PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    agosto 2017
    D S T Q Q S S
    « jul    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031  

Archive for the ‘Tecnologias’ Category

Inteligência artificial é a nova febre em empresas

Posted by HWBlog em 29/09/2016

inteligncia_artificial_contra_a_obesidadeEste é o ano em que a inteligência artificial amadureceu para alguns dos principais ramos da economia, ao menos enquanto recurso de marketing. A Salesforce, que oferece software online para vendas, anunciou que acrescentaria inteligência artificial aos seus produtos. Seu sistema, chamado Einstein, promete vislumbrar as melhores tendências de vendas que as empresas devem seguir e apontar quais são os próximos produtos a ser desenvolvidos.

A Salesforce se antecipou à Oracle, maior empresa de software empresarial do mundo. Entre os principais recursos novos do software da Oracle estão análise em tempo real de imensos volumes de dados.

Em outros segmentos, a General Electric está promovendo seu negócio de inteligência artificial, com um software chamado Predix. A IBM tem mostrado sua tecnologia, o Watson, conversando com Bob Dylan. Essas jogadas, acompanhadas de projetos similares na maioria das demais empresas de tecnologia e consultoria, representam anos de trabalho e bilhões em investimentos.

Há grandes avanços em inteligência artificial em agricultura, manufatura e aviação, entre outras áreas. Tudo é muito animador, como ocorre com as grandes possibilidades, e não faltam os slogans e termos do momento. Mas será que as empresas enxergarão nisso algum valor ou compreenderão como a inteligência artificial pode ser valiosa para elas?

“Ninguém sabe ao certo como usar isso para agregar o máximo valor”, disse Marc Benioff, cofundador e diretor executivo da Salesforce. “Creio que, no momento, a ideia é ajudar as pessoas a fazerem aquilo em que são boas, delegando mais tarefas às máquinas.”

Benioff se refere ao valor da inteligência artificial no longo prazo. A tecnologia passa por uma fase já conhecida: é estranha e nova, podendo às vezes prometer mais do que é capaz de cumprir e voltando-se para usos que não foram previstos.

Ciência. Oculta em expressões como aprendizado profundo e inteligência de máquinas, a inteligência artificial é essencialmente uma série de exercícios avançados com base em estatística que analisam o passado para indicar o futuro provável ou observar escolhas anteriores do consumidor para descobrir onde se deve investir mais ou menos energia. Isso representa uma oportunidade, que muitas empresas receiam ficar de fora.

Boa parte da explosão atual da tecnologia remonta a 2006, quando a Amazon começou a vender poder de processamento barato na internet. Naquele mesmo ano, Google e Yahoo divulgaram métodos estatísticos para lidar com o incalculável volume de dados do comportamento humano. Em 2007, a Apple lançou o primeiro iPhone, dispositivo que deu início a uma explosão na coleta de volumes incalculáveis de dados.

Subitamente, antigos experimentos com inteligência artificial se tornaram relevantes e surgiu o dinheiro necessário para o desenvolvimento de novos algoritmos. Dez anos mais tarde, a computação é hoje mais barata do que nunca. Além disso, as empresas vivem online e os sensores coletam um vasto volume de dados.

Experimento. O medo de ver um concorrente se dar bem com inteligência artificial antes é motivação de sobra para que algumas empresas experimentem novidades nesse campo.

A Salesforce está vendendo o Einstein como sistema capaz de usar a magia da previsão sem a necessidade de analisar seus dados, numa jogada que Benioff descreve como “democratizante” e capaz de criar milhões de usuários fora da comunidade dos engenheiros.

“Há o medo de entregar ao Google e à Microsoft o controle de tudo, mas, ao mesmo tempo, existe o desejo de aplicar a inteligência artificial a tudo que é digital”, diz Michael Biltz, diretor de visão tecnológica da consultoria Accenture.

Ainda é cedo para saber se a inteligência artificial chegou para ficar. Uma tecnologia atinge a maturidade verdadeira quando desaparece. Podemos falar em “telefone”, mas estamos nos referindo a um computador de mão com poder de processamento digno da Nasa.

A inteligência artificial está provavelmente destinada a algo semelhante: com ela, as empresas poderão analisar imensos volumes de dados, em tempo real. Quando chegarem a esse objetivo, ninguém poderá imaginar qual será a nova e estranha febre tecnológica que surgirá.

Posted in Tecnologias | Leave a Comment »

Como usar o Snapchat para promover a sua empresa

Posted by HWBlog em 18/07/2016

snapchatSe você ainda não usa o Snapchat, atente-se. É mais uma rede social que está se tornando a queridinha da vez por webcelebridades, formadores de opinião, veículos de comunicação, organizadores de eventos e shows, etc. Apesar do crescimento de usuários que a ferramenta vem contabilizando nos últimos meses, a adesão do “mundo corporativo” ao app ainda é muito baixa, principalmente no Brasil.

Para a especialista em Marketing Digital, Ana Tex, esse “bloqueio” das grandes corporações ao Snapchat pode estar ligado à informalidade que o aplicativo tem. “É uma inovação. Fato. Qualquer novidade nesse mercado deixa as empresas receosas. Além disso, é uma rede social informal e muitas companhias não estão preparadas para lidar com esse tipo de linguagem”, afirmou.

Os idealizadores do Snapchat já afirmaram uma vez que o aplicativo foi pensado para usuários comuns, deixando o corporativo de lado. Mas com o crescimento de “snapchaters”, as empresas viram na ferramenta um excelente canal de promoção e divulgação de seus produtos. O mais perto do “business” que o Snapchat conseguiu chegar até agora foi o “Discover”, uma área dedicada a veículos de comunicação como, National Geographic, People, CNN, MTV, entre outros. Mas ali são postadas algumas notícias ou algum conteúdo especifico destes canais, sem interação nenhuma com o usuário.

Ana afirma que a empresa que deseja ter um bom conteúdo publicado no Snapchat deve ter em seu DNA a inovação. “Existe aspectos positivos e negativos. Dá para ver que viu a sua foto ou vídeo ou quem deu print na tela, demonstrando assim algum tipo de interesse na mensagem. Por outro lado, o Snapchat é pouco intuitivo em relação às outras redes sociais. Não dá para fazer anúncios e não tem como ter um grande controle dos seus seguidores”, comentou.

Uma das primeiras empresas a testar o Snapchat foi a Colcci, durante uma ação do São Paulo Fashion Week. A marca de roupas preparou diversos posts especiais com conteúdos exclusivos para a plataforma, incluindo “flashes” do que estava sendo preparado para o SPFW. Além disso, a Colcci fez cliques direto dos bastidores e da sala de desfile para mostrar sua participação no maior evento de moda do Brasil.

“A fama de que o Snapchat é uma rede social para jovens está mudando bastante. Muitos formadores de opinião, personalidades, empresários, médicos e empreendedores em geral já são bastante ativos e com um grande número de seguidores”, destaca Ana.

Mas quais ações de marketing uma empresa/marca pode desenvolver no Snapchat para se promover? “Mostre bastidores, mostre o dia a dia da empresa ou do empresário, algo mais informal. O vídeo de dez segundos por si só já traz bastante informalidade. Coloque links para que as pessoas possam dar prints e procurar mais informações sobre o seu post fora do Snapchat”, completou

Posted in Tecnologias | Leave a Comment »

10 apps essenciais para os negócios

Posted by HWBlog em 08/11/2013

apps1Confira os apps essenciais para os negócios segundo uma pesquisa feita com diversos empreendedores.

Confira abaixo::

Pivotal Tracker
Disponível em: iOS
Preço: O download do app é gratuito, mas a contratação do serviço varia entre 7 e 175 dólares por mês.
Descrição: O Pivotal Tracker tem como objetivo ajudar os times de tecnologia no monitoramento do progresso dos seus projetos. De acordo com a pesquisa, o interessante deste app é o fato de ele oferecer visões micro e macro de tudo o que está em desenvolvimento. No fim do dia, temos uma linha do tempo que mostra até quanto tempo falta para a entrega daquele projeto.

Sprout Social
Disponível em: iOS e Android
Preço: O download do app é gratuito, mas a contratação do serviço varia entre 39 e 99 dólares por mês.
Descrição: Este app é usado pela equipe de marketing para o gerenciamento das redes sociais nas quais a empresa está. O destaque do Sprout Social é o fato de ele informar detalhes sobre a movimentação do perfil como, por exemplo, de onde vêm os usuários. Consegue agendar conteúdos e, no final da semana, podemos ter um relatório sobre o nosso desempenho.

Evernote Business
Disponível em: iOS e Android
Preço: O download do app Evernote é gratuito, mas o serviço Business custa 20 reais mensais por usuário
Descrição: As funções do Evernote Business são aproveitáveis, praticamente, em todas as áreas da empresa, do marketing à tecnologia, passando até pelo financeiro. O app conta com funções que permitem o compartilhamento de documentos entre diferentes usuários e também a busca em arquivos em PDF e imagens. Ele ajuda a otimizar a produtividade interna da empresa.

Trello
Disponível em: iOS e Android
Preço: Gratuito
Descrição: Este aplicativo transforma a tela do seu smartphone em uma espécie de mural, no qual é possível organizar as suas tarefas em cartões virtuais. O Trello permite que a equipe saiba quem é a pessoa responsável pela execução daquela tarefa e quais serão os próximos passos. Tudo o que é feito no app é automaticamente sincronizado com outros dispositivos.

Klout
Disponível em: iOS e Android
Preço: Gratuito
Descrição: Este app tem como objetivo medir o grau de influência que um perfil tem nas redes sociais. A análise leva em conta fatores como número de curtidas no Facebook ou retuítes no Twitter.

Dial4me
Disponível em: iOS e Android
Preço: Gratuito
Descrição: Para empreendedores que estão sempre na estrada, um app VoIP que pode facilitar a comunicação com sua equipe é o Dial4me. Pode ser usado em viagens internacionais, pois ele torna mais baratas as ligações feitas e recebidas fora do Brasil. Além de ligações, é possível também enviar mensagens de texto.

Remote
Disponível em: iOS
Preço: Gratuito
Descrição: Empreendedores usuários de dispositivos da Apple podem aproveitar o app Remote para transformar o seu iPhone, por exemplo, em um controle remoto. “Quando estou em evento ou apresentação, às vezes não tenho como conectar um mouse, então uso o app como ferramenta para tal”, explica Lopes.

Basecamp
Disponível em: iOS
Preço: O download do app é gratuito, mas a contratação do serviço tem preços que varia de acordo com a abrangência do plano.
Descrição: O Basecamp pode ser usado por toda a equipe da empresa, pois ajuda no desenvolvimento e gerenciamento de projetos. Se um membro precisar de alguma tarefa específica de alguém em outro setor, poderá colocar no Basecamp, onde todos visualizarão a demanda em tempo real.

Clockwork Tomato
Disponível em: Android
Preço: Gratuito
Descrição: Este app é usado especificamente pela equipe de desenvolvimento da empresa e é um método que tem como objetivo aumentar a produtividade. Ele divide as tarefas em períodos de 25 minutos, separados por intervalos curtos.
Esta técnica, conhecida como “pomodoro”, foi elaborada pelo italiano Francesco Cirillo nos anos 80 e tem como base a premissa de que pequenos intervalos são capazes de aumentar a agilidade e produtividade de uma pessoa. Usuários de iPhone podem ter os mesmos recurso no app gratuito It’s Focus Time, que também está disponível na web.

CardMunch
Disponível em: iOS
Preço: Gratuito
Descrição: Para quem troca muitos cartões, o CardMunch é essencial. O app captura uma imagem do cartão de visita da pessoa e verifica então qual é o seu perfil na rede social profissional, mostrando ainda as conexões compartilhadas.
Ele ainda permite que você salve o contato na agenda do smartphone. Este app, contudo, não está disponível na App Store brasileira. Portanto, para fazer o seu download é necessário ter uma conta nos Estados Unidos, por exemplo.

Posted in Internet, Tecnologias | Leave a Comment »

Como as universidades acompanham as tendências da internet?

Posted by HWBlog em 29/01/2013

como as universidadesO mundo digital é extremamente dinâmico.

A cada dia, novidades brotam no mundo digital o que torna mais difícil para que as pessoas assimilem todas as inovações, em muitos casos, quando já estamos entendendo uma determinada ferramenta, aparece outra e depois outra que logo cai no gosto popular e é preciso saber mexer. Uns para uso comum, outros para ganhar dinheiro com as redes.

Uma forma de entender a dinâmica dessas novidades e tendências da Internet é buscar cursos de curta, média ou longa duração para ver na teoria e prática como as redes funcionam.

Aqueles que desejam saber como usar a rede para se divertir, não vão procurar cursos profissionalizantes, entretanto, aqueles que atuam com comunicação e marketing e que desejam construir carreiras na área de internet, já entenderam que quanto mais estudarem mais capacitados estarão.

A partir do momento em que as pessoas buscam escolas para cursos de curta ou média duração, ou mesmo os cursos de longa duração como MBA e pós-graduação, eles precisam se sentir seguros que o dinheiro investido trará um retorno básico: Conhecimento.

E esse conhecimento é passado pelo corpo docente dos cursos, por isso, as universidades estão cada vez mais exigindo que os professores estejam antenados em tudo o que acontece no mundo digital, pois em aula, eles serão constantemente testados pelos alunos.   Como fazer uma campanha no Pinterest? Como a marca XYZ deveria ter gerido uma crise? Como fazer uma ação de mídia no Facebook? Se o professor disser “não sei” toda a credibilidade da faculdade pode ir por água abaixo. Nem sempre o professor saberá responder, mas pelo menos 90% das perguntas devem ser respondidas em aula. Os outros 10% que seja respondido em um ou dois dias depois da aula.

Para evitar essa falta de estudos e aprimoramento, as universidades têm optado em contratar profissionais do mercado como docentes, dessa forma, se garante que o professor não será apenas teórico e sim prático, pois ele vai passar em aula seu dia-a-dia. Cada vez mais, os alunos querem saber o “como fazer”.   Por força do dia-a-dia nas agências, empresas ou veículos, os profissionais são obrigados a estarem antenados em tudo ou se tornam obsoletos na trabalho e serão, fatalmente, trocados por outros colaboradores mais qualificados.

– Felipe Morais

As universities follow the trends of the internet?

The digital world is extremely dynamic.

Every day, new sprout in the digital world which makes it more difficult for people to assimilate all the innovations in many cases, when we are already understanding a particular tool, then another and another appears that soon falls in popular taste and you need to know stir. A common use for, to make money with other networks.

One way to understand the dynamics of these innovations and trends of the Internet is to seek courses of short, medium or long term to see in theory and practice how networks work.

Those who wish to learn how to use the network for fun, will not seek professional courses, however, those who work with communication and marketing and who want to build careers in the internet, have realized that the more they will be able to study more.

From the moment in which people seek schools for short or medium term, or even long-term courses like MBA and graduate, they need to feel confident that the money invested will bring a return to basics: Knowledge. And this knowledge is passed by the faculty of the courses, so universities are increasingly requiring that teachers are versed in everything that happens in the digital world as in the classroom, they will be constantly tested by students.

How to make a campaign in Pinterest? As the brand XYZ should have managed a crisis? How to make an action media on Facebook? If the teacher says “do not know” all credibility college can go awry. Not always the teacher know how to answer, but at least 90% of the questions must be answered in class. The other 10% to be answered in a day or two after school.

To avoid this lack of study and improvement, universities have opted to hire market professionals as teachers, thus, ensures that if the teacher is not only theoretical but practical, because he will pass on your class day-to-day. Increasingly, students want to know “how to”.

Under the day-to-day agencies, businesses or vehicles, professionals are required to be tuned at all or become obsolete in the work and will, inevitably, exchanged for other qualified employees more.

Posted in Internet, Tecnologias, Treinamento | Leave a Comment »

Sete tecnologias corporativas que vão naufragar em 2013

Posted by HWBlog em 21/12/2012

tecnologias 2013Chame-os de “as maiores falhas do mercado tecnológico”. Em 2013, algumas tecnologias vão desaparecer em um abismo e suspirar antes de finalmente morrer. Para executivos de TI que procuram fazer planos de contingência e aprovar orçamentos, essas são as tecnologias a se evitar.

1. Aplicações legadas

Relato: Gartner diz que SaaS agora está substituindo e expandindo aplicações legadas

Isso significa não ter que executar ou manter apps legados em um centro de dados. Você ainda pode depender de aplicações legadas, mas não irá executá-las da mesma maneira ou gerenciá-las em seus próprios data centers.

2. Aplicações móveis

Os mais brilhantes pensadores da tecnologia tem previsto o fim dos apps há algum tempo. Doug Pepper, da InterWest Partners, empresa de capital de risco, diz que os aplicativos se transformarão em agentes inteligentes que sabem sobre nossas preferências, localização, hora do dia e até mesmo nossa agenda.

Análise: Aplicativos Mobile: App vs App Nativo

Não precisaremos mais de um aplicativo de clima e tempo, ou até mesmo um widget. Em vez disso, o telefone irá personalizar a tela inicial para fornecer apenas os dados que precisamos com base em nossas próprias personalizações. Isso significa não ter de gerir centenas de aplicativos.

3. As tradicionais aréas de trabalho

Este é um paradigma interessante que pode exigir alguns ajustes em nosso pensamento. Hoje, seu PC desktop é o lugar onde você guarda aplicativos e fotos de seus filhos. Ao longo dos últimos anos, no entanto, dispositivos como o Google Chromebox mostraram quão antiquado um desktop é. (O Chromebox tem apenas um navegador. E nenhuma área de trabalho.)

Notícia: Windows 8 não traz boas vendas para PCs de consumo

Piriano, da ScienceLogic, diz que o desktop irá morrer em 2013, com as empresas cada vez mais se deslocando para uma área de trabalho virtual na nuvem .

4. Smartphones BlackBerry

Previsões sobre a morte iminente do smartphone BlackBerry já rodam por aí há mais de um ano. Atrasos constantes nas atualizações do sistema operacional e gerenciamento do volume de negócios são apenas parte do problema.

Análise: Novos dispositivos BlackBerry 10 impressionam, mas eles podem salvar a RIM?

A real questão: funcionários querem um celular de consumidor que possam usar no trabalho. Estamos conectados 24 horas por dia, 7 dias da semana, então ter um aparelho da empresa onde não é possível jogar Angry Birds não faz mais sentido.

5. Windows Phone

Android e iPhone ganharam, e, em 2013, a Microsoft finalmente decide desistir do Windows Phone. Por mais que a plataforma combine com o Windows 8 e os tablets Surface, o interesse do consumidor não está nem perto de relevante. A IDC espera que o Windows Phone tenha uma fatia de mercado de 11%  em 2016, enquanto a Ovum sugere uma participação de 13% em 2017, mas há poucos sinais de que os usuários do Android e do iPhone estão prontos para a mudança.

Blog: Windows Phone pode superar BlackBerry, mas isso importa?

Das 40 pessoas que eu conheci em uma recente conferência de tecnologia, poucas tinham um Android, o resto tinha iPhone e nenhuma um Windows Phone. Se os early adopters desistirem da plataforma, o que vai restar?

6. Private Branch Exchange (PBX)

O telefone de mesa em seu espaço de trabalho pode estar nas últimas. Adam Hartung, da consultoria  Spark Partners, diz que a maior falha de tecnologia em 2013 será o tradicional sistema corporativo de PBX.

Estudo de Caso: Implementando VoIP: Lições aprendidas ao tentar matar o PBX

O problema é que os custos crescentes e taxas de manutenção parecem cada vez menos atraente para as empresas, especialmente quando os funcionários começaram a trazer seus próprios gadgets para o trabalho e os utilizam exclusivamente. “Os funcionários estão felizes em trazer seu próprio telefone”, diz Hartung. “As empresas só precisam saber como coletar e gerenciar as conexões.”

7. Máquinas de fax

A máquina de fax finalmente morrerão no próximo ano, diz Keval Desai, um sócio da InterWest. Nós todos sabemos que fax é um sinal de uma outra época, quando os nossos dados fluiam através de linhas telefônicas. Novos serviços, como o Adobe EchoSign, oferecem uma maneira para que advogados, agentes de seguros e seu agente imobiliário obtenham uma assinatura digital verificável e transmitam contratos legais com autenticação completa.

Concordam com o autor do artigo?

– John Brandon, CIO/EUA

Seven enterprise technologies that will sink in 2013

Call them “the greatest failures of the technology market.” In 2013, some technologies will disappear into an abyss and sigh before finally dying. For IT executives seeking to make contingency plans and approve budgets, these technologies are to be avoided.

1. Legacy applications

Report: Gartner says that SaaS is now expanding and replacing legacy applications

This means not having to run legacy apps or maintain in a data center. You can still rely on legacy applications, but will not run them the same way or manage them in their own data centers.

2. Mobile Applications

The brightest thinkers in technology has predicted the end of the apps for some time. Doug Pepper of InterWest Partners, a venture capital firm, says that applications will become intelligent agents that know about our preferences, location, time of day and even our agenda.

Analysis: Mobile Apps: Native App vs. App

We will not need more than one application of climate and weather, or even a widget. Instead, the phone will customize the home screen to provide only the data we need based on our own customizations. This means not having to manage hundreds of applications.

3. The traditional areas of work

This is an interesting paradigm that may require some adjustments in our thinking. Today, your desktop PC is the place where you keep applications and photos of their children. Over recent years, however, devices such as Google Chromebox shown how a desktop is fashioned. (The Chromebox has only a browser. And no desktop.)

News: Windows 8 does not bring good sales for consumer PCs

Piriano of ScienceLogic, says the desktop will die in 2013, with companies increasingly moving to a virtual desktop in the cloud.

4. BlackBerry Smartphones

Predictions about the imminent death of the BlackBerry smartphone already run around for over a year. Constant delays in updates of the operating system and management turnover are only part of the problem.

Analysis: New BlackBerry 10 devices are impressive, but they can save RIM?

The real issue: employees want a phone that consumer can use at work. We are connected 24 hours a day, 7 days a week, so having an appliance company where you can not play Angry Birds no longer makes sense.

5. Windows Phone

Android and iPhone won, and in 2013, Microsoft finally decides to give up on Windows Phone. As much as the platform matches the Windows 8 tablets and Surface, consumer interest is not even close to relevant. IDC expects Windows Phone has a market share of 11% in 2016, while Ovum suggests a participation of 13% in 2017, but there are few signs that Android users and iPhone are ready for change.

Blog: Windows Phone can surpass BlackBerry, but does it matter?

Of the 40 people I met at a recent technology conference, few had an Android, iPhone and the rest had no a Windows Phone. If the early adopters of the platform give up, what will be left?

6. Private Branch Exchange (PBX)

The desk phone in your workspace may be the last. Adam Hartung, consultancy Spark Partners, says that the biggest flaw of technology in 2013 will be the traditional corporate PBX system.

Case Study: Implementing VoIP: Lessons learned while trying to kill the PBX

The problem is that rising costs and maintenance fees seem increasingly less attractive for companies, especially when employees began to bring their own gadgets for work and use them exclusively. “The staff are happy to bring your own phone,” says Hartung. “Companies just need to know how to collect and manage the connections.”

7. Fax machines

The fax machine finally die next year, says Keval Desai, a partner at InterWest. We all know that fax is a sign of another era, when our data flowed through telephone lines. New services, such as Adobe EchoSign, offer a way for attorneys, insurance agents and their real estate agent obtain a digital signature verifiable and transmit legal contracts with full authentication.

Agree with the article’s author?

Posted in Tecnologias | Leave a Comment »

HP apresenta tablet corporativo com tela de 10.1″ e Windows 8

Posted by HWBlog em 01/10/2012

HP apresenta tablet corporativo com tela de 10.1″ e Windows 8

Batizado de ElitePad 900, aparelho tem processador Intel, pesa 690 gramas e roda o Windows 8 Pro. Produto chega ao Brasil em 2013.

A HP anunciou nesta segunda-feira o lançamento do HP ElitePad 900, seu primeiro tablet com o Windows 8. Voltado ao mercado corporativo, o aparelho alia um design atraente, fino e leve (9,2 mm de espessura e 690 gramas), com longa autonomia de bateria e total compatibilidade com todos os aplicativos Windows 7 já existentes.

O coração do ElitePad 900 é um processador Intel Atom dual-core, da família Clovertrail, rodando a 1.8 GHz e acompanhado por 2 GB de RAM. A memória interna é de 32 ou 64 GB, expansível com cartões microSD. A tela de 10.1 polegadas tem resolução de 1280×800 pixels, e é coberta por um painel de Gorilla Glass 2.

Há uma câmera traseira de 8 MP para fotos, e outra frontal para videochamadas, capaz de gravar imagens em Full HD (1080p). O tablet é bem servido no quesito conectividade: tem interface Wi-Fi 802.11 a/b/g/n, Bluetooth 4, NFC e é compatível com redes 3G HSPA+, com modem interno. Também há GPS.

Para adequar o aparelho às necessidades de quaisquer clientes, a HP ressucitou um sistema de expansão que já foi usado nos antigos PDAs iPAQ, da Compaq: capas (Jackets) que agregam novos recursos. A Expansion Jacket, por exemplo, acrescenta porta USB, saída HDMI e aumenta a autonomia de bateria. A Rugged Jacket protege o aparelho contra impactos e poeira, e a Productivity Jacket adiciona teclado e leitor de cartões, além de portas extras, como na dock com teclado do EeePad Transformer, da ASUS. Também haverá uma Docking Station para facilitar a conexão do ElitePad 900 a teclado, mouses e monitores externos, transformando-o “de fato” em um PC.

Compatibilidade e gerenciamento

O HP ElitePad 900 roda o Windows 8 Pro. Com isso é compatível com todos os aplicativos e drivers já desenvolvidos para versões anteriores do Windows, e além da nova interface Metro traz um ambiente desktop completo. Usuários podem ter o “melhor dos dois mundos”, rodando aplicativos otimizados para o novo sistema em uma máquina com uma tela sensível ao toque e mantendo seus aplicativos legados num ambiente desktop, com teclado e mouse, sem necessidade de atualização do software ou retreinamento dos usuários.

O aparelho tem garantia limitada de um ano (expansível a cinco anos) e conta com o HP Global Series Support. Também é compatível com ferramentas de segurança como o HP BIOS Protection, Security Manager e HP Drive Encryption, e pode ser gerenciado por ferramentas como o LANDesk Management Suite, que permite localizar e até mesmo apagar remotamente o dispositivo.

O HP ElitePad 900 chega ao mercado no Brasil no início de 2013. O preço ainda não foi definido.

HP ElitePad 900 “http://www.youtube.com/embed/xzWbwpEzfEI

PC World, Magazine

HP offers enterprise tablet screen with 10.1 “and Windows 8

Called ElitePad 900, unit has Intel, weighs 690 grams and runs Windows 8 Pro Product arrives in Brazil in 2013.

HP announced on Monday the launch of HP ElitePad 900, its first tablet with Windows 8. Aimed at the corporate market, the device combines an attractive design, slim and lightweight (9.2 mm thick and 690 grams), with long battery life and total compatibility with all existing Windows 7 applications.

The heart of ElitePad 900 is an Intel Atom dual-core, family Clovertrail, running at 1.8 GHz and accompanied by 2GB of RAM. The internal memory is 32 or 64 GB, expandable with microSD cards. The 10.1-inch screen has a resolution of 1280×800 pixels, and is covered by a panel of Gorilla Glass 2.

There is a 8 MP rear camera for photos and video calls to other front, capable of recording images in Full HD (1080p). The tablet is well connected in the category connectivity: interface has Wi-Fi 802.11 a / b / g / n, Bluetooth 4, and NFC is compatible with 3G HSPA + with internal modem. Also there GPS.

To suit the needs of any appliance customers, HP resurrected a system expansion that was previously used in the old iPAQ PDAs, Compaq: Covers (Jackets) that add new features. The Expansion Jacket, for example, adds USB port, HDMI output and increases battery life. The Rugged Jacket protects the device against impact, dust and Productivity Jacket adds keyboard and card reader, plus extra ports, like the keyboard dock with the EeePad Transformer, ASUS. Also there will be a Docking Station for easy connection ElitePad 900 to keyboard, mouse and external monitors, making it “really” on a PC.

Compatibility and Management

The HP ElitePad 900 runs Windows 8 Pro This is compatible with all applications and drivers already developed for previous versions of Windows, and besides the new Metro interface brings a full desktop environment. Users can have the “best of both worlds,” running applications optimized for the new system on a machine with a touch screen and keeping their legacy applications in a desktop environment, with keyboard and mouse, no need to upgrade software or retraining of users.

The unit has one-year limited warranty (expandable to five years) and has the HP Global Support Series. It is also compatible with security tools such as HP BIOS Protection, Security Manager and HP Drive Encryption, and can be managed by tools such as LANDesk Management Suite, which lets you locate and even remotely wipe the device.

The HP ElitePad 900 hits the market in Brazil in early 2013. The price has not been set.

Posted in Tecnologias | Leave a Comment »

O WOB 2012: Congresso mundial de Inovação com foco em Design, Tecnologia e Novas Mídias

Posted by HWBlog em 05/09/2012

O WOB 2012, Congresso Mundial de Inovação com foco em Design, Tecnologia e Novas Mídias, reunirá mais de 3.000 participantes e 80 palestrantes, nacionais e internacionais, que se apresentarão para o público em formatos diferenciados.

Alguns temas que serão abordados:

Espaço Inovação e Negócios: Consumer Experience Design, por Brian Dyches; Mobile e Web: existe essa fronteira?, por Leo Xavier; Blind to consumers, por Jürgen Klaric, entre outros.

Espaço Design e Marketing: Design thinking ou design doing, por Luis Arnal; O Design na era da economia criativa, por Lincoln Seragini; e Psicologia aplicada às mídias sociais, por Vinícius Theodoro (Agência Frog).

Espaço Tecnologia e E-Commerce: E-Commerce não é mágica, por Rafael Esberard(Hubee); E-commerce: a experiência com grandes cases aplicada às PMEs, por João Machado(Ideais); Workshops sobre Cloud Computing e Green IT(Exin).

Além disso, o congresso contará com outros ambientes de interação, tais como sala FGV (Inovação e Marketing Digital), Sala Startups/Tendências e Sala Web Developers.

http://wob2012.com.br/

Posted in Inovação, Tecnologias, Treinamento | Leave a Comment »

Revolução Industrial 3.0

Posted by HWBlog em 07/05/2012

Há pouco mais de um ano, visitei uma fábrica inteiramente robotizada, sem operários, na Coreia do Sul. Dedicada à produção dos mais modernos displays e monitores de televisores, essa unidade fabril não emprega nenhum trabalhador na área de manufatura: conta apenas com uma dúzia de supervisores de qualidade e software.

Essa terceira revolução industrial, aliás, foi tema de magnífica reportagem de capa da revista britânica The Economist, há pouco mais de uma semana. Ao longo de 14 páginas, o jornalista Paul Markillie nos mostra com rara precisão o que são hoje as mais modernas indústrias manufatureiras.

Na fábrica de 2012, quase tudo é automatizado e digital, graças à convergência de poderosas tecnologias, de software inteligente, novos materiais, milhares de computadores, robôs habilidosos, impressoras 3D, processos de realidade virtual e até simuladores de voo. É claro que, vez ou outra, podemos encontrar, como espécies em extinção, máquinas e ferramentas típicas da segunda revolução industrial, como furadeiras, prensas, lixadeiras, tornos e fresas convencionais.

Para quem não tenha visitado fábricas modernas nos últimos anos, a visão de uma dessas indústrias do século 21 produz verdadeiro choque, em particular, nas áreas automotiva e aeronáutica. Reflitamos um pouco mais sobre esse cenário.

Informatização

Muitas fábricas modernas assemelham-se a laboratórios de informática, pois, como diz a revista, “a maioria dos operadores, homem e mulheres, senta-se diante de telas de computadores. Em lugar nenhum você encontrará um martelo”.

Um exemplo desse avanço são as impressoras 3D, máquinas que reproduzem peças de alta complexidade, apenas por deposição de material sobre um modelo virtual, controlado por computador. Como cidadão comum, contemplo, incrédulo, o trabalho dessas máquinas capazes de reproduzir, com precisão, peças, objetos ou réplicas de esculturas célebres.

A impressão 3D, entretanto, ainda está na infância e não serve para fabricar equipamentos mais complexos. Mas, com ela já se fazem, por exemplo, joias, sapatos e fones de ouvido, um a um, sob medida.

Novos paradigmas

Novas técnicas permitem que a indústria produza objetos minúsculos com muito maior precisão e segurança. A nanotecnologia começa a participar do dia a dia da produção dos dispositivos mais avançados. Como diz a revista inglesa, os novos materiais são mais leves, mais fortes e mais duráveis do que os antigos. A fibra de carbono está substituindo o aço e o alumínio numa gama de produtos que vai do avião às mountain bikes.

Ethevaldo Siqueira: Autor

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

3.0 Industrial Revolution

Just over a year, I visited a factory entirely robotic, without workers in South Korea Dedicated to the production of the most modern displays and monitors, televisions, this plant does not employ any workers in the manufacturing field, has only a dozen supervisors and quality software.

This third industrial revolution, incidentally, was the subject of magnificent cover story of the British magazine The Economist, a little over a week. Over 14 pages, journalist Paul Markillie shows with rare precision what are today the most modern manufacturing industries.

At the factory in 2012, almost everything is automated, digital, thanks to the convergence of powerful technologies, intelligent software, new materials, thousands of computers, robots skilled, 3D printers, processes, and even virtual reality flight simulators. Of course, occasionally, we can find, such as endangered species, machines and tools typical of the second industrial revolution, such as drills, presses, grinders, lathes and conventional cutters.

For those who have not visited modern factories in recent years, the vision of a 21st century these industries produce real shock, particularly in the automotive and aeronautics. Let us reflect a little more about this scenario.

Computerization

Many factories resemble modern computer labs, because, as the magazine says, “most operators, men and women, sitting in front of computer screens. Nowhere you will find a hammer. ”

An example of this progress are the 3D printers, machines that reproduce parts of high complexity, only by deposition of material on a virtual model, computer controlled. As a citizen, I look in disbelief, the work of these machines are able to reproduce accurately, parts, objects or replicas of famous sculptures.

The 3D printing, however, still in its infancy and is not intended to manufacture more complex equipment. But with it already being made, for example, jewelry, shoes and headphones, one by one size.

New paradigms

New techniques allow the industry to produce tiny objects with far greater accuracy and safety. Nanotechnology begins to participate in the daily production of more advanced devices. As the British magazine, new materials are lighter, stronger and more durable than the old. Carbon fiber is replacing steel and aluminum in a range of products ranging from airplane to mountain bikes.

Posted in Artigos, Tecnologias | Leave a Comment »

Conhece o SojaBook? É a versão rural do Facebook

Posted by HWBlog em 03/05/2012

Numa era em que pipocam versões de redes sociais especializadas nisso nou naquilo, um argentino foi oirginal. Criou o SojaBook,, que, como o próprio nome denuncia, pega carona na maior rede social do mundo para estabelecer conexões entre interessados no mercado agrícola.

A versão rural do Facebook foi idealizada pelo administrador de empresas Mariano Torrubiano, 35. “Oi, eu tenho vontade de começar a criar frangos. Alguém poderia me dar alguns conselhos?”, pergunta um agricultor de 50 anos cadastrado no sistema. Este é o público que faz o negócio andar.

Segundo aponta mais de 10 mil pessoas acessam o SojaBook, dos quais 15% são brasileiros. A rede social existe há quatro meses, com versão em espanhol, e ganha divulgação no esquema “boca a boca”. Uruguaios, chilenos, colombianos e até chineses e indianos compõem o time.

“As pessoas se sentem muito à vontade porque são todos produtores, pessoas do campo que dividem ali [no site] as mesmas inquietudes, problemas e trocam soluções”, disse Torrubiano.

O argentino conta que a teve a ideia enquanto estava em uma feira agrícola em seu país. Ao ver um operador acessando o Facebook por meio de um notebook, pensou na necessidade de criar algo exclusivo sobre o tema. O administrador de empresas pensa em firmar seu negócio como a primeira rede social de agricultores da América do Sul.

Tende a ganhar dinheiro. Só no Brasil, a feira Agrishow, realizada em Ribeirão Preto, pretende movimentar R$ 2 bilhões este ano.

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

SojaBook knows? It is the rural version of Facebook
In an era in which pop up versions of social networks specialized in what it nou, was an Argentine original.  SojaBook, created, which, as its name hints, piggybacks on the world’s largest social network to establish connections between stakeholders in the agricultural market.
The rural version of Facebook was conceived by businessman Mariano Torrubiano, 35. “Hi, I’ve been wanting to start keeping chickens. Could anyone give me some advice,” asks a farmer of 50 years registered in the system. This is the public doing business floor.
According points more than 10 000 people access the SojaBook, 15% of whom are Brazilian. The social network has existed for four months, with the Spanish version, and win the disclosure scheme “word of mouth.” Uruguayans, Chileans, Colombians and even Chinese and Indians make up the team.
“People feel very comfortable because they are all farmers, rural people who share there [the site] the same concerns, problems and exchange solutions,” said Torrubiano.
The fact that the Argentine had the idea while in an agricultural fair in your country. Seeing an operator accessing Facebook through a notebook, he thought the need to create something unique on the subject. The businessman thinks establish your business as the first social network of farmers in South America
Tends to make money. In Brazil alone, the fair Agrishow held in Ribeirao Preto, intends to move $ 2 billion this year.

Posted in Internet, Tecnologias | Leave a Comment »

A nova geração: a universalização da comunicação

Posted by HWBlog em 24/04/2012

De tempos em tempos, surgem novas tendências que, silenciosamente, vão mudando nosso mundo e definindo novos rumos para a sociedade. Primeiramente estas tendências chegam despretensiosamente, quase na escuridão, e após um tempo invadem nossos hábitos e a forma como nos relacionamos com o mundo, como se estivessem lá há anos.

Foi assim com os veículos automotores, que tiveram sua produção em massa iniciada “somente” no ano de 1903, e olhando nos dias de hoje parece que desde a pré história andamos de carro. Mais recentemente, quem não se lembra que no Brasil, logo ali, na década de 80, nem todo mundo tinha telefone fixo, pois as linhas eram escassas e custavam o preço de uma casa. O telefone era considerado um “artigo de luxo” ou “ferramenta de trabalho” – a palavra “celular” então, nem existia!

Bom, como todos sabem, a “ferramenta de trabalho” caríssima da década de 80 hoje fica “empoeirada” na estante da sala – o telefone fixo – substituída na maioria das vezes pelo celular – o qual, lembra, há 20 anos nem existia! Então, silenciosamente, passamos pelo ciclo: produto inexistente > produto caro para negócios > produto massivo e acessível.

E claro, junto com a “acessibilidade” a vários produtos novos, vêm as novas regras para garantir o bom uso e a aderência do novo recurso à vida em sociedade – horários para execução de telemarketing, locais de uso proibido do celular, classificação de spams, e por aí vai!

Mas nem tudo são restrições quando se trata de novas tecnologias. Desbravadores e inovadores, tanto do lado dos clientes quanto dos fornecedores, aventuram-se por um mercado novo e na esmagadora maioria das vezes colhem os frutos virgens e maduros de áreas inexploradas e lucrativas. E o mercado de novas tecnologias e área de comunicações encontra posição de destaque na criação de inovação. O grande volume de informações e as oportunidades existentes quando se juntam controle, uso inteligente e comunicação, fazem a cada dia novas empresas e negócios bilionários.

Nesta linha, uma tendência explosiva que segue a mesma maré que impulsionou o surgimento dos iPads, iPhones e smartphones em geral, é a migração de recursos corporativos de comunicação unificada para a nuvem.

Poderosos recursos de controle, gestão de comunicação, contato multicanal e prospecção, antes disponíveis somente em centrais de atendimento de grande porte, começam a ser disponibilizados em ferramentas SaaS a serem usadas de acordo com as necessidades e tamanho do negócio. Centrais de telecomunicações de grande porte e milhões de Reais podem ser “parcialmente alugadas” pela net, colocando o poder de comunicação de uma corporação nas mãos de um indivíduo!

Estes recursos abrem novas perspectivas em vários campos: profissionais de vendas podem trabalhar independentemente, sublocando recursos de comunicação a custo reduzido por contra própria, ou sob a gestão de grupos consolidados. Empresas podem recrutar pessoas para atendimento de acordo com seu perfil, desconsiderando a localidade geográfica de sua residência. E recursos de controle e comunicação inacessíveis a pequenas empresas, com potencial de aumento de produtividade de até cinco vezes, podem ser considerados viáveis em um primeiro momento e indispensáveis no futuro.

Nos Estados Unidos, serviços de comunicação em nuvem, com ofertas em vários modelos, já são comuns há mais ou menos 1 ano. No Brasil soluções completas ainda são escassas e, embora exista forte demanda, o mercado de provedores de serviços convergentes de comunicação ainda repousa no berço esplêndido ladeado por altas tarifas e acolchoado por serviços básicos. Entretanto, desbravadores e inovadores surgem oferecendo serviços diferenciados e transformando o que antes eram serviços caros e corporativos em produtos eficientes, acessivos e baratos na nuvem. Surgem silenciosa, com despretensiosamente, mas nos passos firmes da única coisa certa: a mudança e a evolução.

E como sempre, quem viver verá… e quem não se abstiver de mudar, viverá…

Haroldo Wittitz: Author, Editor and Publisher

The new generation: a universal communication
From time to time, new trends, silently, are changing our world and defining new directions for society. First, these trends come casually, almost in darkness, and after a time invade our habits and how we relate to the world as if they were there for years.
So it was with the automobile, which had started its mass production “only” in 1903, and looking these days it seems that since prehistoric times walked away. More recently, those who do not remember that in Brazil, right there in the 80s, not everyone had landline phone because the lines were scarce and the cost price of a house. The phone was considered a “luxury item” or “tool” – the word “cell” then, nor was there!
Well, as everyone knows, the “tool” expensive of the 80’s today is “dusty” on the shelf of the room – the landline – replaced mostly by phone – which, remember, 20 years ago did not even exist! produto caro para negócios > produto massivo e acessível.”>So, silently passed through the cycle: product missing> expensive product for business> massive and affordable product.
Of course, along with the “accessibility” to several new products come new rules to ensure the proper use and adherence of the new feature of life in society – time to run telemarketing, local phone use prohibited, spam rating, and so on!
But not all restrictions when it comes to new technologies. Explorers and innovators, affecting both the clients and suppliers, venture out for a new market and the overwhelming majority of the time reap the fruits mature virgin and unexplored areas and profitable. And the market for new technologies and communications area is a prominent position in the creation of innovation. The large volume of information and the opportunities when they come together control, intelligent use and communication, make every day new companies and business billionaires.
In this line, an explosive trend that follows the same tide that drove the emergence of iPads, iPhones and smartphones in general, is the migration of corporate resources for the unified communications cloud.
Powerful control, communication management, and multichannel contact prospecting, previously available only in call centers of large, begin to be available in SaaS tools to be used in accordance with the needs and size of business. Central large telecommunications and millions of dollars can be “partially leased” the net, putting the power of communication of a corporation in the hands of an individual!
These features open new perspectives in various fields: sales professionals can work independently, subletting communication features at low cost on your own, or under the management of consolidated groups. Companies can recruit people to care according to your profile, disregarding the geographical location of your residence. Resources and control and communication inaccessible to small businesses with potential for increased productivity of up to five times, can be considered viable at first and indispensable in the future.
In the United States, communication services in the cloud, with offers on several models have been commonly used for about one year. Solutions in Brazil are still scarce and, although there is strong demand, the market for providers of converged communication still rests in the splendor surrounded by high tariffs and padded for basic services. However, pioneers and innovators emerge offering differentiated services and transforming the formerly expensive services and products business efficient, and inexpensive acessivos cloud. Come silent, unpretentious, but the steady pace of one thing certain: change and evolution.
And as always, those who live will see … and who does not refrain from changing, live …

Posted in Tecnologias | Leave a Comment »