PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    maio 2012
    D S T Q Q S S
    « abr   jun »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  

Archive for 7 de maio de 2012

Revolução Industrial 3.0

Posted by HWBlog em 07/05/2012

Há pouco mais de um ano, visitei uma fábrica inteiramente robotizada, sem operários, na Coreia do Sul. Dedicada à produção dos mais modernos displays e monitores de televisores, essa unidade fabril não emprega nenhum trabalhador na área de manufatura: conta apenas com uma dúzia de supervisores de qualidade e software.

Essa terceira revolução industrial, aliás, foi tema de magnífica reportagem de capa da revista britânica The Economist, há pouco mais de uma semana. Ao longo de 14 páginas, o jornalista Paul Markillie nos mostra com rara precisão o que são hoje as mais modernas indústrias manufatureiras.

Na fábrica de 2012, quase tudo é automatizado e digital, graças à convergência de poderosas tecnologias, de software inteligente, novos materiais, milhares de computadores, robôs habilidosos, impressoras 3D, processos de realidade virtual e até simuladores de voo. É claro que, vez ou outra, podemos encontrar, como espécies em extinção, máquinas e ferramentas típicas da segunda revolução industrial, como furadeiras, prensas, lixadeiras, tornos e fresas convencionais.

Para quem não tenha visitado fábricas modernas nos últimos anos, a visão de uma dessas indústrias do século 21 produz verdadeiro choque, em particular, nas áreas automotiva e aeronáutica. Reflitamos um pouco mais sobre esse cenário.

Informatização

Muitas fábricas modernas assemelham-se a laboratórios de informática, pois, como diz a revista, “a maioria dos operadores, homem e mulheres, senta-se diante de telas de computadores. Em lugar nenhum você encontrará um martelo”.

Um exemplo desse avanço são as impressoras 3D, máquinas que reproduzem peças de alta complexidade, apenas por deposição de material sobre um modelo virtual, controlado por computador. Como cidadão comum, contemplo, incrédulo, o trabalho dessas máquinas capazes de reproduzir, com precisão, peças, objetos ou réplicas de esculturas célebres.

A impressão 3D, entretanto, ainda está na infância e não serve para fabricar equipamentos mais complexos. Mas, com ela já se fazem, por exemplo, joias, sapatos e fones de ouvido, um a um, sob medida.

Novos paradigmas

Novas técnicas permitem que a indústria produza objetos minúsculos com muito maior precisão e segurança. A nanotecnologia começa a participar do dia a dia da produção dos dispositivos mais avançados. Como diz a revista inglesa, os novos materiais são mais leves, mais fortes e mais duráveis do que os antigos. A fibra de carbono está substituindo o aço e o alumínio numa gama de produtos que vai do avião às mountain bikes.

Ethevaldo Siqueira: Autor

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

3.0 Industrial Revolution

Just over a year, I visited a factory entirely robotic, without workers in South Korea Dedicated to the production of the most modern displays and monitors, televisions, this plant does not employ any workers in the manufacturing field, has only a dozen supervisors and quality software.

This third industrial revolution, incidentally, was the subject of magnificent cover story of the British magazine The Economist, a little over a week. Over 14 pages, journalist Paul Markillie shows with rare precision what are today the most modern manufacturing industries.

At the factory in 2012, almost everything is automated, digital, thanks to the convergence of powerful technologies, intelligent software, new materials, thousands of computers, robots skilled, 3D printers, processes, and even virtual reality flight simulators. Of course, occasionally, we can find, such as endangered species, machines and tools typical of the second industrial revolution, such as drills, presses, grinders, lathes and conventional cutters.

For those who have not visited modern factories in recent years, the vision of a 21st century these industries produce real shock, particularly in the automotive and aeronautics. Let us reflect a little more about this scenario.

Computerization

Many factories resemble modern computer labs, because, as the magazine says, “most operators, men and women, sitting in front of computer screens. Nowhere you will find a hammer. ”

An example of this progress are the 3D printers, machines that reproduce parts of high complexity, only by deposition of material on a virtual model, computer controlled. As a citizen, I look in disbelief, the work of these machines are able to reproduce accurately, parts, objects or replicas of famous sculptures.

The 3D printing, however, still in its infancy and is not intended to manufacture more complex equipment. But with it already being made, for example, jewelry, shoes and headphones, one by one size.

New paradigms

New techniques allow the industry to produce tiny objects with far greater accuracy and safety. Nanotechnology begins to participate in the daily production of more advanced devices. As the British magazine, new materials are lighter, stronger and more durable than the old. Carbon fiber is replacing steel and aluminum in a range of products ranging from airplane to mountain bikes.

Posted in Artigos, Tecnologias | Leave a Comment »