PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    fevereiro 2013
    D S T Q Q S S
    « jan   mar »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    2425262728  

A importância do “teste do Advogado do Diabo” para o empreendedor

Posted by HWBlog em 18/02/2013

a importãncia do advogado do diaboPor mais capaz e competente que seja o empreendedor, ele não consegue vislumbrar todas as diversas perspectivas e nuances que cercam seu negócio

Um dos exercícios mais valiosos que um empreendedor pode realizar para o bem do seu negócio é a abertura às críticas construtivas sobre as idéias relacionadas ao seu empreendimento.

Por mais capaz e competente que seja o empreendedor, ele não consegue vislumbrar todas as diversas perspectivas e nuances que cercam seu negócio, sobretudo se ele é um especialista por formação ou por experiência em uma determinada área. Na maioria das vezes, um excelente técnico encontra dificuldades em compreender as regras de mercado e a receptividade do seu público-alvo às características intrínsecas de seu produto. Da mesma forma, um analista financeiro não se sente à vontade ao lidar com aspectos relacionados aos bastidores das negociações comerciais e políticas com parceiros, clientes e fornecedores.

A verdade é que não existem empreendedores completos, detentores de 100% de todas as características que tanto ouvimos e elevam os empreendedores à categoria de ‘super-homens’. Até os mais proeminentes empreendedores conhecidos, se cercaram de pessoas competentes em habilidades complementares às suas.

Conhecer o negócio por inteiro é, portanto, um dos requisitos fundamentais de todo empreendimento de sucesso. Como já mencionado em outros artigos, o Plano de Negócios é um dos instrumentos que ajuda o empreendedor a: ou conhecer melhor o seu negócio, ou se dar conta da sua ignorância sobre todos os fundamentos a ele relacionados.

‘Como saber o que posso estar esquecendo de importante sobre o meu negócio?’. Esta é uma das maiores angústias do empreendedor veterinário que abriu uma pet shop, do tecnólogo que abriu uma assistência técnica em micro informática, do jornalista que abriu sua assessoria de imprensa e outros profissionais que estão batendo cabeça em suas aventuras pelo mundo empreendedor.

O teste do Advogado do Diabo é uma forma de lidar com esta questão. Trata-se de uma técnica que abre espaço para o processo de validação de uma idéia, seja ela uma proposta de solução de um determinado problema, um novo negócio ou a avaliação de uma oportunidade. O empreendedor cerca-se de pessoas que façam parte de sua equipe, especialistas em diversas áreas ou pessoas de confiança, para um encontro com este fim específico. Cada participante representa o papel do advogado do diabo, um algoz, mesmo que acredite firmemente nas idéias. É um exercício que estimula o pensamento reverso, a capacidade de enxergar as mesmas coisas sob outros ângulos, um brainstorming ao contrário, sem o intuito de criar novas idéias, mas validar aquela que já existe, questionando-a, criticando-a, colocando-a em situações de conflito, levantando objeções e duvidando de sua viabilidade.

Quando o grupo adota esta postura, está na verdade testando a idéia, colocando à prova seus conceitos e fundamentos, legitimando a proposta e identificando pontos importantes que precisam de uma resposta aceitável. O objetivo do grupo não é a malhação da idéia pura e simplesmente falando, mas tentar levantar questões que não necessariamente o empreendedor tenha se atentado, ou dado a devida importância.

Numa sessão do advogado do diabo o empreendedor não precisa ter resposta para todas as perguntas que a sua equipe fizer, mas precisa estar atento para buscar uma solução para um item que ele julgue importante e que não havia sido cogitado antes. O advogado do diabo parte do pressuposto que nada está bom, nada está funcionando bem, nada pode ser assumido como garantia de sucesso. Para ele sempre haverá alguma falha em algum ponto  do modelo. Muitos dos itens que farão parte do Plano de Negócios sairão de uma dinâmica como esta.

O mais difícil na condução desta técnica é saber diferenciar as críticas construtivas das negativas sem o viés gerado pelo sentimento de propriedade e paternalismo sobre a idéia. Por isso, as sessões em grupo são mais eficazes, pois as perguntas evoluem a partir da troca que ocorre dentro do grupo. Por exemplo, um pergunta, o outro complementa, um terceiro dá um exemplo e o quarto sugere as conseqüências. Os quatro, assim, corroboram e colaboram para a compreensão ampla da preocupação levantada.

Outro problema que costuma surgir neste exercício é a tendência do empreendedor assumir uma postura excessivamente defensiva, buscando sempre uma justificativa e uma resposta plausível para todos os comentários que surgem. É preciso lembrá-lo que não se trata de uma defesa pública de sua idéia, ele não precisa ‘inventar’ respostas para convencer os outros que sua idéia é boa, em lugar disso, é uma boa prévia que simula as perguntas que uma banca de investidores, por exemplo, poderia fazer, mas com o conforto de poder dizer simplesmente: ‘Não sei, não havia pensado nisso, mas vamos verificar!’ pois ele se encontra entre amigos, parceiros e sócios que, inclusive, deverão se mobilizar depois para ajudar a cobrir estes buracos descobertos no modelo de negócio.

A regra é: Descubra seus próprios defeitos, antes que os outros o façam!

– Marcos Hashimoto

The importance of “testing the Devil’s Advocate” for the entrepreneur

For more able and competent to be an entrepreneur, he can`t foresee all the different perspectives and nuances that surround your business

One of the most valuable exercises an entrepreneur can accomplish for the good of your business is open to constructive criticism about ideas related to your enterprise.
For more able and competent to be an entrepreneur, he can`t foresee all the different perspectives and nuances that surround your business, especially if he is an expert by training or experience in a particular area. Most often, one finds excellent technical difficulties in understanding the rules of the market and responsiveness of your audience to the intrinsic characteristics of your product. Likewise, a financial analyst does not feel at ease when dealing with issues related to trade negotiations and backroom politics with partners, customers and suppliers.
The truth is that there are entrepreneurs complete, holders of 100% of all the features that elevate both hear and entrepreneurs to the category of ‘supermen’. Even the most prominent entrepreneurs known, surrounded themselves with competent people in their complementary skills.
Knowing the whole business is, therefore, a fundamental requirement of any successful venture. As mentioned in other articles, the Business Plan is a tool that helps the entrepreneur: or know your business better, or realize their ignorance about all the basics related to it.
‘How do you know what I might be forgetting important about my business?’. This is one of the biggest pains of veterinary entrepreneur who opened a pet shop, which opened Technologist technical assistance for micro computer, the journalist who opened his press and others who are hitting head on his adventures around the world entrepreneur.
The test of the Devil’s Advocate is a way to deal with this issue. This is a technique that makes room for the validation process of an idea, whether a proposed solution to a given problem, a new business or evaluating an opportunity. The entrepreneur is about people who are part of your team, specialists in several areas or people you trust, for a meeting with this specific purpose. Each participant plays the role of devil’s advocate, an executioner, who firmly believe in the same ideas. It is an exercise that stimulates thinking reverse, the ability to see the same things from other angles, unlike brainstorming, without the intention of creating new ideas, but validate that which already exists, questioning it, criticizing it, putting in the conflict, raising objections and doubting its feasibility.
When the group adopts this posture, is actually testing the idea, putting to the test their concepts and fundamentals, legitimizing the proposal and identifying important points that need an answer acceptable. The group’s goal is not the workout idea of ​​simply talking, but try to raise issues that do not necessarily have the entrepreneur is bombing, or given due importance.
At a session of the devil’s advocate entrepreneur need not have to answer any questions that your team does, but must be careful to find a solution to an item that he deems important and had not been considered before. The devil’s advocate assumes that nothing is good, nothing is working well, nothing can be taken as a guarantee of success. For him there will always be some failure somewhere in the model. Many of the items that will be part of the Business Plan will leave a dynamic like this.
The more difficult the conduct of this technique is able to differentiate constructive criticism without the negative bias generated by the feeling of ownership and paternalism on the idea. Therefore, the group sessions are more effective, since the questions evolve from the exchange that occurs within the group. For example, a question, the other complements, a third and fourth sets an example suggests the consequences. The four thus corroborate and collaborate for the broad understanding of the concern raised.
Another problem that often arises in this exercise is the tendency of the entrepreneur take an excessively defensive, always looking for an excuse and a plausible answer to all the comments that arise. We must remind you that this is not a public defense of his idea, he does not need to ‘invent’ answers to convince others that your idea is good, instead, is a good preliminary questions that simulates a banking investors, for example, could do, but with the comfort of being able to say simply: ‘I do not know, had not thought of that, but let’s check!’ because it is between friends, partners and associates who even then should be mobilized to help cover these holes discovered in the business model.
The rule is: Discover your own faults, before the others do!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: