PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    janeiro 2014
    D S T Q Q S S
    « dez   fev »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  

Princípios a serem seguidos em época de mudanças

Posted by HWBlog em 23/01/2014

metas-ano-novoNão é ridículo imaginar que seria possível transformar uma cultura sem que os indivíduos que a compõem se transformassem primeiro?

Seguindo o princípio de que para influenciar as massas é preciso primeiro atingir cada um, o americano Stephen Covey criou dez chaves para a transformação das pessoas em qualquer organização, e em qualquer lugar e a qualquer tempo. São eles:

1. Conscientização: as pessoas precisam entender com total clareza o que está sendo feito e porque está sendo feito. Muitos gestores usam a força do poder para obrigar seus funcionários adotarem mudanças, o que é considerado um grande erro.

2. Envolvimento: se as pessoas não forem envolvidas no processo de mudança, elas podem não ver sentido em alinhar os seus objetivos pessoais com os objetivos da organização. O gestor deve colocar seus colaboradores em um estágio participativo REAL, pois as pessoas tendem a se comprometer naquilo que elas participam.

3. Segurança Interior: devemos transmitir informações que diminuam qualquer ansiedade e medo das pessoas, somente assim elas poderão se tornar agentes ativos no processo de mudança. O gestor deve criar um sentimento de segurança baseado nas competências de seus colaboradores, dessa forma, os indivíduos saberão que o que irá mantê-los será a sua capacidade produtiva e não puxa-saquismo.

4. Legitimação: é tornar as mudanças propostas em algo válido para os colaboradores. Toda mudança tem um custo, e muitas pessoas não querem pagá-lo. O gestor deve deixar claro para seus colaboradores quais são os benefícios de tal sacrifício. As pessoas necessitam enxergar o quanto esse desenvolvimento, oriundo da mudança, poderá contribuir para o seu crescimento na organização. Caso isso não aconteça, o gestor poderá perder sua credibilidade.

5. Responsabilidade pelos resultados: a empresa deve ser facilitadora do individuo desenvolver sua competência. O colaborador tem que estar consciente de que faz parte dos resultados de toda a organização. Não é cada um por si. Algumas pessoas de cargos mais baixos poderão achar que o seu cargo não faz diferença no todo, e, portanto, é papel do gestor desmentir esse mito.

6. Enterre o velho: abandonar tudo aquilo que lhe dá segurança não é algo simples, porém, muitas vezes se torna uma necessidade. Enterrar o velho significa trocar velhos hábitos organizacionais por novos hábitos. E essa mudança começa com o gestor, ele tem que dar o exemplo.

7. Abrace o novo caminho com espírito de aventura: mesmo em um processo de mudança, o gestor não deve mudar o DNA da empresa, ou seja, seus princípios e valores que a fizeram se sustentar durante tantos anos. Essas bases de sustentação devem ser aprimoradas e servir de referência para as demais mudanças e transformações, pois sem elas a organização poderá perder sua identidade que tanto lhe gerou reconhecimento na sociedade.

8. Espírito aberto: o gestor sempre deve estar apto a aprender. Deve também fazer as pessoas terem o desejo de aprender, sempre. A melhoria contínua se torna uma necessidade de sobrevivência em meio a globalização.

9. Sinergia: é a soma das DIFERENTES capacidades e habilidades em favor de um objetivo em comum. O gestor deverá saber usar como esses diferentes potenciais a favor da empresa.

10. Propósito transcendental: os interesses das pessoas, e isso inclui os do dono da organização, não podem estar acima dos interesses da empresa. Empresários que trocam de carro antes de trocar suas obsoletas máquinas correm o sério risco de ver suas empresas quebrarem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: