PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    julho 2013
    D S T Q Q S S
    « jun   ago »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  

Liderar ou chefiar: eis a questão

Posted by HWBlog em 16/07/2013

liderar ou chefiarA discussão que ronda ultimamente a liderança parece ser sem fim. Novos modelos de líderes apareceram no front nas últimas décadas impactando a forma de enxergarmos aquele que está no degrau acima. Líderes mais carismáticos, envolventes, “chegados” ou visionários recheiam o mercado trazendo novos ares e novas perspectivas. Mas, afinal, por que o “jeitão” da liderança impacta tanto nosso dia a dia? Que tipo de gestor você quer ser hoje ou em quem você vai se inspirar para liderar no futuro?

Parafraseando o filósofo Mario Sergio Cortella, autor que gosto muito, aqui vai um trecho de um de seus livros: “O que é liderar? É ser capaz de inspirar. Inspirar pessoas, ideias, projetos, situações. O líder é aquele que infla vitalidade. Eu não estou usando a palavra ‘inspirar’ à toa. A noção de inspirar é dar vitalidade. É animar. O líder é capaz de animar, palavra que vem do latim anima e que significa alma… de anima vem ‘animal’, ‘animação’, ‘animado’. A tarefa fundamental que desenvolve a liderança é ser capaz de inspirar as pessoas. Muita gente não é capaz de inspirar, só é capaz de expirar. Tirar animação, tirar vitalidade. Se alguém só expira, talvez não consiga ser líder, só consiga ser chefe. Mas chefe está ancorado em uma hierarquia” (Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética.)

O parágrafo acima já explica muita coisa, principalmente algumas das razões pelas quais as empresas comandadas por líderes inspiradores geram bons resultados para seus colaboradores e, por tabela, em seus negócios. Sempre dizemos em nossos textos que ninguém motiva ninguém, mas somos capazes de inspirar e gestores imbuídos dessa energia acabam sendo admirados e seguidos.

Um dia desses, num evento de Excelência nos Negócios na Harvard Business Review Brasil várias vezes grandes líderes disseram que a gestão de pessoas é pilar fundamental para a excelência da liderança. Um líder tem de buscar compreender o que de fato motiva e inspira seus colaboradores. A nova métrica diz que a motivação não é mais algo pasteurizado. Jaime Szulc, presidente para América Latina da Goodyear disse: “A liderança tem de ser humanista, é preciso ativar pessoas para que façam seu melhor. No fundo, todos querem contribuir para o mundo que vivem”. E completa afirmando ser um líder que acredita em motivar pessoas, “mas como pessoas são únicas pra cada uma delas o impulso será diferente”.

No mesmo evento, o professor Soumitra Dutta, reitor da Escola de Gestão da Universidade de Cornell (Estados Unidos), fez algumas observações interessantes: “Temos de pensar realmente fora da caixa. A excelência dos negócios se baseia em dois pilares: inovação e gestão de pessoas”. Em relação à gestão, ele disse: “Quanto mais tentarmos mudar o comportamento das pessoas, menos motivadas elas estarão. Muitas vezes, líderes impõem seu jeito e suas intenções no outro. Pessoas são diferentes e temos de perguntar o que as motiva, entender o que é importante para cada uma delas”, afirmou.

“As empresas que buscam pela alta performance tem de saber cuidar da felicidade de seus colaboradores e entender o que os faz acordar todos os dias e seguir para o trabalho. A busca por um contexto e um ambiente em que pessoas possam se desenvolver sentindo-se úteis e reconhecidas é um dos grandes desafios dos dias de hoje. A verdade é que todos nós queremos nos sentir competentes no que fazemos”, complementou, no evento.

Acho que é exatamente isso que torna o estudo mais complexo e, ao mesmo tempo, mais interessante. Pessoas se motivam por fatores absolutamente diversos e a compreensão desses fatores é o que está alterando as bases e ferramentas de motivação. Pessoas querem mais do que remuneração. As pessoas saíram da caixa. Não somos mais os laranjas mecânicas da Revolução Industrial. O padrão comportamental passou por grandes mudanças, dando espaço para que cada um pudesse assumir sua anima; cada qual vibrando com impulsos diferentes.

A banda Titãs, no final dos anos 1980, foram visionários no que proclamou, de forma simples, no sucesso “Comida”:

“A gente não quer só dinheiro

A gente quer dinheiro e felicidade

A gente não quer só dinheiro a gente quer inteiro e não pela metade…

Você tem sede de que? Você tem fome de que?…

Afinal, a gente tem fome de que? Tem sede de que?”

A música “Comida” ilustra bem o novo cenário lotado de pessoas que não querem mais apenas o dinheiro. Querem se sentir inteiras, buscar seu propósito e muitos querem deixar um legado. Querem existir além do café da manhã e do jantar, preencher o vácuo e fazer valer a existência.

Para esses, o verdadeiro líder vai muito além da “chefia”, aquela figura de chefe dos seriados antigos e desenhos animados. Aquele que ainda não mudou e olhou para os olhos de seus colaboradores não vai assegurar por muito tempo seu lugar ao sol. Os verdadeiros líderes inspiram, são personas que de algum modo queremos seguir, continuar os feitos e acompanhar.

Lead or lead: that is the question

The discussion round lately leadership seems to be endless. New models appeared in front of leaders in recent decades impacting the way we see the one in the above step. Most charismatic leaders, engaging, “arrivals” or visionaries litters the market bringing fresh air and new perspectives. But, after all, why the “gist” of leadership impacts both our daily life? What kind of manager you want to be today or who you will be inspired to lead in the future?

To paraphrase the philosopher Mario Sergio Cortella, author I really like, here’s an excerpt from one of his books: “What is leadership? It’s being able to inspire. Inspiring people, ideas, projects, situations. The leader is one who inflates vitality. I am not using the word ‘inspiration’ for nothing. The notion is to inspire vitality. It is animate. The leader is able to animate, which comes from the Latin word anima means soul and anima … comes ‘animal’, ‘animation’, ‘lively’. The fundamental task that develops leadership is being able to inspire people. Many people are not able to inspire, is only able to expire. Taking animation, draw vitality. If someone does not expire, you may not be a leader, you can only be boss. But boss is anchored in a hierarchy “(What is your work? Concerns about purposeful management, leadership and ethics.)

The above already explains a lot, especially some of the reasons why companies led by inspiring leaders generate good results for their employees and, by extension, in their business. We always say that no one in our texts motivates anyone, but we are able to inspire and managers imbued with this energy end up being admired and followed.

One of these days, an event that Business Excellence in Harvard Business Review Brazil heard countless times of great leaders that people management is a fundamental pillar for leadership excellence. A leader has to try to understand what actually motivates and inspires employees. A new metric that the motivation is no longer something pasteurized. Jaime Szulc, president for Latin America at Goodyear said: “Leadership has to be a humanist, you must enable people to do their best. Deep down, everyone wants to contribute to the world they live. ” And Full claiming to be a leader who believes in motivating people, “but as people are unique to each impulse is different.”

At the same event, Professor Soumitra Dutta, Dean of the School of Management at Cornell University (USA), made some interesting observations: “We have to really think outside the box. The excellence of the business is based on two pillars: innovation and people management. ” Regarding management, he said: “The more we try to change people’s behavior, they will be less motivated. Often, leaders impose their way and their intentions on the other. People are different and we have to ask what motivates them, understand what is important to each of them, “he said.

“Companies looking for high performance has to learn to take care of the happiness of their employees and understand what makes you wake up every day and go to work. The search for a context and an environment in which people can develop feeling useful and recognized one of the great challenges of today. The truth is that we all want to feel competent in what we do, “he added, in the event.

I think that is exactly what makes the study more complex and at the same time more interesting. People are motivated by different factors thoroughly and understanding of these factors is what is changing the basis and motivation tools. People want more than remuneration. People came out of the box. Oranges are not the most mechanical of the Industrial Revolution. The behavioral pattern has undergone major changes, making room for each could take his anima, each vibrating with different impulses.

The band Titans in the late 1980s, were the visionaries who proclaimed, simply, success in “Food”:

“We do not want just money

We want money and happiness

We do not want only money we want full, not half …

Do you thirst for that? You must hunger for it? …

After all, we have that hunger? Thirsts that? ”

The song “Food” illustrates the new environment full of people who not only want more money. Want to feel whole, to seek their purpose and many want to leave a legacy. They want to be apart from breakfast and dinner, fill the void and assert the existence.

For these, the true leader goes far beyond the “head”, that figure head of old sitcoms and cartoons. That still has not changed and looked into the eyes of your employees will not ensure long your place in the sun. True leaders inspire, are personas that somehow we then continue the accomplishments and track.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: