PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    junho 2012
    D S T Q Q S S
    « maio   jul »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930

Howard Gardner: o psicólogo que mudou a forma de pensar a inteligência

Posted by HWBlog em 20/06/2012

Professor da Universidade de Harvard e da Boston School of Medicine, Gardner balançou as bases da Educação ao defender um método novo e ousado para medir o grau de inteligência nas pessoas. Seus mais de vinte livros e centenas de artigos vêm, ao longo de décadas, influenciando acadêmicos e educadores de todo o mundo. E ele não quer parar…

Os critérios para determinar se alguém é inteligente mudaram radicalmente nos últimos 20 anos. E um dos responsáveis por essa transformação, sem sombra de dúvida, foi o psicólogo americano Howard Gardner. Ele desafiou a sabedoria convencional sobre a compreensão da inteligência humana ao concluir que a mente é composta de múltiplas capacidades independentes entre si, ao invés de apenas uma. Para Gardner, a inteligência não pode ser medida só pelo raciocínio lógico-matemático, geralmente o mais valorizado na escola.

Porém, seus estudos vão além. Gardner também desenvolveu uma tese daquilo que chama de “Cinco mentes para o futuro”, ao demarcar os tipos de competências que são necessárias para alcançar o sucesso pessoal e profissional no século 21. Ele promove, ainda, o grupo de pesquisa Good Work Project, com atuação pelo mundo, que defende o comportamento ético e a melhora na autoestima profissional. O psicólogo relata sobre o seu trabalho realizado desde meados de 1980, e também sobre os novos caminhos da sociedade para a educação e para o trabalho.

Pergunta: Em sua teoria das Inteligências Múltiplas, você destaca que cada pessoa possui uma mistura singular de vários tipos de inteligência. Mas como exatamente funciona esse processo?

Todos os seres humanos possuem oito ou nove inteligências principais – linguística, lógica, musical, espacial, corporal, interpessoal, intrapessoal e naturalista. Além disso, existe a possibilidade de possuirmos uma inteligência existencial – a inteligência de refletimos sobre grandes questões.

No entanto, duas pessoas não possuem exatamente o mesmo perfil de inteligências – nem mesmo gêmeos idênticos. Isso acontece porque nós temos experiências e motivações diferentes, e não queremos ser como os outros.

Conhecidas essas diferenças, educadores e pessoas de negócios têm uma escolha. Cada um de nós pode tentar fazer o mesmo, ou podemos celebrar as diferenças e tentar ajudar indivíduos a encontrarem seu próprio nicho, de acordo com seus potenciais e interesses.

Pergunta: Se pensarmos nos administradores pelo mundo e nos tipos de inteligência que descreve, quais seriam as inteligências mais necessárias para saber administrar? Por quê?

Isso depende da natureza do trabalho. Se você trabalha em algum tipo de organização artística (museus ou moda), você lida com inteligências diferentes das quais lidaria se trabalhasse em uma companhia manufatureira, financeira ou tecnológica. É claro que o papel que você exerce na organização também importa. Se você trabalha com cálculo e orçamento, a inteligência lógica é importante. Caso a pessoa trabalhe na área de recursos humanos, as inteligências pessoais se tornam mais relevantes. Já para quem pretende atuar com comunicação, a inteligência linguística é crucial.

É claro que cada gestor precisa ser capaz de trabalhar com diferentes indivíduos e, neste caso, ambas as inteligências – a interpessoal (compreender os outros) e a intrapessoal (compreender a si mesmo) são vitais.

Pergunta: Você tem uma análise bem crítica sobre os testes padronizados e os famosos testes de QI. Qual seria o motivo?

Há 100 anos, os testes de QI tinham o objetivo de predizer quem melhor se encaixaria em um determinado tipo de escola. Eles fazem isso muito bem, mas eu tenho um preditor muito melhor – a performance no último ano de escola. O problema com testes de QI é que eles fazem um trabalho racional de análise das inteligências linguística e lógica, mas não testam as outras inteligências que, inclusive, são muito importantes para o trabalho no século 21.

Quanto a testes padronizados, o que realmente contesto são as respostas curtas e opções de múltipla escolha, que primeiramente observam o conhecimento factual. A vida não consiste em testes de múltipla escolha – você precisa decidir o que é importante e como lidar com isso. Usar padrões é muito bom, mas padrões precisam ser apropriados às tarefas imediatas.

Agora com computadores, podemos olhar diretamente para as performances, através de simulações diretas das capacidades que são necessárias. Essa é uma maneira muito melhor de avaliar competências que um teste de múltipla escolha.

Além disso, não existe mais a necessidade de memorizar fatos. Eles podem ser rapidamente obtidos em computadores pessoais e smartphones. Precisamos de pessoas para entender como aqueles fatos são apurados – os métodos que são usados por diferentes disciplinas e diferentes profissões… e que se alega não terem nenhum mérito.

Pergunta: Você acredita que a educação ao longo do tempo vem sofrendo problemas pela maioria das escolas tratarem todos os alunos da mesma maneira?

Sim, mas quando você tem aulas extensas e professores que não são versáteis, isso é inevitável. No passado, apenas um grupo tinha educação individual – os muito ricos, que podiam contratar tutores. Agora, vivemos pela primeira vez na história da humanidade um tempo em que educação individual pode ser amplamente distribuída, através dos computadores. Se existem dez maneiras de se aprender álgebra, ou como consertar uma máquina, ou como dar sentido a uma guerra civil, todas essas respostas podem ser obtidas on-line ou por aprendizado a distância. A perspectiva é muito animadora!

Pergunta: Analisando os países emergentes, como o Brasil poderia melhorar a educação nas escolas para potencializar as habilidades e os tipos de inteligências dos nossos alunos?

A teoria das inteligências múltiplas recomenda dois passos: individuação e pluralização. Individuação significa que devemos ensinar a cada indivíduo de modo que ele possa aprender facilmente, e avaliar esta pessoa de maneiras que sejam cômodas. Pluralização significa que devemos ensinar assuntos importantes de mais de uma maneira. Se você pode lecionar um assunto de diferentes modos, você recebe duas recompensas importantes:

1) Você alcança mais estudantes, porque alguns aprendem melhor através de histórias, outros por meio da lógica, ou trabalhos artísticos, ou esquemas; 2) Você tem uma demonstração do que significa compreender bem alguma coisa. Se você compreende bem qualquer assunto ou ofício, você pode apresentá-lo de diferentes maneiras.

Nós temos uma vasta experiência em treinar a mente disciplinada, muito menor que nas mentes sintética ou ética. E então aqueles países que podem buscar esses tipos de mentes com êxito terão uma grande vantagem. Muito do que é errado nos Estados Unidos, e em países influenciados pelos Estados Unidos, é que estamos preparando nossos jovens para os séculos 19 ou 20.

Pergunta: Você também desenvolveu a tese das “Cinco mentes para o futuro”, na qual ressalta como essenciais para o século 21 a mente sintética, disciplinada, criativa, respeitosa e ética. Quais foram as razões que o levaram a escolher essas cinco abordagens como fundamentais?

Em meu trabalho com inteligências, eu operei como um pesquisador, tentei definir as inteligências humanas essenciais. Quando recomendo cinco mentes para o futuro, estou agindo como um diplomata. Não existe nada mágico sobre as cinco mentes. Eu poderia ter escrito sobre a ‘mente tecnológica’ ou ‘a mente digital’ ou ‘a mente intercultural’. Escrevi sobre mentes que considerei importantes e acredito que contribuí para coisas importantes.

Pergunta: Mas qual delas é a mais importante?

Acredito que todas elas são necessárias, mas a respeitosa e a ética são as mais importantes. Se não tivermos respeito pelos indivíduos, particularmente aqueles aparentemente diferentes de nossas famílias, e se não nos comportarmos de um modo ético, o planeta que conhecemos não existirá. As pessoas no Brasil têm a imensa vantagem de viver em uma cultura muito diversa. Isso é muito mais difícil para pessoas que vivem em uma cultura mais homogênea, como na área agrária da China, ou Escandinávia.

Quanto às outras três mentes, existem mais opções: algumas pessoas serão peritas sintéticas e algumas pessoas serão criativas/empresariais. Mas todas as pessoas precisam ter habilidade em alguma área, e esse é o aspecto onde a mente disciplinada se torna crucial.

Pergunta: Ainda sobre as cinco mentes, você poderia nos apontar pessoas que seriam excelentes exemplos por possuírem com desenvoltura uma dessas mentes?

Existem exemplos em abundância de indivíduos com mentes disciplinadas – bons estudiosos, artistas, profissionais. Como um grande sintético, menciono o biólogo Charles Darwin. Na era contemporânea, dois grandes biólogos sintéticos são E. O. Wilson e Stephen Jay Gould, ambos colegas em Harvard.

Eu escrevi um livro chamado “Criando Mentes”, sobre sete grandes criadores da era moderna: o físico Albert Einstein, o poeta T. S. Eliot, o pintor Pablo Picasso, o músico Igor Stravinsky, o psicanalista Sigmund Freud, a dançarina Martha Graham, e o líder religioso-político Mahatma Gandhi.

O presidente Barack Obama exemplifica uma mente respeitosa, enquanto o presidente Abraham Lincoln tinha uma mente ética.

Pergunta: Quais são seus próximos passos em relação a pesquisas? No momento, está trabalhando alguma nova pesquisa que poderia nos contar?

Meu trabalho atual representa um esforço em dar condições ao meu país e a outras localidades. Nos últimos cinquenta anos, os mercados também se tornaram poderosos em demasia nos Estados Unidos e acabaram trazendo uma situação em que a maioria da população é impulsionada pelo medo, de um lado, ou pela ganância, por outro. Então, colegas e eu temos tentado promover o bom trabalho, ou seja, o trabalho que é excelente, engajado e ético.

Além disso, pregamos a boa cidadania, sendo ela, que consta em membros que conhecem as leis e regulamentos de uma sociedade, preocupam-se com eles e tentam fazer o que é certo para uma convivência mais plena. Nós também estamos empreendendo esforços para aumentar a incidência do bom trabalho nos Estados Unidos.

Você pode aprender mais sobre esse projeto visitando os sites goodworkproject.org e hgoodworktoolkit.org.

TED: Author

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

Howard Gardner, the psychologist who changed the way of thinking about intelligence

Professor at Harvard University and Boston School of Medicine, Gardner shook the foundations of education while advocating a bold new method to measure the degree of intelligence in people. His more than twenty books and hundreds of articles have, for decades, influencing scholars and educators from around the world. And he did not want to stop …The criteria for determining whether someone is smart changed radically in the last 20 years. And one of those responsible for this transformation, without a doubt, was the American psychologist Howard Gardner. He challenged the conventional wisdom about the understanding of human intelligence to conclude that the mind is composed of multiple capabilities independent of each other, rather than just one. For Gardner, intelligence can not be measured only by the logical-mathematical, usually the most valued in school.However, their studies beyond. Gardner also developed a theory of what he calls the “Five minds for the future”, to mark the types of skills that are necessary to achieve personal and professional success in the 21st century. It also promotes research group Good Work Project, which operates the world, which advocates ethical behavior and professional self-esteem improves. The psychologist reports on its work since mid-1980, and also about new ways of society for education and work.Question: In his theory of Multiple Intelligences, you highlight that each person has a unique blend of various types of intelligence. But how exactly does this process work?All human beings have eight or nine intelligences main – linguistic, logical, musical, spatial, bodily, interpersonal, intrapersonal and naturalist. Moreover, there is the possibility of possessing an existential intelligence – intelligence reflect on major issues.However, no two people have exactly the same profile of intelligences – not even identical twins. This is because we have different experiences and motivations, and do not want to be like the others.These known differences, educators and business people have a choice. Each of us can try to do the same, or we can celebrate the differences and try to help individuals find their own niche, according to their potential and interests.Question: If we think managers in the world and the types of intelligence that describes what would be the more intelligence necessary to learn to manage? Why?This depends on the nature of the work. If you work in any type of arts organization (museum or fashion), you deal with different intelligences which would cope if I worked in a manufacturing company, financial or technological. It is clear that the role you play in the organization also matters. If you work with calculation and budget, logical intelligence is important. If the person working in the field of human resources, the personal intelligences become more relevant. For those who want to work with communication, linguistic intelligence is crucial.Of course, each manager must be able to work with different individuals and in this case, both intelligences – interpersonal (understanding others) and intrapersonal (understanding oneself) are vital.Question: You have an analysis and criticism of standardized tests and the famous IQ tests. What would be the reason?For 100 years, IQ tests were designed to predict who would fit best in a particular type of school. They do it very well, but I have a much better predictor – the performance in the last year of school. The problem with IQ tests is that they do work a rational analysis of the linguistic and logical intelligence, but do not test the other intelligences, inclusive, are very important to work in the 21st century.On standardized tests, which really are the contest short answer and multiple choice options, first note that factual knowledge. Life does not consist of multiple choice questions – you need to decide what is important and how to handle it. Using patterns is very good, but standards need to be appropriate to the immediate tasks.Now with computers, we can look directly at the performances, through direct simulation capabilities are required. This is a much better way to assess skills that a multiple choice test.Moreover, there is no more need to memorize facts. They can be quickly obtained in personal computers and smartphones. We need people to understand how those facts are established – the methods that are used by different disciplines and different professions … and claims that they have no merit.Question: Do you believe that education over time has been suffering problems by most schools treat all students the same way?Yes, but when you have large classes and teachers who are not versatile, it is inevitable. In the past, only one group had individual education – the very wealthy, who could hire tutors. Now, we live for the first time in human history a time when individual education can be widely distributed through computers. If there are ten ways to learn algebra, or how to fix a machine, or how to make sense of a civil war, all these answers can be obtained online or by distance learning. The prospect is very exciting!Question: Analyzing the emerging countries like Brazil could improve education in schools to enhance the skills and types of intelligences of our students?The theory of multiple intelligences recommends two steps: individualization and pluralization. Individuation means that we must teach each individual so that he can easily learn, and evaluate that person in ways that are comfortable. Pluralization means that we must teach subjects relevant to more than one way. If you can teach a subject in different ways, two important rewards you receive:1) you reach more students, because some learn best through stories, others through logic, or artwork, or schemas, 2) you have a demo of what it means to understand something well. If you fully understand any subject or function, you can present it in different ways.We have extensive experience in training the mind disciplined, much less than in the minds synthetic or ethics. And then those countries that may seek these types of minds successfully will have a big advantage. Much of what is wrong in the United States and in countries influenced by the United States, is that we are preparing our youth for ages 19 or 20.Question: You also developed the thesis of the “Five minds for the future”, which stands out as essential for the 21st century synthetic mind, disciplined, creative, respectful and ethical. What were the reasons that led him to opt out of these five approaches as fundamental?In my work with intelligence, I operated as a researcher, I tried to define the essential human intelligences. When you recommend five minds for the future, I’m acting like a diplomat. There is nothing magical about the five minds. I could have written about the ‘mind technology’ or ‘digital mind’ or ‘intercultural mind.’ I wrote about minds that I considered important and I believe contributed to important things.Question: But which one is more important?I think they are all necessary, but respectful and ethics are most important. If we do not have respect for individuals, particularly those apparently different from our families, and do not behave in an ethical manner, the planet that we know will not exist. People in Brazil have the huge advantage of living in a culture very different. This is much more difficult for people living in a more homogeneous culture, as in the land of China, and Scandinavia.The other three minds, there are more options: some people are experts synthetic and some people are creative / business. But all people need to be skilled in some area, and this is the point where the disciplined mind becomes crucial.Question: Still on the five minds, you could point us to people who would be excellent examples with ease by having one of those minds?There are plenty of examples of individuals with disciplined minds – good scholars, artists, professionals. As a large synthetic mention the biologist Charles Darwin. In the contemporary era, two major synthetic biologists are E. O. Wilson and Stephen Jay Gould, both colleagues at Harvard.I wrote a book called “Creating Minds” on seven major creators of the modern era: the physicist Albert Einstein, the poet T. S. Eliot, the painter Pablo Picasso, Igor Stravinsky musician, the psychoanalyst Sigmund Freud, the dancer Martha Graham, and political and religious leader Mahatma Gandhi.President Barack Obama exemplifies a respectful mind, as President Abraham Lincoln had an ethical mind.Question: What are your next steps in relation to surveys? At the moment, is working on some new research that tell us?My current work represents an effort to provide the conditions in my country and elsewhere. Over the past fifty years, the markets have also become too powerful in the United States and ended up bringing a situation where the majority of the population is driven by fear on the one hand, or by greed, on the other. So, colleagues and I have tried to promote the good work, ie work that is excellent, committed and ethical.In addition, we preach of good citizenship, and she set out for members who know the laws and regulations of a society, care about them and try to do what is right for a living more fully. We are also making efforts to increase the incidence of good work in the United States.You can learn more about this project by visiting the sites and goodworkproject.org hgoodworktoolkit.org.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: