PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    setembro 2012
    D S T Q Q S S
    « ago   out »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  

Poder

Posted by HWBlog em 21/09/2012

Poder

“A força tudo conquista, mas suas vitórias são efêmeras… Praticamente todos os homens são capazes de sobreviver à adversidade, mas, se você quiser pôr o caráter de um homem à prova, dê-lhe poder.”

Abraham Lincoln, décimo-sexto presidente dos Estados Unidos

Todos os relacionamentos humanos se baseiam no poder, a capacidade de influenciar as ações dos outros. Nunca poderemos controlar as pessoas, pois não temos acesso direto aos processos internos que levam as pessoas a fazerem as coisas que fazem. Tudo o que realmente podemos fazer é agir de maneira que encorajem as pessoas a seguir nossas sugestões.

O uso do poder normalmente assume duas formas fundamentais: influência ou compulsão. A influência é a capacidade de encorajar alguém a fazer o que você sugerir. A compulsão é capacidade de forçar alguém a fazer o que você mandar.

Encorajar um empregado a se empenhar um pouco mais com base em um sentimento de fidelidade ou realização é uma influência. Forçar o empregado a trabalhar no fim de semana ameaçando demiti-lo se ele se recusar é compulsão. As ações dos empregados podem ser exatamente as mesmas, mas o modo como eles se sentem em relação a essas ações será bastante diferente.

De um modo geral, a influência é muito mais eficaz do que a compulsão. A grande maioria das pessoas naturalmente resiste a serem forçadas a fazer algo contra a sua vontade ou decisão, de forma que não é uma estratégia recorrer constantemente à compulsão. Intimidar e oprimir as pessoas só faz com que elas antipatizem com você e elas encontrarão maneiras de se vingar ou deixarão de trabalhar para você assim que tiverem a chance. A influência, porém, é sustentável, ou seja, encorajar as pessoas a querer o que você quer lhe proporciona os resultados desejados sem provocar má vontade desnecessária.

Goste ou não, todo mundo recorre ao poder para atingir seus objetivos. Em “As 48 Leis do Poder” de Robert Greene se argumenta que ninguém está completamente isento de lidar com os outros, o que inevitavelmente envolve poder.

O poder é uma ferramenta neutra, o que pode ser utilizada para o bem ou para o mal. O poder representa a sua capacidade de atingir seus objetivos por meio de outras pessoas, quanto mais poder tiver, mais você poderá realizar. Dessa forma, não há nada de moralmente errado em buscar conscientemente aumentar o seu poder, desde que você respeite os direitos dos outros. Quanto mais poder tiver, mais poderá realizar, mas grande poder vem acompanhado de grande responsabilidade.

A razão pela qual as interações entre grupos de pessoas inevitavelmente se tornam politizadas é a própria natureza do poder. Se você não tiver um plano, as suas ações serão decididas por outra pessoa. Quando se recusa a se empenhar para avançar na direção que considera melhor, você está concedendo o seu poder a pessoas que de fato têm planos. Recuse-se a aceitar a importância do poder e você provavelmente descobrirá que qualquer influência que tiver desaparece rapidamente. A única maneira de vence é decidir jogar.

A melhor maneira de aumentar o seu poder é fazer coisas que reforcem a sua influência e reputação. Quanto mais pessoas conhecerem as suas aptidões e respeitarem a sua reputação, mais poder você terá.

Haroldo Wittitz, economista

Power

“The strength all-conquering, but its victories are ephemeral … Virtually all men are capable of surviving adversity, but if you want to put the character of a man proof, give him power. ”

Abraham Lincoln, tenth-sixth president of the United States

All human relationships are based on power, the ability to influence the actions of others. We can never control people because we do not have direct access to the internal processes that lead people to do things they do. All we really can do is act in ways that encourage people to follow our suggestions.

The use of power usually takes two basic forms: influence or compulsion. Influence is the ability to encourage someone to do what you suggest. The compulsion is the ability to force someone to do what you say.

Encourage an employee to engage a bit more based on a sense of loyalty or performance is an influence. Forcing the employee to work at the weekend threatened to fire him if he refuses is compulsion. The actions of employees can be exactly the same, but how they feel in relation to those shares will be quite different.

Generally speaking, the influence is much more effective than compulsion. The vast majority of people naturally resist being forced to do something against their will or decision, so that is not a strategy constantly resorting to compulsion. Intimidate and oppress people only makes them antipatizem with you and they will find ways to succeed or fail to work for you so you have a chance. The influence, however, is sustainable, ie encourage people to want what you want gives you the desired results without causing unnecessary ill will.

Like it or not, everyone uses the power to achieve their goals. In “The 48 Laws of Power” by Robert Greene argued that no one is completely free from dealing with others, which inevitably involves power.

Power is a neutral tool, which can be used for good or for evil. The power is their ability to achieve their goals through other people, the more power you have, the more you can accomplish. Thus, there is nothing morally wrong with seeking consciously increase your power as long as you respect the rights of others. The more power you have, the more you can accomplish, but great power comes great responsibility.

The reason why the interactions between groups of people inevitably become politicized is the very nature of power. If you do not have a plan, your actions will be decided by someone else. When you refuse to strive to advance in the direction that feels best, you are giving your power to people who do have plans. Refuse to accept the importance of power and you will probably find that you have no influence disappears quickly. The only way to win is deciding play.

The best way to increase your power to do things to enhance their reputation and influence. The more people know their skills and respect their reputation, the more power you will have.

Anúncios

2 Respostas to “Poder”

  1. HEBER SOUZA DE OLIVEIRA said

    GOSTEI MUITO DO ARTIGO.
    ABRAHAM LINCOLN DISSE EM UM DE SEUS DISCURSOS, QUE PARA AJUDARMOS AOS HOMENS NÃO PODEMOS FAZER O QUE ELES DEVEM E PODEM FAZER POR SI MESMOS. MAS ORIENTA-LOS COMO FAZER.

    Curtir

    • HWBlog said

      Obrigado Heber. Abraham Lincoln era, entre outras coisas, um grande pensador. É dele também este pensamento “Podeis enganar toda a gente durante um certo tempo; podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo; mas não vos será possível enganar sempre toda a gente.” Grato pelo acompanhamento. Abs, Haroldo

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: