PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    setembro 2014
    D S T Q Q S S
    « ago   out »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930  

Archive for setembro \30\UTC 2014

Não basta ter dinheiro para investir em uma franquia

Posted by HWBlog em 30/09/2014

intenção do comandanteA opção de adquirir uma franquia, para muitos brasileiros, é a realização do sonho de ser empresário, de ter o próprio negócio. Ocorre que parte da realidade que acompanha este sonho nem sempre é considerada ao se sonhar.

Um franqueado, para ser bem sucedido, precisa agir como gestor administrativo, comercial e de pessoas. E, para aqueles que empreendem pela primeira vez, e que são a maioria dos que adquirem franquias no país, esta tarefa é realmente desafiadora.

A função de gestor administrativo depende essencialmente do conhecimento e da utilização de ferramentas de análise financeira. Apesar de o brasileiro ter uma vocação empreendedora, ser criativo e gostar de buscar soluções ainda não experimentadas, muitos destes empresários de primeira viagem não possuem uma experiência administrativa adequada, e isto pode se tornar uma dificuldade importante.

Assim como um padeiro precisa entender de forno, um empresário necessita saber organizar e analisar um DRE – Demonstrativo de Resultado do Exercício, um fluxo de caixa, uma curva ABC de rentabilidade, dentre outras ferramentas essenciais da administração financeira.

Muitas pessoas não se sentem confortáveis com cálculos, gráficos e tabelas, e há muitos franqueados nesta condição. Por isso, o ensino da gestão financeira voltado para uma rede de franquias deve ser menos teórico e o mais prático possível. Deve estar incluído em um programa que inclua o acompanhamento de um profissional experiente, durante alguns meses, que possa interpretar os conceitos estudados e auxiliar na aplicação prática, de forma que o novo empresário possa entender sua lógica e seus benefícios.

O ato de gerir está diretamente relacionado com a capacidade de tomar decisões corretas sobre determinado assunto. E uma boa tomada de decisão deve estar alicerçada em informações organizadas que possam ser interpretadas a partir de conhecimentos técnicos. Ao se pensar na perenidade de uma franquia, o fator capacitação deve ser prioridade e cabe às empresas franqueadoras a transmissão do conhecimento necessário para uma boa gestão.

Entrar numa rede de franquias que tenha uma marca admirada e uma estrutura de suporte organizada é a primeira decisão inteligente para aqueles que decidem empreender no país. Estar preparado para ser um bom administrador é a próxima grande decisão, que representará um grande diferencial para o sucesso de cada franquia e consequentemente de toda a rede.

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

1º Congresso de Empreendedorismo

Posted by HWBlog em 30/09/2014

Executivo SeniorO 1º Congresso de Empreendedorismo (COEMP) acontecerá de 14 a 20 de outubro, no formato de palestras online, e tem como objetivos ampliar conhecimento e ajudar na gestão das micro, pequenas e médias empresas, fornecendo informação gerencial para os atuais e futuros empreendedores. Em média, 60% das empresas fecham nos seus dois primeiros anos de vida e um dos principais motivos para esse alto índice é a falta de preparo do novo empresário, que tem experiência na sua área de atuação, mas não em como gerenciar seu negócio, cuidar da parte contábil, administrativa, fazer a gestão de pessoas, investir em marketing, entre outros.

O Congresso será 100% gratuito, e terá visibilidade nacional, até mesmo nos lugares mais remotos onde a informação é escassa. Serão 21 palestras que trarão experiências, cases e conteúdo didático, nas áreas de RH, logística, vendas, jurídico, ética, controle de estoque, entre outros temas que fazem parte do universo empresarial e contarão com a participação de consultores e palestrantes de diversas partes do Brasil. Dentre os palestrantes confirmados, há consultores do Senac, Procom, Blue Numbers, DeFirmo, Bloom Corprativo Humano, Homo Sapiens, Hatlas Institute, entre outros.

“Sabemos que grande parte da população sonha em ser empreendedora, mas não tem informação de como tornar isso realidade sem que vire um pesadelo. Quero compartilhar as informações que vão ajudar no dia-a-dia desse novo empresário, de forma democrática, sem que ele precise se deslocar até um local para participar”, comenta Ricardo Ribeiro, mentor e organizador do evento.

Além disso, quem quiser poderá adquirir todo o material apresentado durante o Congresso, como planilha, power point, mapa mental e cartilha, e compartilhar o conhecimento com sua equipe e colaboradores. Quem comprar o pacote de conteúdo terá direito ainda a 4 palestras bônus, à transcrição de todas as palestras, para quem gosta de ler, e ao áudio das palestras em MP3, para escutar no carro ou fazendo ginástica. Haverá também a oportunidade de participar de um grupo fechado no Facebook, onde os participantes trocarão idéias e informações. O conteúdo ficará disponível para aquisição de 10 a 23 de outubro de 2014.

Para participar do 1º COEMP, basta o interessado acessar o sitewww.coemp.com.br e fazer sua inscrição. Um email confirmará a efetivação do cadastro. Nas datas programadas, o participante receberá o link de acesso para assistir à palestra no horário determinado.

Serviço:

1º Congresso de Empreendedorismo (COEMP)
De 14 a 20 de outubro / 100% online.
21 palestras nas áreas: RH, logística, vendas, financeira, planejamento, liderança, jurídica, ética, controle de estoque, entre outras.
Inscrições gratuitas: http://www.coemp.com.br

Posted in Treinamento | Leave a Comment »

Termos que todo empreendedor precisa conhecer

Posted by HWBlog em 25/09/2014

homem-usando-laptop-webCada indústria tem sua lista de jargões. No mundo do empreendedorismo são vários os termos que você vai encontrar pela frente ao longo de sua jornada. Como empreendedor, é importante que você esteja familiarizado com eles. Conheça uma lista com 25 termos que todo empreendedor precisa saber:

Aceleradora

É o nome ‘moderno’ para as incubadoras. Enquanto as incubadoras estão mais ligadas a universidades e a projetos governamentais, as aceleradoras são financiadas com capital privado e apoiam startups, empresas de alto potencial de crescimento. A aceleração pode incluir apoio financeiro, mas está baseada principalmente no suporte à criação e ao desenvolvimento do negócio, com sessões de coaching e mentoring durante um período.

Break-even

Em português, um ‘ponto de equilíbrio’. É quando os custos da empresa são iguais às suas receitas. Como tudo que a empresa recebe paga somente as despesas, o lucro (ou resultado do período), acaba sendo 0, nesse caso.

Capital de giro

São os recursos financeiros utilizados para cobrir os custos do dia a dia da empresa e para sustentá-la entre o pagamento de despesas e o recebimento da receita de clientes.

Captação de recursos

Obter investimentos, o que pode ser feito por meio de empréstimos bancários, agências de fomento, fundos de investimentos ou investidores-anjos. Descubra como captar recursos no curso online da Endeavor de Acesso a Capital.

 Co-working

Espaço de trabalho compartilhado por diversas empresas, que passam a poder se relacionar e a trocar conhecimentos.

Crowdfunding

Obtenção de capital através de financiamento coletivo, em geral de pessoas físicas interessadas na iniciativa. Existem plataformas on-line especializadas nisso.

Crowdsourcing

Forma de conseguir serviços/ajuda de forma colaborativa para geração de conteúdos, solução de problemas, desenvolvimento de novas tecnologias, geração de fluxo de informação e afins.

Early stage

São consideradas empresas em early stage (estágio inicial) as que possuem até três anos de existência.

Elevator pitch

Apresentação da ideia do negócio em aproximadamente 30 segundos (o tempo que uma pessoa passaria no elevador).

Empreendedorismo corporativo ou intraempreendedorismo

Significa empreender dentro da organização na qual se trabalha. O intraempreendedor enxerga nos problemas do dia a dia oportunidades de crescimento para a empresa, sendo capaz de inovar sistêmica e constantemente. Descubra como implementar uma cultura intraempreendedora em sua empresa no curso online da Endeavor sobre Cultura.

Empreendedorismo social

O empreendedor social cria negócios com fins lucrativos, mas que propõem soluções inovadoras para problemas sociais ou ambientais, como lixo, educação e saúde. Ele está focado em mobilizar pessoas e trabalhar por uma causa para realizar verdadeiras transformações na sociedade.

Escalabilidade

Capacidade de replicar o produto/serviço com facilidade atendendo a um grande público ou abrangendo um grande mercado consumidor. Aprenda a escalar o seu negócio para se tornar um empreendedor de alto impacto no curso online da Endeavor sobre como Escalar e Inovar.

Incubadora

As incubadoras têm um perfil mais adequado para quem precisa de tempo e muito conhecimento para estruturar seu negócio. Depende de subsídios governamentais e provavelmente vai precisar de uma quantidade relativamente grande de investimentos para acontecer.

Investidor-anjo

Os angels são profissionais experientes que têm capital disponível para investir em novos empreendimentos. Em troca desse capital, esperam um percentual da empresa investida.

MEI

Sigla para ‘Micro Empreendedor Individual’, é a pessoa que trabalha por conta própria e se legaliza como empresário.

Mergers and Acquisitions (M&A)

Termo em inglês para ‘Fusões e Aquisições’ (abreviado M&A), é tanto um aspecto da estratégia corporativa e finanças corporativas quanto compra, venda, divisão e combinação de diferentes empresas.

Networking

Ter ou estabelecer uma rede de contatos. ‘Fazer networking’, como é empregado, costuma ser uma ótima forma de ampliar a qualidade de seus relacionamentos e transformá-los em benefício mútuo no meio profissional.

PME

É a sigla para pequenas e médias empresas. Uma pequena empresa possui de dez a 49 funcionários. Já uma empresa de médio porte possui entre 50 e 249 funcionários.

ROI

Sigla da tradução de ‘Retorno sobre Investimento’, corresponde a um percentual da quantidade de dinheiro ganho em relação à quantidade de dinheiro investido.

Seed capital

Capital ‘semente’, aquele capital que se capta quando o negócio está em sua fase inicial, para que ele possa dar seus primeiros passos no mercado.

Spin-off

Criação de uma nova empresa de produtos ou serviços inovadores, criados inicialmente a partir de um projeto em uma ‘empresa-mãe’. Geralmente, os empreendedores do novo negócio trabalharam antes no desenvolvimento desse projeto na empresa-mãe, que gerou o spin-off.

Stakeholders

Stakeholders são todos os impactados pelo negócio, sejam eles sócios, acionistas, funcionários, clientes ou segmentos da sociedade.

Startups

Uma empresa projetada desde o início para ser grande! Eric Ries, autor do livro ‘Lean startup’, define startup como ‘um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza’. Descubra ferramentas para começar o seu negócio no curso online da Endeavor para Startups.

Validação

Ter alguém validando sua ideia, ou seja, se tornando um cliente, usuário, ou estando engajado de qualquer forma ativa em seu negócio, é o sinal verde de que ele pode dar certo. Mas a validação é um exercício constante, um processo que exige flexibilidade, agilidade e resiliência para recomeçar diversas vezes e não desistir.

VC (Venture Capital)

Traduzido como ‘capital de risco’, os VCs apoiam empresas de pequeno e médio porte já estabelecidas e com potencial de crescimento. Com duração média de 5 a 7 anos, os recursos investidos financiam as primeiras expansões, levando o negócio a novos patamares no mercado.

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

Mudanças

Posted by HWBlog em 11/09/2014

Mudança 03“Uma pessoa pode encontrar as falhas alheias em um segundo e levar a vida toda para encontrar às próprias”

 – Gilclér Regina

 Muito se fala e escreve a respeito das inúmeras mudanças que afetam o mercado de trabalho como um todo e, por conseguinte, das competências comportamentais que devem ser desenvolvidas pelos trabalhadores visando se adaptarem a este novo mundo repleto de metamorfoses.

 Flexibilidade, capacidade de resiliência e habilidade para administrar conflitos passaram a ser requeridas de quem ocupa posições nas ciências médicas, sociais, agrárias, tecnológicas e exatas, sendo que motivos não faltam para avigorar o conceito implícito que forçosamente todos já aprenderam a compreender: mude ou será atropelado.

 No entanto, tenho percebido em minha atuação que muitas empresas passaram a valorizar as pessoas que, mais do que se adaptar às transformações organizacionais, são capazes de fomentá-las e dirigi-las quando poucos ainda percebem seu imperativo. Profissionais que são verdadeiros agentes de mudanças, criando condições para que elas aconteçam em vez de apenas reagirem ao quadro presente.

 É claro que existem mudanças e MUDANÇAS. Há casos nos quais o agente responsável acaba sendo alguém da própria empresa e que conduz o processo com primazia. Todavia, às vezes as transformações necessárias são profundas e fica nítido que nenhum gestor atual tem expertise para conduzi-las.

 Em situações semelhantes, como certa vez me disse um cliente, há a alternativa de “contratar um gerente-trator que tenha sangue-frio para fazer aquilo que ninguém da casa tem a coragem ou capacidade para executar”. A ausência de vínculos emocionais com o grupo faz com que o profissional forasteiro tome as decisões com base naquilo que precisa ser feito para transformar a organização, mesmo que as medidas sejam dolorosas.

 O problema é que alguns ultrapassam os limites do bom-senso e simplesmente atropelam a organização como um todo. E o pior: assim que seu trabalho é concluído, seguem para outra nova missão enquanto que os remanescentes parecem ter sobrevivido a uma guerra. Daí vem a inevitável pergunta: “Será que valeu todo o esforço?”

 Não existem receitas que digam como um agente de mudanças deve atuar, mas se pode afirmar com segurança que seu trabalho será bastante facilitado caso as pessoas estejam ao seu lado. Isto nem sempre será possível, principalmente quando a cultura organizacional privilegiar a manutenção do status quo, mas deve ser a primeira preocupação de quem é responsável pelo choque de gestão.

 Desenvolva habilidades para atuar como agente de mudanças e tenha a certeza de que novas oportunidades profissionais aparecerão em sua carreira muito brevemente. Por exemplo, que tal assumir responsabilidades que ninguém quer, em especial aquelas que se remetem a pequenas mudanças que há muito se fala em seu departamento e até agora não ocorreram? É um bom começo.

 Os agentes de mudança têm por característica um grande espírito empreendedor naquilo que fazem e uma boa dose de determinação para superarem os obstáculos e resistências que geralmente aparecem até que os objetivos sejam alcançados.

 Pessoas que têm pouco apego à segurança no emprego atual e que, por ironia ou não, são muito mais seguras e empregáveis do que os profissionais que investem energia na tentativa de conservarem suas empresas – e eles mesmos – iguais quando a única saída de ambos é o caminho da perene transformação.

 Cinco séculos antes de Cristo o filósofo Heráclito (540 a 470 a.C.) já sabia disto quando afirmou: “A única coisa permanente no universo é a mudança

 

Posted in Mudança | Leave a Comment »