familiar, só mantém conversas profissionais. Se você perceber que seu chefe fala com todo mundo sobre seus filhos ou hobbies, mas nunca coloca esses assuntos para você, provavelmente não está interessado em ouvir sobre sua vida.

Tarefas que ninguém quer

Se o seu chefe só passa tarefas bem abaixo do seu nível de experiência ou competência, como o chamado “trabalho pesado”, é um sinal de que ele não confia ou não respeita as suas habilidades. Ou pior, que ele está encorajando-o a procurar trabalho em outros lugares.

Sem feedback

Um chefe que quer ajudá-lo a crescer dará sempre feedback para o bem e para o mal. Mas a ausência disso mostra completa indiferença com o desempenho e crescimento futuro como empregado. Ou se o chefe apenas dá feedback negativo, e geralmente em público, é sinal de desrespeito.

Exclui das brincadeiras

Se seu chefe nunca te inclui nas brincadeiras com os demais empregados e você nota que essa prática de fazer piadas ou ter momentos de descontração é costumeira, mas você nunca foi incluído neles, pode ser um sinal de que ele não se importa com você. Brincadeiras podem ser feitas para mostrar que os empregados são parte da equipe.

Louros vão para ele

Seu chefe rouba o crédito de suas ideias para ele. Isso pode acontecer inclusive entre os que gostam dos empregados, mas se ele realmente te odeia, vai detestar a ideia de lhe dar crédito para qualquer ideia ou trabalho.

Paciência curta

Se o seu chefe parece desinteressado no que você tem a dizer ou perde a paciência facilmente enquanto fala com você, ele provavelmente não gosta de você, ainda mais se com os outros ele age de forma oposta.

Posted in Carreira | Leave a Comment »

Por que seu currículo já não vale mais nada

Posted by HWBlog em 15/01/2015

c.vitaeVocê sabia que seu currículo tem cada vez menos valor nesse novo cenário dominado pela internet e pelos meios digitais? Pelo menos, o currículo em seu formato tradicional.

“Como assim?”, você deve estar pensando.

Leonardo da Vinci redigiu o primeiro currículo profissional da história em 1482. De lá pra cá a verdade é que o currículo não mudou muito desde que foi inventado. As folhas de papel ou os modelos existentes hoje na web não refletem nosso mundo altamente digital.

Em que o seu currículo difere dos demais? Você pode estar pensando que o que importa realmente é o conteúdo do currículo e não possíveis diferentes formatos. Tem razão. No entanto, não faz sentido olharmos um pouco além de uma folha de papel ou um simples preenchimento de dados pessoais, educação, objetivos e experiências? Quero que você pense um pouco fora da caixa por um momento e veja o universo de possibilidades que você tem para fazer algo diferente na internet.

Os recrutadores “escaneiam” centenas de currículos diariamente buscando pessoas diferenciadas para trazer valor às suas empresas, colaboradores e clientes. Além de sua formação e experiências profissionais, o que você tem feito para se destacar e ter a chance de apresentar suas ideias e habilidades?

Já pensou em fazer uma carta de apresentação em vídeo, por exemplo? Sim, grave um vídeo (curto) falando um pouco mais sobre você e o que pode oferecer e contribuir para a vaga que está buscando. Não é necessário um estúdio e câmeras profissionais, você mesmo pode gravar um vídeo de seu smartphone. Depois de finalizar, faça o upload no Youtube e pronto! Você já está inovando na forma de se mostrar ao mundo. Use a criatividade, pense na vaga ou na empresa em que você mostrará esse vídeo (pode ser para várias empresas), mas capriche no texto e mostre o porquê você deveria ser contratado.

Tenha um perfil completo no Linkedin. As redes sociais são cada vez mais utilizadas por recrutadores e sem dúvida o Linkedin é a primeira rede social a ser analisada. Se você ainda não tem um perfil lá, faça-o agora mesmo e aproveite para entrar em contato com outros profissionais e empresas. Além disso, essa rede social pode lhe trazer maior visibilidade na internet, uma vez que o Google e outros mecanismos de busca tendem a trazer esses resultados em suas primeiras páginas ao digitar o nome de uma pessoa.

Faça uma apresentação pessoal no Slideshare ou no Prezi. O Slideshare e o Prezi são duas ferramentas fantásticas para inovar na maneira de apresentar seu currículo. O Slideshare é uma apresentação na forma de slides que fica disponível na web e também irá lhe ajudar a ganhar maior visibilidade online. Capriche no layout e faça diferente! O Prezi é uma ferramenta inovadora na forma de apresentação, muito mais interativo e dinâmico. Vale a pena conhecer e verificar se faz sentido se apresentar por lá (de acordo com sua área e objetivos profissionais), pois a ferramenta é muito interessante!

Que tal ter um blog ou site pessoal e postar por lá textos, vídeos ou áudios que façam sentido ao seu mercado e que chamem a atenção de pessoas importantes para você (sejam elas recrutadores, empresários, parceiros de trabalho ou até clientes)?

Atualmente é muito simples montar seu blog ou site pessoal, existem tutoriais na internet completos para isso. É claro que haverá outras estratégias após lançá-lo, mas que tal começar? Dê o primeiro passo agora!

E você? Quais outros formatos poderia utilizar para inovar na forma de se apresentar ao mercado? Existem centenas de outras maneiras. Tenho certeza de que você poderá fazer mais do que apenas utilizar o velho e ultrapassado currículo. É claro que o conteúdo de seu currículo deve chamar a atenção dos recrutadores também, mas ao inovar na forma, você tem mais chances de sair na frente.

Você concorda com isso? Se ainda tem dúvidas, faça um teste. Talvez os resultados não apareçam no curtíssimo prazo, mas acredite: eles poderão surpreendê-lo em muito menos tempo do que você espera.

Posted in Carreira | Leave a Comment »

Que tipo de imbecil é você?

Posted by HWBlog em 08/01/2015

imbecilO fato é que em algum grau, seja ele menor ou maior, todos somos imbecis às vezes. Aceite isso e viva bem consigo mesmo

Sim! O título deste artigo é um pouco forte, mas o fato é que em algum grau, seja ele menor ou maior, às vezes todos somos imbecis. Calma! Sugiro que antes de pensar qualquer coisa, termine de ler este artigo e tire suas próprias conclusões.

Comecei a olhar a palavra imbecil com outros olhos, depois que tive contato com a brilhante análise proposta por Fernando Savater em seu livro “Ética para meu filho”, da Editora Planeta: “imbecil é uma pessoa que precisa de alguém em quem se apoiar, alguém que possa usar como muleta, que possa te auto afirmar e isto é algo muito pessoal e feito por cada um à sua maneira. Logo, acredito que podemos pensar na existência de vários tipos de imbecis e até na ‘imbecilidade personalizada’ – aquela, com um toque pessoal que lhe agrada”.

E não paramos por aí. A imbecilidade humana não atinge somente aspectos referentes a relacionamentos amorosos, ela está inserida também no ambiente de trabalho. Ser imbecil ao extremo significa ser dependente dos outros. Um profissional imbecil é aquele que a todo o momento precisa da aprovação alheia para se desenvolver, ou melhor, para sobreviver no mundo corporativo porque não consegue dar um passo adiante sem precisar de alguém para lhe balançar a cabeça em sinal de aprovação.

Lembre-se: dependência é diferente de autonomia. Pode parecer extremamente óbvio, mas a reflexão que eu trago é a seguinte: nem sempre temos autonomia para desenvolver tudo o que gostaríamos no ambiente de trabalho, no entanto não devemos ser dependentes da aprovação dos outros para nos desenvolvermos como profissionais. Para isso, é preciso ser independente.

É lógico que não somos autossuficientes e disto devemos ter plena consciência, mas depender do outro para tudo é se tornar um imbecil de marca maior, pois a dependência segura trava e impede que você perceba as suas potencialidades.

Para Jorge Bucay, em seu livro – “Quando me conheci”, da Editora Sextante, existe três tipos de imbecis. Resolvi adaptar a teoria ao ambiente de trabalho e o resultado, você confere a seguir:

Os principais tipos de imbecis no ambiente de trabalho

O imbecil intelectual – É aquele que acredita não ser capaz, duvida de seus conhecimentos e até mesmo da própria inteligência. Vive perguntando aos colegas de trabalho: “Como sou? O que devo fazer? Para onde devo ir? O que você faria em meu lugar?”. É aquela pessoa que antes de tomar qualquer decisão, convoca a equipe de “especialistas” para que pense por ele. Como duvida secretamente de sua capacidade intelectual, acredita que não consegue pensar e deposita sua capacidade e baliza suas decisões na opinião alheia – o que pode ser muito perigoso para sua imagem profissional.

O imbecil afetivo – São aquelas pessoas que precisam a todo o momento serem amadas na empresa, querem que alguém lhes diga o tempo todo que é querida, adorada e o quanto são bons naquilo que fazem. Veja bem, todos fazemos isto em algum momento, mas existem pessoas que agem assim o tempo todo, esta é a grande diferença! Um imbecil afetivo normalmente faz tudo para agradar os outros e pode se tornar ou o palhaço ou o carregador de pianos da organização. E por fim, acaba esquecendo de si próprio por causa da dependência e aceitação dos que estão à sua volta.

O imbecil moral – O imbecil moral é aquele que precisa do outro para lhe dizer se está agindo de modo certo ou não. É alguém que precisa que lhe digam o que fazer, como agir e como se comportar. Espelha-se demais no comportamento alheio e acaba virando uma caricatura piorada de si mesmo. Normalmente gruda em alguém para ser o seu guru e se a vítima do imbecil moral não perceber a tempo, pode estar tomando para si um grande problema. Meu conselho, neste caso: se encontrar um imbecil moral à sua frente, fuja, pois no primeiro ato de frustração sua indignação volta-se justamente contra a pessoa que lhe deu a opinião.

Então, qual a melhor saída para não ser um imbecil corporativo?

Acredito que todas as pessoas tem um certo grau de dependência de outras pessoas, até porque se isto não fosse verdade não precisaríamos trabalhar em equipe, pois seriamos autossuficientes. Mas devemos pensar que as outras pessoas também dependem de nós na mesma proporção, tornando, assim, o relacionamento com colegas interdependente. Ou seja: eu dependo de você na mesma medida em que você também depende de mim e, dessa forma, somos uma equipe que trabalha e se desenvolve em conjunto. Isto, no meu ponto de vista, torna as relações mais justas e equilibradas.

Posted in Carreira | Leave a Comment »

O que você precisa ter em mente para atingir seus objetivos

Posted by HWBlog em 06/01/2015

Inovação 6Nem sempre você terá todas as respostas sobre como chegará à realização de seus projetos. Mas tenha isso em mente:

1. Inicie sua jornada mesmo sem ter todas as respostas sobre como chegará à realização de seus projetos. Muitas vezes, fazemos muitas descobertas no meio do caminho.

2. Afaste-se de propostas que firam sua consciência e seus princípios.

3. Tenha coragem de entrar por portas diferentes daquelas que você idealizou originalmente.

4. Nessa viagem, você é o roteirista e protagonista de sua vida. Portanto, não se comporte como figurante de seu próprio filme.

5. Selecione bem os companheiros dessa viagem. Estar mal acompanhado pode levar você por outros caminhos e roteiros dos quais não terá retorno.

6. Seu troféu não vai cair do céu. Vontade de parar e dúvidas farão parte das tempestades que você enfrentará. Não perder de vista o que levou você à jornada é fundamental para ter forças para prosseguir na hora da tempestade.

7. Não se abata com as críticas. Para não levar uma vida corriqueira, é preciso fazer escolhas ousadas e contra o fluxo comum.

8. Inspire-se em vencedores. Admire, copie, inspire-se, aprenda com os erros e, se for possível, aborde-os e pergunte, procure aprender sempre com os que passaram pela mesma jornada e não ficaram pelo caminho.

9. Se for para se comparar, que não seja para ficar se lamentando de forma melancólica. Não caia na armadilha da inveja ou da autopiedade. Se a comparação for inevitável, que seja para encorajar-se e para olhar no espelho e dizer com convicção: eu também sou capaz.

10. A vida é uma só para você ser escravizado pelo medo. A propósito, todos os viajantes sentem medo ao percorrerem terras estranhas. Uns se acovardam e acabam não saindo do próprio quintal. Outros encorajam-se por saberem que, ao ficarem parados, de fato, não correm o risco de viver na mediocridade, porque isso será uma certeza tanto quanto 1 + 1 = 2. Logo, entre a certeza da mediocridade e o risco de sair em busca de seu próprio caminho, com essa nova percepção, o risco deixa de ser um problema, mas sim uma possibilidade, e acaba se transformando numa oportunidade.

Posted in Carreira | 1 Comment »