PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    abril 2012
    D S T Q Q S S
    « mar   maio »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930  

Archive for 13 de abril de 2012

Minha ideia é brilhante! Quer comprar?

Posted by HWBlog em 13/04/2012

Sua ideia é brilhante? É sim! Mas será que é escalável? Seu produto ou serviço atende uma necessidade ou resolve o problema de um número “x” de futuros consumidores? Esse segmento de clientes que você pretende atuar enxergará uma proposição de valor clara no que você entrega?

Algumas vezes, essas perguntas nem passam pela cabeça daquelas pessoas que estão apaixonadas pela sua ideia ou em alguma oportunidade que identificou.

Na maioria das vezes as ideias são muito boas, mas não estão alinhadas a uma necessidade real do mercado, e quando isso não acontece, essas ideias já nascem com o dia do enterro marcado.

Nós, brasileiros, somos o povo do “bota pra fazer”, e antes de parar um pouquinho e pensar em como fazer determinada ideia dar certo (estratégia), saímos executando, e então quando vamos para o mercado vender essa ideia, bate o primeiro baque: ninguém quer comprar!

E qual a consequência disso? Aprendizado sim, e talvez, desmotivação. E se você não é persistente como o Thomas Edison, pode acabar desistindo já no início.

O pior dessa história, é que na maioria das vezes as ideias são muito boas mesmo, mas não foram bem trabalhadas, não foram amadurecidas, elas não foram lapidadas com as ferramentas adequadas para um posicionamento correto, e isso demanda tempo, esforço, muitos estudos e um pouquinho de conhecimento sobre business.

Planejar é uma tarefa chata? Para uma grande parte das pessoas sim, mas um mínimo de planejamento é necessário quando estamos falando em ir em busca do “desconhecido”.

Tenho estimulado as pessoas a anotarem todas as ideias, insights e maluquices que vier a cabeça. Seja no bloco de notas do smartphone, num post-it, no moleskine, no caderno da faculdade, na agenda de trabalho, enfim, qualquer lugar. Existem softwares free para a criação de mindmaps (mapas mentais) que são muito bons para guardar e organizar essas ideias.

Um monte de ideias, na cabeça não dá muito certo! Não confie na sua memória!

Ainda mais hoje que recebemos em média 3000 informações por dia, já pensou quantas oportunidades passam diariamente a nossa frente e perdemos? E é assim, a gente esquece, e mesmo que essa ideia não faça sentido naquele momento, ela pode fazer ao se conectar com outra!

É impressionante trabalharmos com abordagens que permitem às pessoas utilizarem mais o lado criativo do cérebro e “viajar” nas ideias. Os resultados são fantásticos!

Tenho aplicado em vários projetos, a abordagem do Design Thinking para a Cocriação de Ideias, seja para a criação de produtos, de serviços ou de modelos de negócios, com o viés da inovação.

Para quem não conhece, a abordagem de “pensar como um designer” traz uma série de ferramentas que tem como principal objetivo trabalhar ideias e solução de problemas do lado de lá, ou seja, com empatia.

Dedicar-se a entender quem é o seu cliente, quais as atividades que pratica e o seu comportamento, lhe permite criar um serviço ou produto mais alinhado às necessidades dele.

O tripé do Design Thinking é a Empatia, a Colaboração e a Experimentação, sendo assim, esse modelo mental permite uma atitude mais assertiva, pois o foco é direto nas pessoas.

Philip Kotler, o papa do marketing, definiu em uma de suas últimas publicações, o livro Marketing 3.0, que as empresas tem como desafio fazer do mundo um lugar melhor e precisam olhar para o mercado enxergando o ser humano em sua plenitude, com coração, mente e espírito e que a proposição de valor das empresas precisa ser: funcional, emocional e espiritual.

Inovação é valor percebido, e trabalhar uma ideia com essa abordagem lhe permite navegar em mares desconhecidos (divergência) e trazer para a realidade algo mais concreto ao final do trabalho (convergência), sem perder a essência da ideia.

Ok, mas os empreendedores ou os executivos que estão trabalhando com sua equipe na construção de algum projeto precisam ser especialistas nessas ferramentas? Não, mas eles precisam acreditar no processo e preocupar-se em dar o melhor de si durante o trabalho de construção colaborativa.

É um desafio, não? Mudança de mindset? Sim!

http://player.vimeo.com/video/28875068?title=0&byline=0&portrait=0&color=ffffff

Francisco Albuquerque: Author

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

My idea is brilliant! Want to buy?
Your idea is brilliant? It is! But is it scalable? Your product or service meets a need or solves the problem of an “x” number of future customers? This customer segment that you want to see right serve a clear value proposition in which you deliver?
Sometimes, these questions do not cross your mind of those people who are passionate about your idea or on any opportunity you have identified.
Most often the ideas are very good, but are not aligned to a real market need, and when that happens, these ideas have been born with the day marked the burial.
We Brazilians are the people the “boot to do,” and a little bit before you stop and think about how to work a certain idea (strategy), we went running, and then when we go to market to sell this idea, beats the first bump: nobody wants to buy!
And what is the consequence? Learning yea, and perhaps motivation. And if you is not persistent like Thomas Edison, may end up giving up in the beginning.
The worst of this story is that in most cases the ideas are very good even, but have not been well worked, were not ripe, they were not polished with the right tools for a correct positioning, and this takes time, effort, many studies and a little bit of knowledge about business.
Planning is a boring task? For most people yes, but a minimum of planning is required when we are talking about going in search of the “unknown”.
I have encouraged people to write down all the ideas, insights and craziness that comes to mind. Be in Notepad smartphone, a post-it in moleskine, notebook in college, in work schedule, in short, anywhere. There are free software for creating mindmaps (mindmaps) that are very good to store and organize these ideas.
A lot of ideas in the head does not give very much! Do not trust your memory!
Even more now that we have received information on average 3000 per day, can you imagine how many opportunities pass a day in front of us and we lose? And so, we forget, and even if that idea does not make sense at that moment, she can do to connect to another!
It’s amazing working with approaches that allow people to use more creative side of the brain and “travel” in mind. The results are fantastic!
I have applied in several projects, the approach of Design Thinking for the co-creation of ideas, is to create products, services or business models, with the bias of innovation.
For those not familiar, the approach of “thinking like a designer” has a number of tools that has as main objective to work ideas and solving problems on the other side, ie, with empathy.
Dedicate yourself to understand who your customer is, what activities practice and behavior, allows you to create a product or service more aligned to his needs.
The tripod is the Empathy Design Thinking, Collaboration and Experimentation, so this mental model enables a more assertive, because the focus is directly on people.
Philip Kotler, the marketing of the Pope, set in one of his latest publication, the book Marketing 3.0, which is to challenge companies to make the world a better place and need to look at the market seeing the human being in its fullness, with heart, mind and spirit and the value proposition of business must be: functional, emotional and spiritual.
Innovation is perceived value, an idea and work with this approach allows you to navigate in uncharted seas (divergence) and bring to reality something more concrete at the end of the work (convergence), without losing the essence of the idea.
Ok, but entrepreneurs or executives who are working with your team in building a project need to be experts in these tools? No, but they must believe in the process and worry about giving their best during the construction work collaboratively.
It is a challenge, no? Change of mindset? Yes!

Anúncios

Posted in Empreendedorismo, Inovação | Leave a Comment »

Engenheiro de software é profissão mais promissora

Posted by HWBlog em 13/04/2012

Engenheiros de software, atuários (profissionais especializados em matemática estatística), gerentes de RH, dentistas e planejadores financeiros são hoje os profissionais com o futuro mais promissor no mercado.

É o que indica o site americano de empregos CareerCast.com, que elaborou um ranking com as melhores e as piores profissões dos Estados Unidos neste ano.

Na outra ponta, entre as 20 piores avaliações, estão taxistas, garçons, repórteres, operadores de plataforma de petróleo e lenhadores –que ficaram em último no ranking.

No total, foram listadas 200 profissões que receberam uma pontuação final ponderada de acordo com cinco critérios principais: ambiente de trabalho, potencial de renda, perspectivas de futuro, esforço físico exigido e nível de estresse profissional.

Em cada critério principal, há outros que tentam dimensionar fatores decisivos para o dia a dia profissional.

O site utilizou dados estatísticos oficiais de órgãos governamentais americanos.

Melhores

Em comum, as cinco melhores profissões têm boas perspectivas de renda emprego e renda –há carência de dentistas no mercado americano, por exemplo. Quanto menos chance de ficar desempregado, melhor colocada a profissão ficava no ranking do CareerCast, cuja classificação é anual.

Os atuários, que também estão no topo do ranking, são profissionais que, em razão da especialização da formação, podem atuar no mercado financeiro, com avaliação de riscos ou previdência, por exemplo.

Outro profissional da área financeiro bem valorizado nos EUA é o planejador de finanças, que apareceu entre as dez melhores do ranking pela primeira vez. Outras profissões debutantes entre os dez mais da lista foram gerente de Recursos Humanos, terapeuta ocupacional e gerente de publicidade on-line.

Risco de Vida

No ambiente de trabalho, por exemplo, foram avaliadas as exigências físicas e emocionais decorrentes do ambiente de trabalho; no item que mede o estresse, são considerados a necessidade de contato com o público no trabalho –fonte reconhecida de estresse– e o risco de vida.

CareerCast.com: Author

Haroldo Wittitz: Editor and Publisher

Software Engineer profession is more promising
Software engineers, actuaries (professional specialized in mathematical statistics), HR managers, dentists and financial planners are now professionals with a more promising future market.
It indicates that the site CareerCast.com American jobs, which has produced a ranking of the best and worst jobs in the United States this year.
At the other end, among the 20 worst evaluations are taxi drivers, waiters, reporters, oil rig operators and loggers – which ranked last in the rankings.
In total, 200 were listed professions who received a final score weighted according to five criteria: work environment, income potential, future prospects, and physical effort required level of professional stress.
In each criterion, there are others who try to scale the decisive factors for the day to day work.
The site used official statistics of U.S. government agencies.
Top
In common, the top five professions have good prospects for income, employment and income – there is a shortage of dentists in the U.S. market, for example. The less chance of becoming unemployed, the profession was better placed in the ranking of CareerCast classification, which is annual.
Actuaries, who are also ranked at the top, are professionals who, because of the specialization of training, can operate in financial markets, risk assessment or security, for example.
Other health finance and valued in the U.S. is the financial planner, who appeared among the top ten ranking for the first time. Other professions debutantes among the top ten list were Human Resources manager, occupational therapist and manager of online advertising.
Risk of Life
In the workplace, for example, we evaluated the physical and emotional demands arising from the work environment; the item that measures the stress, are considered the need for contact with the public at work – recognized source of stress – and the risk of life.

Posted in Economia | Leave a Comment »

Descubra se você é o Super-Homem

Posted by HWBlog em 13/04/2012

Tem muita gente tentando voar e ter visão de raio-X e se frustrando, imensamente, por não conseguir.

Não, você não é o Super-Homem. Apesar de óbvio e simples, chegamos, aqui, em um dos grandes impasses da construção humana.

Já se pegou tentando fazer várias coisas ao mesmo tempo e, no final, não dando conta de nenhuma delas? Já se culpou por achar que não tem tempo suficiente para realizar as atividades do trabalho, ir à academia, estudar, criar os filhos e ser um marido ou esposa exemplar? Ou ainda por não conseguir amenizar o problema de alguém que gosta muito? Já fico chateado por não conseguir fazer horas-extras o suficiente para comprar aquele carro dos seus sonhos porque o seu corpo não aguentou de cansaço?

Tem muita gente tentando voar e ter visão de raio-X e se frustrando, imensamente, por não conseguir. E, neste ponto, descobrem, felizmente, que não somos super-heróis e que podemos não saber, não entender e não conseguir. E admitir isso não deve ser sinônimo de ostracismo e sinalização de uma condição menor. É, na realidade, o primeiro passo para que entendamos que estamos em constante aprendizado e que admitir fraquezas não é desmerecimento, é o sinal propulsor na busca de se tornar alguém melhor.

Pensemos em nossas condições que, apesar de humanas, podem e devem ser direcionadas para o positivo:

Limitações – Temos limitações. Físicas, emocionais, intelectuais, sociais, políticas. Tem gente que se limita a sonhar. Tem gente que tem limitações de oportunidades. Mediante isto, levanto duas grandes frentes:

1 – A limitação não deve ser final da estrada. A limitação deve ser, no máximo, o momento de traçar passos para a conquista do desejado. É no momento da constatação da limitação que devemos nos permitir pedir ajuda e buscar, com calma, conhecimentos e situações que nos levem até onde queremos. Está com dificuldades de ser pai? Troque ideias com amigos ou procure um especialista. Não consegue administrar a dor da perda de alguém querido? Peça socorro, não é vergonhoso. Não consegue entregar o resultado esperado pelo seu chefe? Converse com ele e pergunte, mais uma vez, como se faz aquela atividade; peça que ele o acompanhe na próxima execução; pesquise na internet a respeito.

2 – Respeite-se. Ir além de suas limitações antes do passo 1 é o mesmo que se agredir. Não faça além do que pode. Vai se machucar e se frustrar, o que pode, inclusive, fazer com que desista. E desistir, sim, é o final da estrada.

Expectativas – Quanto maiores são as expectativas, maiores serão as frustrações. Isto acontece porque a partir do momento que considerar-se um Super-Homem, qualquer coisa que faça errado, por menor que seja, fará com que se sinta mal. Irá cobrar-se. Irá exigir de você algo sobre-humano. Oh, minha gente, você é humano. Exigir algo sobre-humano é irreal.

Controle – Permita-se organizar seu dia-a-dia limitando-se às atividades que estão sobre seu controle. Exigir que o vizinho seja educado com você, que seu chefe seja profissional o tempo todo, que seu filho tire nota 10 em todas as provas, que sua mãe viva para sempre e que você consiga atravessar o trânsito do centro de São Paulo em 10 minutos no horário de pico é o mesmo que nada. Digo isto porque situações como esta não estão sobre seu controle, acontecem e têm resultados que fogem da sua vontade. É necessário admitir que não consegue controlar o mundo e que precisa focar-se em como reagir mediante aos fatos que o mundo lhe entrega. Isto sim é inteligente e eficiente.

Preparo – Já que temos a condição de seres errantes e em processo de construção, é muito interessante e sadio que nos preparemos para situações que o mundo possa nos entregar. Se hoje sou apenas um estagiário mas quer ser um grande líder da organização, comece a conviver com pessoas que possam lhe agregar informações úteis, leia mais sobre o assunto, tenha atitudes que lhe direcionem para este objetivo. Se pensa em ter filhos um dia, observe com mais afinco famílias próximas que têm crianças. Perceba o que é positivo e negativo neste tipo de relação. Se tens medo de perder alguém querido, ame-o o tempo todo que puder, assim, se algo ocorrer, apesar da dor, saberá que ofertou o melhor de si.

Preparar-se é minimizar, ou quem sabe, sanar o erro. E isto é formidável.

É, super-heróis, não somos. Paciência. Mas podemos ser super-humanos se buscarmos sermos melhores, todos os dias.

Haroldo Wittitz: Author, Editor and Publisher

Find out if you are Superman
There are many people trying to fly and have X-ray vision and frustrating, immensely, because he could not.
No, you’re not Superman. Despite obvious and simple, we here in one of the great dilemmas of human construction.
Ever find yourself trying to do several things at once and in the end, not realizing any of them? It has been blamed for thinking that does not have enough time to perform work activities, go to the gym, study, raise children and be an exemplary husband or wife? Or for failing to alleviate the problem of someone who really likes? I am already upset because he could not make enough overtime to buy that car of your dreams because your body could not stand the fatigue?
There are many people trying to fly and have X-ray vision and frustrating, immensely, because he could not. And at this point, find, fortunately, we are not superheroes, and we can not know, do not and can not understand. And admit it should not be synonymous with ostracism and signaling a minor condition. It is actually the first step to understand that we are constantly learning and to admit weakness is not unworthiness, is the signal booster in the quest to become someone better.
Think of our conditions, although human, can and should be directed to the positive:
Limitations – There are limitations. Physical, emotional, intellectual, social, political. There are people who merely dream. There are people who have limited opportunities. By this, I raise two major fronts:
1 – The limitation should not be the end of the road. The limitation shall not exceed the time to plot steps towards achieving the desired. It is the moment of realization of the limitation that we should allow ourselves to ask for help and seek, with calm, knowledge and situations that lead us to where we want. Having trouble being a father? Exchange ideas with friends or find a specialist. You can not manage the pain of losing a loved one? Call for help, is not shameful. Can not deliver the expected result by your boss? Talk to him and ask again, how to do this activity, ask him to accompany him the next time, search the internet about it.
2 – Respect yourself. Going beyond the limitations of prior to step 1 is the same as aggression. Do not do than can. Will get hurt and frustrated, which may even make you quit. And give up, yeah, it’s the end of the road.
Expectations – The greater the expectations, the greater the frustration. This is because from the moment you consider yourself a Superman, whatever you do wrong, no matter how small, will make you feel bad. Will charge up. Will you require something superhuman. Oh, my people, you’re human. Require something superhuman is unreal.
Control – Allow yourself to organize your day-to-day activities limited to those who are under his control. Require that the neighbor is polite to you, that your boss is professional all the time, take your child to note 10 in all competitions, his mother live forever and you can transit through the center of Sao Paulo in 10 minutes at peak times is the same as nothing. I say this because situations like this are not under your control, do happen and have results that are beyond his control. It must be admitted that he can not control the world and needs to focus on how to react to the facts upon which the world gives him. Now that’s smart and efficient.
Preparation – Since we have the condition of being erratic and construction process, is very interesting and healthy that we prepare for situations that the world can deliver us. If today I am only an intern but wants to be a great leader of the organization, start socializing with people that you can add useful information, read more about it, you have to target attitudes toward this goal. If you plan to have children one day, look harder next families who have children. Note the positive and negative in this type of relationship. If you’re afraid of losing a loved one, love it all the time you can, so if something happens, despite the pain, you know that offered the best.
Preparing is to minimize, or perhaps remedy the error. And that’s great.
Yes, superheroes are not. Patience. But we can be superhuman if we seek to be better every day.

Posted in Comportamento | Leave a Comment »