PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    julho 2011
    D S T Q Q S S
    « jun   ago »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  

Archive for julho \15\UTC 2011

5 razões para tirar férias do seu negócio

Posted by HWBlog em 15/07/2011

Afastar-se da sua empresa, mesmo que por algumas horas, parece uma tarefa impossível para alguns empreendedores. Mas tirar férias do negócio pode trazer benefícios importantes tanto para o dono quanto para o próprio empreendimento. Saiba quais eles.

1. Recarregar as pilhas

A rotina de um empreendedor frequentemente extrapola o horário de expediente convencional. A motivação de ver o sonho transformado em realidade muitas vezes faz com que ele se esqueça dos finais de semanas e feriados. Férias, então, nem pensar. Mas forçar-se a trabalhar sem descanso durante muito tempo pode acabar prejudicando o negócio em vez de ajuda-lo. “Para continuar funcionando, é preciso estabelecer um equilíbrio físico e mental“, aponta Sergio Guimarães, consultor da Academia do Tempo. Pare e recarregue as baterias, assim você poderá voltar com energia total para começar tudo de novo, com muito mais pique.

2. Organizar as ideias

Da mesma forma que seu corpo cobra o preço por trabalhar sem descanso, sua cabeça também começa a sentir o peso da jornada extenuante. “Quando um armário fica muito lotado, ele deixa de ser prático e funcional. O que você faz? Esvazia tudo para depois colocar tudo de volta de maneira organizada, com muito mais espaço para coisas novas. É importante, de vez em quando, dar uma esvaziada no seu armário”, compara Guimarães. Um bom período de descanso pode ajuda-lo a voltar com a cabeça aberta para novas ideias. Sem a pressão do dia a dia nas costas, você pode acabar até tendo insights que vão ajudar a melhorar o negócio.

3. Colocar sua gestão à prova

Muitos empreendedores acreditam que, ao se afastarem do negócio por um período, por menor que ele seja, tudo vai ruir. Isso pode até ser verdade, mas só prova que a sua gestão é ruim. Seu negócio deve ser capaz de caminhar sem a sua intervenção constante. O contrário significa apenas que sua equipe não foi bem preparada, que você não é capaz de delegar responsabilidade e que, no fundo, você falhou como líder. “Tirar férias mostrará para o empreendedor se a empresa é organizada o suficiente para sobreviver sem ele”, aponta Guimarães.

4. Fazer networking

Afastar-se por um período da empresa não significa, necessariamente, esquecer que o seu negócio existe. Mesmo trocando o terno pela bermuda, você pode aproveitar os momentos de lazer para fazer contatos valiosos para quando retomar o expediente. Em uma atmosfera mais relaxada e descontraída, é possível estabelecer vínculos menos formais que podem vir a se transformar em boas parcerias de negócio. “Alguns empreendedores aproveitam o período de férias para visitar algum país onde esteja acontecendo alguma feira do seu setor, por exemplo, levando a família junto”, exemplifica Adriano Gomes, professor do Curso de Administração da ESPM. Só tome cuidado para não ficar concentrado demais na parte do dever e esquecer completamente do lazer, acabando com as férias de todo mundo.

5. Abrir-se para novas possibilidades

Um tempo afastado do negócio pode servir para que o empreendedor reavalie suas prioridades e enxergue novas oportunidades. Sair do escritório pode fazer com que ele vislumbre outros mercados, outros caminhos possíveis para a empresa e até mesmo outras opções de investimento.

Posted in Dicas | Leave a Comment »

10 coisas que você pode fazer para ganhar mais tempo no seu dia

Posted by HWBlog em 14/07/2011

Hábitos básicos como utilizar a agenda de forma plena e trabalhar num espaço organizado podem fazer toda a diferença

Qualquer coisa que você puder fazer para melhorar sua organização fará diferença para a melhoria da sua produtividade, melhor gerenciamento do seu tempo e também para a proteção do seu bolso.

Hábitos básicos como utilizar a agenda de forma plena, usar um sistema de arquivos com classificação adequada, trabalhar num espaço organizado, ter o costume de planejar o trabalho e as tarefas ou ainda utilizar os recursos da tecnologia de forma eficiente podem fazer toda a diferença do mundo, para o seu tempo render mais.

Às vezes escuto as pessoas dizendo “preciso me organizar melhor. Quando tiver um tempo, vou fazer isso”. Posso garantir uma coisa: este tempo nunca vai aparecer nem sobrar na sua programação. Ele precisa ser criado por você e isso depende apenas de uma atitude sua.

1. Acorde mais cedo

Coloque o alarme para 15 minutos mais cedo e adiante o seu dia.

2. Planeje o que vai vestir na noite anterior

Deixe a roupa separada e pronta para vestir. Você irá economizar bons minutos do seu dia.

3. Mantenha sua mesa de trabalho organizada

Saber onde estão seus papéis e documentos, e saber onde guardá-los vai economizar bastante tempo ao longo do seu dia. Deixar a mesa limpa e mantendo sobre ela apenas aquilo em que está trabalhando no momento vai ajudar você a manter o foco e terminar as tarefas mais rápido.

4. Mantenha seu computador organizado

Desktop limpo e com poucos ícones, pastas organizadas e arquivos nomeados corretamente ajudam bastante na hora de encontrar o que você precisa, economizando muito tempo ao longo do dia. Organizar as suas pastas de e-mails e manter a caixa de entrada sempre vazia é também fundamental para melhorar a sua produtividade no trabalho.

5. Utilize sua agenda e crie listas de memória

Não tente lembrar as coisas de cabeça. Isso vai aumentar o seu estresse e o risco de você esquecer coisas importantes, que podem gastar inutilmente o seu tempo.

6. Cozinhe (Se for o caso) o suficiente para 2 refeições

Quando for cozinhar e preparar seus alimentos, procure fazer uma porção maior, depois divida em dois e congele se necessário, economizando assim o tempo na próxima refeição

7. Concentre suas chamadas telefônicas

Faça uma lista das ligações que tem que fazer, anotando os números de telefone e assuntos. Depois separe um tempo e faça todas as ligações em sequência. Isso economiza tempo e deixa seu dia mais organizado.

8. Planeje seu dia de trabalho

Ao final de cada dia planeje o dia seguinte. Realoque compromissos e tarefas na sua agenda e tenha claro o que irá fazer. Isso faz com que você vá para casa com a cabeça mais tranquila, economiza tempo e melhora sua produtividade. Lembre-se: uma hora de planejamento pode economizar até 10 horas de trabalho.

9. Aprenda a utilizar os recursos do seu smartphone

Utilizar a agenda (calendário), o bloco de anotações, o GPS e tantos outros aplicativos de produtividade pode fazer uma incrível diferença na hora de administrar suas tarefas e atividades, dando a você mais controle sobre o uso do seu tempo.

10. Faça as compras pela Internet

Depois de aprender a se organizar para isso e criar este hábito, esta tarefa será rápida e vai economizar muitas horas na sua semana.

Posted in Dicas | Leave a Comment »

Como empreender enquanto está empregado?

Posted by HWBlog em 14/07/2011

O Brasil finalmente acordou para o empreendedorismo! A onda de startups, fundos de capital de risco, gente falando sobre o assunto, finalmente decolou.

Nesse post, vou focar nos profissionais que querem empreender, mas ainda não têm condições de largar seu emprego atual, ou até por opção, preferem manter a segurança do emprego formal e dar os primeiros passos bem devagar no caminho do empreendedorismo.

1 – Você está realmente preparado?

Empreender não é simples, não é sorte, não é carisma. É dedicação, transpiração, persistência e paixão. Empreender não é para todos, é apenas mais um caminho. A grande maioria (chutando uns 85%) dos empreendedores, nunca chegará a ganhar o que um CEO de uma grande empresa ganharia e com um risco menor. É ilusão achar que todo empreendedor fica rico, viaja três vezes por ano para o exterior, tem tempo para tudo que ele quer. A realidade na prática, é bem diferente.

Se você realmente quer ser “empreendedor funcionário” prepare-se para uma jornada de trabalho de 12 horas no mínimo (8h de funcionário e no mínimo 4 horas de empreendedor). Mais do que nunca você vai precisar de gestão de tempo e produtividade, ou estará no caminho do infarto!

2 – Limite seus papéis por um tempo

Por mais que você queria ser voluntário, fazer um curso sobre vinho, viajar pela Europa, dependendo do tempo ao papel de empreendedor, realizar essas outras atividades será impossível, ou no mínimo, frustrante e cansativo.

Não quero dizer que você não deva ter tempo para você e coisas que te relaxem, muito pelo contrário, elas são essenciais para manter sua energia e disposição. Estou querendo dizer que não dá para fabricar um dia de 30 horas! Vai ter de ser seletivo, limitar, pelo menos no início com esses “pequenos prazeres”.

O importante é colocar um prazo para esse limite (6 meses, 1 ano), ou poderá correr o risco de viver tão afogado no próprio negócio que deixa de lado sua vida. Empreender é apenas um caminho, para realizar seus sonhos e ter uma vida com mais qualidade, se isso não está acontecendo, é o momento de rever esse papel.

3 – Automatize ao máximo a empresa

O tipo de negócio que vai empreender vai ajudar ou prejudicar em muito sua estratégia. Quanto mais seu negócio puder estar no “piloto automático”, melhor. E isso deve ser feito desde o primeiro dia, não precisa esperar a empresa crescer e ter mais funcionários para criar bons padrões de funcionamento.

Vamos supor que você vai vender objetos de decoração na Internet, da compra no fornecedor até a entrega no cliente, quanto mais o sistema puder te ajudar melhor. Nesse caso específico, existem diversos sites com sistemas de e-commerce que fazem isso com extrema facilidade.

Esse tipo de negócio é bem diferente de, por exemplo, vender doces finos para casamento com a receita secreta da sua tataravó. Nesse caso você vai precisar colocar sua barriga no fogão e perder longas horas na produção. Não é impossível, mas é tudo mais complexo nesse caso.

Pense em negócios que possam ser automatizados, que você possa gerenciar a distância com mais facilidade e que exijam um nível menor de envolvimento no dia-a-dia.

Quanto mais você planejar a sua vida em todos os contextos, melhor! Isso significa que você tenha um planejamento que permita sua performance na empresa ser excepcional, não pode deixar a peteca cair no seu trabalho! Ter uma jornada produtiva ajuda você a sair com mais disposição para enfrentar sua vida empreendedora.

Mais do que nunca vou recomendar que você planeje sua semana, e faça o planejamento mensal, que ajuda a ter uma visão maior do todo e permite prever situações de urgências com maior antecedência.

4 – Compartilhe a jornada

Envolva sua família no processo, elabore planos em conjunto, distribua as responsabilidades, faça a esposa ou o marido participarem do negócio. Se a família estiver por perto, tudo vai ficar mais fácil, além de que esse tempo partilhado pode ser muito gratificante.

Outra opção é ter um sócio, mas selecione muito bem, não é porque é seu amigo, que será um bom sócio! No que ele vai ajudar? Como vão dividir os lucros? Como será o investimento? Quanto cada um trabalha? Se der errado, como será a saída? Essas perguntas precisam estar respondidas antes de começar, depois se der errado, é briga na certa!

Acho que esse assunto rende mais posts! Então, se tiverem sugestões para dar andamento serão muito bem vindas!

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

Do puxa-saco ao proativo: como a liderança deve lidar com os diferentes tipos de liderado?

Posted by HWBlog em 12/07/2011

Motivar, chamar a atenção, garantir resultados. Estes são só alguns dos atributos da liderança que também tem como um dos principais desafios lidar com os diferentes tipos de profissionais.

Independentemente do tipo do profissional, o diálogo deve basear a relação entre líder e liderados.

Todos os perfis têm lados positivos e negativos, cabendo ao líder tentar estimular o melhor de cada um.

Perfis
Do puxa-saco ao proativo, este blogo dá dicas sobre como a liderança pode trabalhar com os perfis mais comuns.

■ Puxa-saco: clássico nas empresas, o puxa-saco concorda com tudo que é proposto pelo líder e tenta o tempo todo se promover. Dessa forma, dizem os especialistas, ele acaba sendo desvalorizado por colegas e pela liderança.
Ao líder, cabe mostrar que esse comportamento não é o ideal, deixando claro que a pessoa não irá obter benefícios com ele. É ainda necessário salientar que o profissional precisa trazer novas ideias.

■ Injustiçado: na maior parte das vezes, trata-se de um profissional que está há mais tempo na empresa e que acredita que merecia uma promoção ou um aumento salarial. Como isso não ocorre, ele tende a se sentir desvalorizado.
Com profissionais nesta situação, o líder deve conversar e apresentar perspectivas de crescimento, não deixando de apontar quais os caminhos que a pessoa deve percorrer para chegar lá. Em outras palavras, o que é esperado do profissional.

■ Apático: segundo os especialistas, o profissional apático merece atenção redobrada da liderança. Isso porque, muitas vezes, a apatia pode ser confundida com insegurança ou mesmo se tratar de um caso de introversão.
Para tirar a dúvida, o líder deve observar cuidadosamente se a pessoa traz ou não resultados para a empresa. Em caso positivo, ele deve mudar a forma de agir com o profissional, tentando trazê-lo para mais perto. Se for avaliado realmente como apático, a saída é investir por um tempo na motivação do profissional.

■ Dependente: o profissional dependente sempre aguarda as resoluções dos parceiros, pares ou da liderança, o que demonstra uma grande dose de insegurança.
Primeiramente, o líder deve tentar investigar os motivos que deixam o profissional inseguro e tentar desenvolver nele as características de liderança. Isso porque, dizem, tais profissionais devem aprender a deixar de ser coadjuvantes para assumir as características de liderança em uma eventual necessidade.

■ Competente demais para a função: para os especialistas, essa é uma característica da geração Y. Entretanto, profissionais mais experientes que, por algum motivo, tiveram de assumir cargos com menor responsabilidade do que o que exerciam anteriormente também são acometidos por este sentimento.
Assim, para que este profissional não se desmotive e deixe de entregar resultados, o líder deve apresentar a ele um plano de carreira.

■ Quer o lugar do chefe: ao contrário do que se possa imaginar, profissionais que demonstram querer o lugar do chefe não são mal vistos pelas empresas, desde que, é claro, essa disputa não seja de forma desleal.
Se for de maneira saudável, dizem, é excelente para o líder, pois alavanca a carreira dele, servindo como um propulsor para o chefe, que pode ocupar posições mais altas.

Dessa forma, o líder deve valorizar este profissional, dando sempre feedbacks e trabalhando os pontos negativos.

■ Proativo: valorizado nas empresas, o proativo é aquele que sempre está a frente dos outros e dá ótimos resultados.
Ao líder, cabe tentar mantê-lo motivado e valorizado, não esquecendo, contudo, de colocar os limites necessários para que a pessoa não exagere e não acabe ultrapassando-os

Posted in Carreira | Leave a Comment »

Senado aprova empresa individual de responsabilidade limitada

Posted by HWBlog em 12/07/2011

O Senado aprovou a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, um novo tipo de personalidade jurídica para empresas. Com isso, empreendedores individuais poderão estabelecer uma empresa sem a necessidade de um sócio e podendo resguardar seus patrimônios pessoais da nova pessoa jurídica que está sendo criada.

Atualmente, o Código Civil impõem que para uma empresa ser limitada ela precisa ter dois ou mais sócios. Esta personalidade jurídica permite que a empresa tenha patrimônio próprio diferente do de seus donos.

Dispensada a necessidade de sociedade, cada pessoa poderá ter apenas uma empresa. Além disto, é exigido também que a companhia tenha capital integralizado pelo menos de cem vezes o salário mínimo – o que atualmente corresponde a R$ 54.500,00. A nova lei visa a colaborar para que os micro e pequenos empresários saiam da informalidade. Ela já passou pela Câmara dos Deputados e segue agora para sanção presidencial

Posted in Rápidas | Leave a Comment »

Como se vestir para ser um empreendedor de sucesso

Posted by HWBlog em 09/07/2011

Já ficou em dúvida sobre o que vestir para um almoço de negócios ou um happy hour com clientes? Uma pesquisa feita pela consultoria americana Harris Interactive mostrou que uma boa aparência – independente de beleza física – passa mais confiança. Para 90% dos entrevistados, quem se arruma mais tem mais chances de conseguir uma boa primeira impressão.

Para quem trabalha em casa, por exemplo, não dá para visitar um fornecedor importante vestindo pantufas. Já bem definido no mercado corporativo, o dress code ideal para empreendedores pode ajudar a fechar um negócio e passar uma ótima imagem da sua empresa. “Estar vestido adequadamente traz uma confiança maior para você e para o cliente, que tem a imagem de que você se preocupa em estar bem para recebê-lo”, justifica a personal stylist, Roberta Carlucci.

Seja em uma situação formal ou não, a dica é estar sempre vestido como profissional, respeitando o próprio estilo. “O que tem que aparecer em situações como esta é o trabalho e não a pessoa”, explicam Cristina Zanetti e Fernanda Resende, consultoras de imagem da Oficina de Estilo.

Aposte na forma de se vestir e se portar também como um cartão de visitas do seu negócio. “A sua imagem tem que representar alto potencial de futuro”, ensina Bia Kawasaki, consultora de moda e personal stylist. Confira como se vestir de forma adequada em diferentes situações seguindo as dicas das consultoras:

1 Pedir um empréstimo

Alguns empresários estão bastante acostumados a sentar em frente ao gerente do banco para discutir um financiamento e acabam relaxando depois de um tempo. É fato que a instituição financeira leva mais em conta o histórico e as garantias da empresa do que apenas a aparência. Mesmo assim, vestir-se bem passa confiança. “Quando a gente está pedindo alguma coisa, tem que ser mais receptivo e ter uma aparência mais delicada”, sugere Cristina.

Mesmo que a informalidade comece a ganhar espaço no mercado, em ambiente de banco, aparecer de bermudão e chinelo pode passar uma imagem errada. “Nessa ocasião, o traje business é o mais indicado. Para homens, calça social, camisa bem arrumada e sapato combinando com cinto. As mulheres podem vestir calça social e um sapato com salto”, ensina Bia.

Para Roberta, manter a coerência do estilo é importante. “Mesmo que o estilo seja mais despojado, precisa de um pouco de formalidade. A pessoa pode usar calça jeans e tênis allstar desde que vista um blazer”, diz. “Uma coisa que ajuda é escolher as cores certas. Cores muito contrastantes, como terno preto e camisa branca, não são legais. Prefira cores neutras e mais claras, como cinza e bege”, ensinam as consultoras da Oficina de Estilo.

2 No dia a dia

Em um dia normal, sem compromissos fora da empresa, dá para relaxar na hora de se arrumar, certo? Errado. “Os seus colegas vão reparar em você e eles podem virar clientes um dia. A gente está constantemente construindo networking entre os pares”, diz Roberta.

A dica de Bia é seguir o “bom senso code”. “Tem que investir em uma boa imagem pessoal, o que inclui corte de cabelo, maquiagem e barba adequada. Nada de roupas sensuais, sapato velho ou roupa de ginástica”, explica a consultora de imagem.

Um guarda-roupa casual para o dia a dia é o mais indicado. Camisa sem gravata e jeans ou calça social são boas escolhas “É legal ter no escritório um paletó, caso precise estar mais formal”, ensina Cristina.

3 Networking

Pode ser um happy hour ou um churrasco no final de semana, se existir a mínima possibilidade de fazer negócios, as consultoras sugerem que o traje seja profissional. “Sempre que você vai se apresentar e fomentar novos negócios tem que passar uma boa impressão”, diz Roberta.

Geralmente, alguns desses eventos estipulam o traje. Se não for o caso, Bia ensina que é comum telefonar para o anfitrião e perguntar. “Assim, você consegue seguir a linguagem padrão do ambiente”, conta.

Chinelos e roupas velhas devem ser deixados no armário. “As mulheres têm que evitar decotes, mesmo que seja um churrasco na beira da piscina. Afinal, ela não quer ser vista como a gostosona, mas como uma boa profissional”, opinam Fernanda e Cristina.

Bermuda de surfe e tênis de corridas também não são recomendados. “A mulher pode vestir uma calça jeans e um sapato bonito, com um saltinho. Para o homem, sapatênis de couro e camisa polo”, ensina Bia. Evitar gírias, falar em português corretamente e não beber além da conta também são sugestões das especialistas.

4 Almoço com clientes

Hoje, muitos empreendedores aproveitam o horário do almoço para fechar negócios. Receber o cliente fora do ambiente de trabalho ajuda a estreitar a relação e quebrar o gelo. As consultoras de imagem sugerem que o empresário tente se alinhar ao convidado. “Não é obrigatório se vestir de acordo com o cliente mas, quando cria essa comunicação visual, fica mais fácil. São códigos que a gente lê através do inconsciente”, ensinam Cristina e Fernanda.

Para escolher o que vestir, pense no dia da semana. “Se for sexta-feira, jeans e roupa mais casual”, ensina Bia. Calça social e camisa para os homens e vestido com casaquinho para as mulheres são apostas certeiras. “A mulher tem muito mais elementos e pode optar também por uma calça com uma blusa que tenha um detalhe que imite a gola da camisa masculina, como um babado, um colar, um broche ou mesmo um colete. É um elemento a mais que mostra que você se preocupou em se arrumar”, dizem as consultoras da Oficina de Estilo.

Quem trabalha com coisas muito criativas pode demonstrar isso com um acessório, não precisa ser nada da cabeça aos pés. “Os empreendedores de áreas menos formais podem usar uma roupa mais criativa, um lenço mais colorido e jogar mais nos acessórios”, define Roberta. Um relógio ou uma pasta diferentes também auxiliam nessa tarefa.

5 Buscar um investidor

O momento de uma reunião com um investidor é como o de uma entrevista de emprego. “Junto com um ótimo plano de negócio, o empreendedor tem que passar muita confiança”, define Roberta.

Um terno ou uma roupa equivalente é o mais indicado. “Evite cores muito escuras. Chumbo, marrom e azul marinho são cores mais convidativas. Mesmo para os informais, blazer com a calça social é indicado”, diz a consultora.

Para situações como uma negociação de investimento, a imagem pessoal vai além da roupa. Pequenas ações podem falar muito sobre o empreendedor e ser crucial para o sucesso da operação. “Usar uma bolsa ou um relógio falsificado transmite a ideia de que a pessoa não é ética”, ensina Bia Kawasaki. Evitar excessos, como estampas e joias, também vale a pena. “Isso pode constranger o investidor”, diz Bia.

6 Feira de negócios

Eventos, como feiras de negócios, costumam ser bastante rentáveis – e cansativos – para os empreendedores. “Nada mais cafona do que mulher usando um salto enorme e andando como um ganso no meio de uma feira”, diverte-se Bia.

Apesar de exigir horas de caminhada, esses eventos são prioritariamente profissionais e para fazer negócios. Por isso, tênis e moletom estão fora de cogitação. “Você vai andar e o sapato tem que ser confortável. Outro ponto importante é que você não está indo para uma academia, mas para várias reuniões de negócio”, complementa a consultora.

Para ficar confortável e ainda profissional, as especialistas sugerem que os homens vistam sapatênis de couro com calça social e camisa. Já as mulheres, podem optar por uma calça cigarrete com um casaquinho ou um vestido com meia calça e um sapato de salto baixo ou sapatilha. “Lembre-se que imagem não é só o que a gente veste. Tem que ter conteúdo, bom palavreado, com um aperto de mão confiante e sem cara de cansado”, diz Roberta.

Posted in Dicas | 5 Comments »

Síndrome da pressa: você sofre disso?

Posted by HWBlog em 09/07/2011

Um ambiente de trabalho desequilibrado é muito propício para que os colaboradores desenvolvam o distúrbio. Saiba mais.

Você assume muitos compromissos ao mesmo tempo com frequência? Sente-se culpado quando não está produzindo algo? Costuma interromper a fala de outras pessoas? É impaciente? Faz as refeições correndo ou tem o sono agitado? Está sempre em estado de alerta? Reserva tempo para o lazer e tem contato com a natureza? Aproveita a companhia da família sem pressa e sem estresse? Se respondeu “sim” às primeiras perguntas, talvez você precise pensar mais na sua qualidade de vida.

Freud, no início do século XX, descreveu os sintomas da neurose da ansiedade, denominada hoje pela Associação Brasileira de Psiquiatria como transtorno da ansiedade generalizada. Conhecida entre os gestores de RH como síndrome da pressa, geralmente é identificada em pessoas que vivem sob pressão, assumem muitos compromissos, têm muitas tarefas e querem resolver tudo o mais rápido possível.

Não deve ser tão difícil pensar em alguém assim num mundo controlado pelo tempo, pelas metas e pelos resultados. Um ambiente de trabalho desequilibrado é muito propício para que os colaboradores desenvolvam o distúrbio.

Essa correria toda, se for constante e não apenas em situações esporádicas, pontuais, é extremamente prejudicial à saúde física e mental. O estresse que este comportamento gera é muito grande. Os médicos alertam para o risco de infarto, surgimento de úlceras e gastrites, depressão, além de interferir negativamente nas relações sociais e afetivas. Funcionário doente é sinônimo de produção comprometida.

Quando o trabalho é cercado pela pressão ao cumprimento de metas, mais produção e a cobrança pela superação dos limites, alguns funcionários podem corresponder num primeiro momento. Afinal, é preciso se destacar. “Até certo ponto, é positivo, mas não em demasia”, ressalta Sidney Zenobio, gestor de carreira da Gnetwork. Não demora muito para a qualidade desse desempenho ser comprometida. “O profissional fica com dificuldade de concentração e a criatividade é afetada devido ao imediatismo na hora de resolver os problemas”, lembra Zenobio.

Segundo Christian Barbosa, diretor da Triad PS, especialista em gerenciamento do tempo e produtividade, é razoavelmente comum a inversão de valores sobre o que é urgente e o que é importante.

Saber priorizar as tarefas e ter um planejamento consistente sobre as metas são fundamentais para um bom resultado e com isso, muitas “urgências” podem ser evitadas. Uma pesquisa realizada pela Triad PS no ano passado, com 1600 pessoas, revelou que 33% delas gastam até duas horas do expediente com ações improdutivas, como emails particulares, redes sociais, compras pela internet etc.

Barbosa ressalta que muitas vezes uma pessoa desenvolve a síndrome da pressa “porque lá trás, está gerenciando mal o tempo dela. A pesquisa mostrou que, se a gente somar os números todos, 80% dos brasileiros enrolam de 30 minutos a três horas por dia, na média. (…) Chega no final do dia, está acabando o tempo, e a pessoa tem de fazer milhares de coisas.

Pronto – entra no modo “pressa”, atropela todo mundo, gera urgência para todo mundo e muitas vezes tem de fazer hora extra ou trabalhar no final de semana”. Por outro lado, quem soube priorizar o que era importante e assumiu o controle do tempo, cumpriu as tarefas e terminou o expediente no horário.

Saber controlar essa ansiedade e desacelerar é um desafio para o bem da saúde. Muitas vezes, o portador do transtorno da ansiedade generalizada não tem noção do comportamento nocivo. Segundo Sidney Zenobio, da Gnetwork, “quem não sabe lidar direito com o tempo sofre mais”.

Mudar este comportamento não é fácil e requer muita determinação, como acontece com quem quer emagrecer ou parar de fumar.

De acordo com Christian Barbosa, já existem sistemas para facilitar o gerenciamento do tempo, como uma planilha Excel, ou programas desenvolvidos por consultorias. Mas basta um caderno para anotações.

Mesmo assim, 70% das pessoas que começam um processo de reorganização do tempo desistem em três semanas. “É muito comum as pessoas que estão com a síndrome falar que se tiver um sistema, uma planilha para colocar tudo que tem de fazer, vai gastar mais tempo do que se fizesse direto. Mas é o contrário – o planejamento te ajuda a ter mais tempo para fazer o que você quer de verdade”, afirma Barbosa.

Não existe uma receita pronta para resolver este problema. “Cada um tem que se analisar e ver o que está errado, se há algo em excesso ou faltando para alcançar o equilíbrio”, recomenda Zenobio.

“A gente tem de parar para entender o seguinte: o problema não é que as pessoas não têm tempo. Elas têm tempo de sobra, mas usam muito mal. Então, fazer a gestão e aprender a gerenciar esse tempo nunca foi tão urgente”, salienta Barbosa.

Posted in Comportamento | Leave a Comment »

5 cursos de férias para empreendedores

Posted by HWBlog em 06/07/2011

Empreendedor não costuma sair de férias. A empresa exige dedicação diária e se afastar do negócio pode ser difícil. Mesmo assim, reservar um tempo para estudar e se reciclar é essencial para os pequenos empresários. E por que não mês de férias, quando muitas instituições aproveitam a pausa na programação regular para formatar cursos rápidos?

Pensando na rotina atribulada dos empreendedores, algumas instituições de ensino oferecem cursos de curta duração, que podem ser feitos à distância, e com temas variados. Além de aprender, a sala de aula é um ótimo ambiente para fazer networking e conhecer gente nova. Escolha o tema que mais lhe interessa e veja onde encontrar um curso sobre o assunto.

1 Franquias

Para quem tem ou pensa em transformar sua empresa em uma rede de franquias, é importante conhecer o mercado, saber das regras e leis e entender como funciona a gestão de um negócio deste tipo. Para quem quer saber mais sobre o assunto, a Associação Brasileira de Franchising oferece um curso rápido para entender o setor. A aula, que acontece no dia 14 de julho, vai falar sobre vantagens e desvantagens do sistema, a lei de franquias e outros conceitos básicos. As inscrições para o curso, que acontece na sede da ABF, em São Paulo, estarão abertas até o dia 7 e o valor para participar é de R$ 240.

Outra opção, para quem quer se aprofundar ainda mais no tema, é a pós-graduação em gestão de franquias oferecida na ESPM-RJ, em parceria com a ABF-RJ. As inscrições vão até o dia 15 de julho e as aulas devem começar no dia 25.

2 Marketing e vendas

A partir do dia 14 de julho, a Business School São Paulo (BSP) promove um curso de marketing e vendas para quem quer melhorar o desempenho da equipe comercial. O foco do curso é o uso de coaching. O objetivo é ensinar a usar a técnica para educar os vendedores e conseguir fidelizar clientes. O investimento nas aulas, que vão até o dia 23 de julho, é de R$ 1100. O curso será ministrado pelo professor Paulo Gerhardt, que é coach executivo e de vendas e diretor da ESADE.

3 Administração financeira

Nem todo empreendedor tem uma formação sólida em administração para gerir a empresa de forma mais estruturada e, com isso, também tirar melhor proveito das vendas. O curso de Administração Financeira para Pequenas e Médias Empresas, oferecido pela ESPM, promete ajudar os empreendedores a entenderem melhor os conceitos de gestão financeira e fluxo de caixa. Indicadores, ciclo operacional, balanço patrimonial e capital de giro serão temas abordados nas aulas do professor José Eduardo Amato Balian. O curso acontece entre os dias 18 e 22 de julho e custa R$ 880.

4 Recursos Humanos

Outra área que as pequenas e médias empresas têm dificuldade em gerir é a de recursos humanos. Muitas vezes, o empreendedor faz o papel de diretor de RH e precisa saber lidar com requisições de funcionários e treinamentos. Com foco neste público, a FGV Online oferece, de graça, um curso com de Recursos Humanos. Os temas abordados são os programas de treinamento e desenvolvimento de pessoal. Depois das aulas, que são à distância, os empreendedores estarão aptos ainda a lidar com a avaliação de resultados e liderança.

5 Estoques

No dia a dia, o controle do estoque é feito, por muitos empreendedores, de forma desorganizada e sem a frequência adequada. Isso pode causar perdas graves para o negócio, já que o estoque faz parte dos ativos da empresa. O curso de Gestão de Demandas e Estoques, promovido pelo Ibmec, no Rio de Janeiro, ensina a conhecer o básico de gerenciamento de estoque e técnicas para calcular a demanda. Tipos de estoque, indicadores de desempenho e planejamento são alguns tópicos das aulas que começam no dia 12 de julho. O investimento é de R$ 1500 e a duração, de 30 horas.

Posted in Treinamento | 2 Comments »

Gestores “mais justos” são menos poderosos, diz estudo

Posted by HWBlog em 06/07/2011

Muito se houve falar que líderes eficazes são aqueles que tratam seus funcionários com dignidade, respeito e coerência. Mas tal comportamento tem seu preço e pode comprometer o desempenho de um gestor dentro de uma companhia.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Harvard Business Review, gestores justos normalmente são visto pelos seus funcionários e pela própria companhia como pessoas sem poder e com menos respeito.

O estudo avaliou a postura de algumas companhias por meio de questionários respondidos por elas e foi comprovado que para exercer cargos mais altos o poder tem mais importância que o senso de justiça.

Além disso, o estudo realizou na prática a análise das decisões tomadas por perfis de gestores diferentes: o justo e o rude. Em um dos exemplos foi feita uma simulação dos gestores instruindo seus funcionários a respeito de uma decisão de compensação. Dividido em dois grupos, o líder rude foi mais bem pontuado na avaliação das pessoas que participaram do laboratório.

Um caso concreto também foi usado para corroborar o estudo. O exemplo aconteceu na Pfizer, no início dos anos 2000, quando dois executivos foram indicados para o cargo de CEO da companhia.

Os dois executivos possuíam perfis completamente diferentes, um era agressivo em suas decisões, o outro justo. Na época, o candidato mais áspero ficou com a vaga, pois foi considerado o cara certo para assumir o controle.

A pesquisa, no entanto, defende que as companhias podem ser beneficiar com o valor da justiça, embora o caminho seja árduo. Mas dificilmente será possível aliar muito poder com justiça.

Posted in Gestão | Leave a Comment »

5 passos para ser um líder de sucesso

Posted by HWBlog em 05/07/2011

Todo negócio precisa de um bom líder para prosperar. Delegar tarefas, manter os funcionários motivados e servir de exemplo para a equipe estão entre as funções de quem comanda um empreendimento.

As lideranças exercem papel fundamental na criação de um ambiente propício à inovação, aperfeiçoamento e aprendizado constantes.

Confira a seguir cinco passos para se tornar um líder de sucesso:

1. Articule os interesses

Garantir a harmonia e o equilíbrio no relacionamento da equipe é tarefa básica de um líder. O maior desafio é conciliar os diferentes interesses que convivem em uma mesma organização, articulando-os de maneira produtiva. É essencial fazer todos entenderem como cada um pode, em sua área, colaborar com o desenvolvimento do projeto de trabalho, sem necessariamente conflitarem em suas idéias.

2. Mantenha um canal aberto com a equipe

Para que os colaboradores possam assimilar os valores e princípios que norteiam o negócio, é fundamental comunicar-se com clareza e objetividade. Da mesma forma, é importante estar aberto a ouvir o que cada um tem a dizer sobre assuntos diversos. Isso estabelece uma relação de confiança com o grupo, criando uma sintonia e um ambiente encorajador para que todos se sintam parte relevante do processo de trabalho.

3. Estabeleça e verifique padrões de trabalho

A padronizações nos processos de trabalho é crucial para que o desempenho da empresa possa ser medido adequadamente e para que correções de rumo possam ser feitas mais rapidamente. É função de um bom líder estabelecer estes processos. Com a execução de práticas mais uniformes, os resultados ficam menos sujeitos a variações e a equipe se mantém focada nos objetivos da organização. É importante também ter métodos eficazes para verificar o cumprimento destes processos.

4. Promova uma cultura de inovação

Criar um ambiente propício à inovação também é tarefa de um líder que quer ver seu negócio decolar. É importante incentivar e estimular a diversidade de ideias, a fim de tornar o ambiente de trabalho mais criativo e inovador. O bom líder facilita a aceitação desta cultura por parte da equipe e sua internalização aos processos de trabalho.

5. Multiplique as boas lideranças

Um bom líder é aquele que sabe identificar e fomentar outras lideranças dentro do seu negócio. Isso significa procurar pessoas com caráter inovador e motivador, que exerçam uma influência positiva sobre o grupo. Ter líderes confiáveis em diversos níveis faz com que todos os segmentos da empresa estejam alinhados na busca pela excelência.

Posted in Gestão | Leave a Comment »