PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    julho 2011
    D S T Q Q S S
    « jun   ago »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  

Gestores “mais justos” são menos poderosos, diz estudo

Posted by HWBlog em 06/07/2011

Muito se houve falar que líderes eficazes são aqueles que tratam seus funcionários com dignidade, respeito e coerência. Mas tal comportamento tem seu preço e pode comprometer o desempenho de um gestor dentro de uma companhia.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Harvard Business Review, gestores justos normalmente são visto pelos seus funcionários e pela própria companhia como pessoas sem poder e com menos respeito.

O estudo avaliou a postura de algumas companhias por meio de questionários respondidos por elas e foi comprovado que para exercer cargos mais altos o poder tem mais importância que o senso de justiça.

Além disso, o estudo realizou na prática a análise das decisões tomadas por perfis de gestores diferentes: o justo e o rude. Em um dos exemplos foi feita uma simulação dos gestores instruindo seus funcionários a respeito de uma decisão de compensação. Dividido em dois grupos, o líder rude foi mais bem pontuado na avaliação das pessoas que participaram do laboratório.

Um caso concreto também foi usado para corroborar o estudo. O exemplo aconteceu na Pfizer, no início dos anos 2000, quando dois executivos foram indicados para o cargo de CEO da companhia.

Os dois executivos possuíam perfis completamente diferentes, um era agressivo em suas decisões, o outro justo. Na época, o candidato mais áspero ficou com a vaga, pois foi considerado o cara certo para assumir o controle.

A pesquisa, no entanto, defende que as companhias podem ser beneficiar com o valor da justiça, embora o caminho seja árduo. Mas dificilmente será possível aliar muito poder com justiça.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: