PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    julho 2012
    D S T Q Q S S
    « jun   ago »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031  

Dialogar com a classe C não é fácil

Posted by HWBlog em 05/07/2012

Conversar e se conectar com classes emergentes, e em meio à imensidão de ofertas e excesso de estímulos que o mercado oferece. Essa é a diretriz que rege as ações de marketing de algumas marcas. Consumidores de classes menos favorecidas ganharam um poder de compra que nunca tiveram nos últimos anos. E os anunciantes logicamente passam a olhar para esse segmento de mercado com muito apetite. Redes de lojas como Casas Bahia, Marabraz, Lojas CEM, Pão de Açúcar e Magazine Luiza constroem posicionamentos e promessas de marca assentadas na classe C e na conquista da felicidade. Comprar é prazer, e eu consumo para buscar a felicidade.

Cada um com sua estratégia de conexão com a classe C. Boa parte dessas marcas usam slogans que remetem à felicidade, como por exemplo: “Vem ser feliz”, “Lugar de gente feliz”, entre outros. Já a equipe das Lojas Pernambucanas montou um hotsite de Luan Santana. A própria inauguração do Shopping Mais Largo 13, no bairro de Santo Amaro, em São Paulo, é a tentativa assumida de se construir centros de consumo destinados a esse segmento de mercado. Lá instalam-se lojas que possuem um posicionamento de marca claramente focado a classe C, marcas como Marisa, Giraffas, Habib’s e O Boticário estão lá com suas lojas lindas, iluminadas e convidativas ao consumo. Afinal, comprar é gostoso sim.

Recentemente parei para escutar no rádio do meu carro a Nativa FM, emissora mais ouvida de São Paulo. Entre uma música ou outra de Zezé di Camargo e Luciano, ou Paula Fernandes,entra um spot da Anhanguera Educacional com um texto mais ou menos assim: “Você quer viajar pela empresa? Você quer liderar equipes? Conheça a Pós-Graduação da Anhanguera, parcelas que cabem no seu bolso, etc, etc, etc”. Oras, eu me pergunto: desde quando viajar pela empresa e liderar equipes é sinônimo de sucesso profissional? Pelo visto, a Anhanguera entende que isso sim são metas almejadas por seus potenciais alunos.

O grande desafio é dialogar sem esteriotipar. As telenovelas da Rede Globo “Avenida Brasil” e “Cheias de Charme” estão hoje tentando criar níveis de conexão com esse público. A primeira, por meio de personagens como Leleco (interpretado por Marcos Caruso) ou Tufão (papel de Murilo Benício) buscar recriar trejeitos, comportamentos culturais e hábitos do consumo que permeiam o cotidiano da classe C. Já a telenovela das sete coloca como protagonistas da trama empregadas domésticas de uma forma muito esteriotipada, com roupas extravagantes, fãs de artistas midiáticos, usando gírias, ditando moda, e compartilhando fotos de galãs pelo celular pré-pago.

Por mais que se façam pesquisa focus group com pessoas da classe C para entender a fundo como se comportam e como agem, os diretores de criação, redatores e planners das agências de publicidade geralmente são pessoas muito distantes economicamente dessas classes da base da pirâmide. E como então se conectar sem esteriotipar? Esse é o novo desafio. E na minha visão, ninguém ainda conseguiu dialogar com a classe C de uma forma honesta. Ficam exagerando em clichês, em fotos de banco de imagem e em formatos enlatados de comunicação. Nesse sentido, parece  que conversar com pessoas de classe AAA é mais fácil.

Por fim, e para literalmente fechar esse artigo com chave de ouro, trago à tona a nova campanha da rede de supermercados DIA que está entendendo que pessoas de classe C tem aspirações se ser rica como a  socialite Val Marchiori, uma das protagonistas do reality show “Mulheres ricas”. A campanha foi criada pela Z+ em parceria com a Media Contacts. O plano de comunicação da marca inclui três filmes, anúncios, além de peças para a web e de merchandising (promoção no ponto de venda). O mote da campanha tenta reforçar os três pilares da marca: “preço baixo, proximidade e marca própria” e são apresentados por Val em situações do seu dia-a-dia. Ela explica porque não faz suas compras na rede, pois o que mais gosta é gastar. Em campanhas milionárias como essa, a marca DIA corre o risco de se desconectar da classe que deseja atingir. Sem dizer que uma das peças ficou muito parecida com a campanha da SKY com Gisele Bündchen. Ou seja, propaganda grátis para a SKY, e o Diretor de Marketing deles agradece.

Que loucura!

Marcos Hiller: Author

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

Interact with the C class is not easy

Chat and connect with emerging classes, and amid the multitude of offers and over-stimulation that the market offers. This is the guideline which governs the marketing activities of some brands. Consumers of the lower classes gained buying power they never had in recent years. And of course advertisers are looking at this market segment with a big appetite. Chain stores such as Casas
Bahia, Marabraz, Shops CEM, Sugar Loaf and Magazine Luiza positioning and build brand promises settled in the class C and the conquest of happiness. Shopping is pleasure, and I use to pursue happiness.

Each with its strategy of connecting to the class C. Much of these brands use slogans that lead to happiness, such as: “Come be happy”, “Place of happy people,” among others. Have the team set up a hot site Shops Pernambucanas Luan Santana. The very opening of the Largo Mall Over 13, in Santo Amaro, São Paulo, is the effort taken to build centers of consumption for this market segment. There settle stores that have a clearly focused brand positioning of the class C, brands like Marisa, Giraffas, Habib’s and The Apothecary stores are there with their beautiful, bright and inviting consumption. After all, shopping is rather nice.

Recently I stopped to listen to the radio in my car to Native FM radio station heard more of. Enter a song or another of Zeze di Camargo and Luciano, or Paula Fernandes, enter a spot of Anhanguera with a text like this: “You want to travel for business? You want to lead teams? Meet the Graduate Anhanguera, portions that fit in your pocket, etc, etc, etc “. Why, I wonder: since when traveling by the company and leading teams is synonymous with professional success? Apparently, Anhanguera understand that yes they are potential targets sought by their students.

The challenge is to talk without stereotype. Globo’s telenovelas “Brazil Avenue” and “Full of Charm” are now trying to create levels of connection to the public. The first, through characters like Leleco (played by Mark Caruso) or Typhoon (Murilo Benicio role) seek to recreate gestures, behaviors and habits of cultural consumption that permeate daily class C. Since the soap opera of the seven places as the protagonists of the plot maids in a very stereotyped, with fancy clothes, fans, media artists, using slang, dictating fashion, and sharing pictures of heartthrobs for prepaid cell.

As much as we do is focus group research with people from Class C to fathom how they behave and how they act, the creative directors, writers and planners in advertising agencies are usually people far removed from these classes cost base of the pyramid. And then how to connect without a stereotype? This is the new challenge. And in my view, nobody has managed to talk to the class C in an honest manner. They are exaggerating in cliches, in photo image bank and canned formats of communication. In this sense, it seems that people talk to Class AAA is easier.

Finally, and to literally close this article with a golden key, bring to light the new campaign for supermarket chain DIA, which is understanding that C-class people have aspirations to be as rich socialite Val Marchiori, one of the protagonists of the reality show “Rich Girls”. The campaign was created by Z + in partnership with Media Contacts. The brand communication plan includes three films, ads, and pieces for the web and merchandising (promotion at point of sale). The motto of the campaign seeks to strengthen the three pillars of the brand: “low price, proximity and its own brand” and are presented by Val in situations of your day to day. She explains why not do your shopping on the net, because he likes most is to spend. Millions in campaigns like this, the brand DIA runs the risk of disconnecting the class you want to achieve. Not to mention that one of the pieces was very similar to the campaign with Gisele Bündchen SKY. That is, free advertising for SKY, Director of Marketing and thank them.

What folly!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: