PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    março 2012
    D S T Q Q S S
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031

Archive for 30 de março de 2012

Empreendedorismo interno

Posted by HWBlog em 30/03/2012

Há, algum tempo, soaria estranho pensar que uma empresa incentivaria internamente o empreendedorismo porque isso poderia significar uma perda de talentos para o mercado. Mas, a realidade atual mostra outro cenário. Muitas empresas aderiram a prática de incentivar que seus colaboradores transformem sonhos em estratégia de mercado.

E isso não significa abrir mão dos melhores talentos. As empresas têm oferecido a oportunidade de empreender dentro da própria casa por meio de programas formais. Um exemplo dessa prática de gestão acontece na Ci&T, uma empresa brasileira de tecnologia da informação com escritórios internacionais, que está na lista das 100 melhores empresas para trabalhar.

O modelo da Ci&T funciona de uma forma já conhecida em algumas organizações, principalmente no mercado externo. Na fase exploratória, o funcionário recebe orientação de quem entende do projeto, mas trabalha na validação da ideia durante seu tempo livre. Quando a ideia amadurece um pouco, o desenvolvimento acontece dentro da empresa e o funcionário fica 100% focado na startup. O diferencial é já nascer com um sócio e a divisão ser de 50% para cada. A vantagem é ter infraestrutura disponível, orientação e apoio técnico. A tendência é que essa prática vire referência no mercado.

Outro exemplo interessante é a cafeteria Santo Grão. A estratégia do proprietário é não contratar garçons e sim pessoas interessadas em aprender tudo sobre o negócio e que possam futuramente abrir novas unidades em parceria com o sócio-fundador. Aqui também no modelo de 50% para cada um.

Mesmo que a ideia não seja exatamente um novo negócio, a autonomia de uma área também pode ser considerada um exemplo de prática do empreendedorismo interno. Um case desse tipo é o da Volvo, onde existem cerca de 100 equipes auto gerenciáveis, formadas por grupos de 12 a 16 pessoas, com um representante que se reporta a um coordenador-geral. Cada equipe tem liberdade para gerenciar o próprio trabalho, organizar as atividades e sugerir melhorias necessárias. Esse tipo de prática agiliza os processos, além de estimular a criatividade e a proatividade. Quer um exercício mais empreendedor que esse?

Podemos ver outro bom incentivo na Caterpillar. Lá cada funcionário tem como meta oferecer cinco sugestões no ano, que podem ser para melhorias simples até para reduções de custos consideráveis.

Para que essas sugestões tenham o formato ideal, no início do ano é realizado um encontro de orientação, onde todos têm acesso à estratégia da empresa e podem tirar todas as suas dúvidas.

No incentivo ao empreendedorismo todos ganham. É bom para o negócio como estratégia de crescimento e é bom para o funcionário como amadurecimento profissional.

E na sua equipe, como vai o empreendedorismo?

Haroldo Wittitz: Author, Editor and Publisher

Internal Entrepreneurship

There, some time, it would sound strange to think that a company would encourage internal entrepreneurship because it could mean a loss of talent to the market. But the current reality shows another picture. Many companies have joined the practice of encouraging its employees to turn dreams into marketing strategy.
And that does not mean giving up the best talent. The companies have offered the opportunity to undertake within their own home through formal programs. An example of this practice management happens at Ci & T, a Brazilian information technology with international offices, which is in the list of 100 best companies to work.
The model of Ci & T operates in a known manner in some organizations, especially in foreign markets. In the exploratory phase, the employee receives direction from those who understand the project, but working on validating the idea during his free time. When the idea matures a little development occurs within the company and the employee is 100% focused on startup. The differential is now born with a partner and the division is 50% for each. The advantage is to have available infrastructure, guidance and technical support. The trend is that this practice benchmark in turn.
Another interesting example is the Holy Grain cafeteria. The strategy of the owner is not hiring waiters, but people interested in learning about the business and that may eventually open new units in partnership with the founding partner. Here also the model 50% each.
Even if the idea is not exactly a new business, the autonomy of an area can also be considered an example of the practice of internal entrepreneurship. One such is the case of Volvo, where there are about 100 self-managed teams, formed by groups of 12 to 16 people, with a representative who reports to a general coordinator. Each team is free to manage their own work, organizing activities and suggest improvements. This type of practice streamlines processes, and stimulate creativity and proactivity. Want a more entrepreneur who this year?
We can see another good incentive for Caterpillar. There every employee’s goal is to offer suggestions in five years, for improvements that can be simple even for considerable savings.
For these suggestions have the right format, at the beginning of the year is held a orientation meeting, where everyone has access to the company’s strategy and can take all your questions.
Encourage entrepreneurship in all win. It’s good for business as a growth strategy and is good for the employee as a professional maturity.
And on your team, how is entrepreneurship?

Posted in Empreendedorismo | Leave a Comment »

2012: o ano dos investimentos e das experiências

Posted by HWBlog em 30/03/2012

O ano de 2012 promete. Embora seja difícil fazer qualquer tipo de previsão, as expectativas apontam para um ano excelente do ponto de vista do marketing. Este mercado tem crescido muito nos últimos anos, mas ainda é possível visualizar uma demanda reprimida, que poderá começar a ser suprida este ano.

Os olhos do mundo estão voltados para o Brasil. O aquecimento da nossa economia e a crise que se instala em países da Europa confirmam esta perspectiva. Cada vez mais, o Brasil tem sido visto como a aposta mais acertada para os investidores internacionais. Os jogos olímpicos e a Copa do Mundo, que se aproximam, aumentam as oportunidades. Hoje, já somos uma das maiores potências em relação ao uso da Internet, em casa ou em smartphones. Mas como estes fatores podem contribuir para o marketing e o varejo no País?

O comportamento do consumidor muda depressa. Em um ano, vemos mudanças que não aconteceram em décadas. Com a revolução tecnológica, é difícil prever quais serão as próximas adaptações no comportamento das pessoas, mas uma coisa é certa: estaremos cada vez mais multiconectados, multitarefas e carentes. Esta carência, originada pela grave falta de tempo, levará as pessoas a buscarem cada vez mais experiências positivas, em todos os momentos de suas vidas. E isso inclui o momento das compras também.

Enquanto a Internet se consolida como um ponto de venda relevante, conquistando mais e mais consumidores, o desafio do varejo, tanto físico quanto virtual, será o de proporcionar experiências mais marcantes ao consumidor. O objetivo é gerar um momento agradável, inspirador, estimulante e que cative o consumidor, para fidelizá-lo.

Nas lojas físicas, essa realidade tem se mostrado mais necessária. Ao comprar um livro pela Internet, o consumidor tem a comodidade e a praticidade de não precisar sair de casa. Porém, na loja, uma ambientação inspiradora, que torne o ato de comprar agradável e o estimule a pensar em novas possibilidades no próprio estabelecimento, constrói excelentes relacionamentos. A lição de casa para os dois tipos de varejo é o famoso “unir o útil ao agradável”: à Internet, falta agregar experiência, enquanto às lojas físicas, falta potencializar serviços que convençam o consumidor a ir até lá.

As taxas de crescimento brasileiras, aliadas a este novo comportamento do consumidor, favorecem os investimentos estrangeiros. Mas as oportunidades também devem ser avaliadas pelas empresas nacionais, afinal, não se sabe qual será o rumo da crise no exterior. Com maior consciência sobre a necessidade dos investimentos em marketing, branding e pontos de venda, as empresas brasileiras tendem a oferecer as experiências tão almejadas pelo consumidor.

Os grandes grupos brasileiros vêm dando o exemplo ao investir cada vez mais em suas marcas, forçando todo o mercado a reavaliar seus investimentos. Em termos de internacionalização, o destaque para as marcas brasileiras pode acontecer de forma mais natural, auxiliado pelo fato de o Brasil estar “na moda”.

As Olimpíadas em Londres poderão dar um gostinho do que representará ao Brasil sediar grandes eventos do esporte, além de fazer aflorar no Brasil o entusiasmo pelo momento. Estamos caminhando para o clímax, e as marcas, tanto do varejo quanto da indústria, precisam estar atentas a este movimento, buscando formas para se posicionar com relação aos eventos. Está aí uma excelente oportunidade para gerar experiências relevantes ao consumidor.

O Brasil começa a experimentar os resultados de uma cultura de desenvolvimento, deixando para trás o perfil de “colônia de exploração”. Nossa única opção, neste momento, é aproveitar o período positivo para crescer e profissionalizar os setores mais importantes da economia, cenário que abre grandes oportunidades para o marketing. A incerteza do mercado internacional pode ser utilizada em favor dos investimentos no Brasil.

Haroldo Wittitz: Author, Editor and Publisher

2012: the year of investment and experience
The year 2012 promises. Although it is difficult to make any prediction, expectations point to an excellent year in terms of marketing. This market has grown tremendously in recent years, but you can still see a pent-up demand, which can begin to be filled this year.
The eyes of the world are facing Brazil. The warming of our economy and the crisis that installs in European countries confirm this view. Increasingly, Brazil has been seen as the most accurate bet for international investors. The Olympic Games and World Cup approaching, the opportunities increase. Today, we are already one of the major powers in relation to Internet use at home or on smartphones. But as these factors may contribute to the marketing and retail in the country?
Consumer behavior changes quickly. In one year, we see changes that have not happened in decades. With the technological revolution, it is difficult to predict what the next changes in people’s behavior, but one thing is certain: we are increasingly multiconectados, multitasking and needy. This shortage, caused by the severe lack of time, will lead people to seek more positive experiences in every moment of their lives. And that includes the time of purchase as well.
While the Internet itself as an important selling point, gaining more and more consumers, the challenge of retail, both physical and virtual, will be to provide the most remarkable experiences to consumers. The goal is to generate a pleasant, inspiring, stimulating, and that captivates the consumer for loyalty through it.
In stores, this reality has been more necessary. When buying a book over the Internet, the consumer has the comfort and convenience of not having to leave home. However, at the store, an inspiring atmosphere, which makes the act of shopping enjoyable and stimulate thinking about new possibilities in the establishment, building excellent relationships. The homework for the two types of retail is the famous “unite business with pleasure”: the Internet, add missing experience, while the physical stores, shortness leverage services that convince consumers to go there.
Growth rates in Brazil, coupled with this new consumer behavior, promote foreign investment. But opportunities should also be evaluated by domestic companies, after all, no one knows what will be the course of the crisis abroad. With increased awareness about the need for investments in marketing, branding and point of sale, Brazilian companies tend to offer experiences so desired by the consumer.
The great Brazilian groups are setting an example to increasingly invest in their brands, forcing the whole market to reassess their investments. In terms of internationalization, especially the Brazilian brands can happen more naturally, aided by the fact that Brazil is “fashionable.”
The Olympics in London will give a taste of what Brazil will represent the host major sports events, and bring out the enthusiasm in Brazil at the moment. We are heading towards a climax, and the marks of both the retail and industry need to be alert to this movement, looking for ways to position themselves in relation to events. There is an excellent opportunity to develop experience relevant to the consumer.
Brazil began to experience the results of a culture of development, leaving behind the profile of “colonial exploitation”. Our only option at this point is to harness the positive period to grow and professionalize the most important sectors of the economy, a scenario which opens up great opportunities for marketing. The uncertainty

Posted in Internet | Leave a Comment »

Facebook dá dicas para você bombar sua timeline

Posted by HWBlog em 30/03/2012

A dois dias da transição das páginas corporativas do Facebook para o modelo com timeline (linha do tempo), a rede social resolveu dar uma mãozinha àqueles que têm dúvidas sobre como usar plenamente as novas funcionalidades.

No Brasil, o Facebook já registra grande percentual de marcas que utilizam as novas páginas com sucesso, entre elas a loja online de moda  e acessórios Dafiti, o restaurante Zena Caffè e a Skol. No mundo, destacam-se marcas como Lexus, de automóveis, e Red Bull, em energéticos.

Confira as dicas:

Escolha uma foto atraente para a capa:  o novo foto da capa capta a cultura e essência de uma marca e ainda pode mostrar os produtos – é o primeiro elemento que as pessoas veem quando visitam a página da marca. A Dafiti utiliza o espaço para divulgar suas novas coleções e, com isso, já registra mais de 800 mil fãs em sua página. As marcas podem mudar a foto sempre que quiserem e podem usar imagens criativas e estimulantes para motivar a audiência.

Utilize uma foto nítida para o perfil: este é o melhor lugar para usar uma imagem que identifique visualmente a empresa. Como a imagem do perfil representa a página da marca em outras partes do Facebook – em miniatura como anúncios ou no feed de notícias – uma imagem de alta qualidade (como o logotipo) que as pessoas associam à marca pode ser uma boa escolha.

Incorpore marcos à linha do tempo: as empresas agora podem se beneficiar de fotos maiores, videos e links para engajar visualmente os fãs. Para garantir que os internautas visualizarão as melhores publicações, posts podem ser marcados na linha do tempo, assim poderão ser vistos mesmo depois que saírem do feed de notícias. As marcações também podem ser utilizadas para definir os momentos principais na história da companhia, e permitem que os fãs conheçam e interajam com as histórias registradas no passado.

Marque um post por semana: as empresas podem posicionar as histórias mais importantes no topo da página por até sete dias. Assim, os fãs não perdem o melhor conteúdo.

Organize conteúdo e aplicativos:  as fotos de uma marca e os aplicativos personalizados vão aparecer no topo da página e podem ser reordenados a qualquer momento. As marcas também podem criar miniaturas personalizadas para destacar o que for mais relevante – como eventos ou aplicativos para produtos específicos ou promoções.

Gerencie a página: administradores podem agora gerenciar facilmente suas páginas por meio do painel de administração, que permite edição de conteúdo, mapeamento de atividade, respostas aos comentários e também a visualização das informações sobre a página.

Facebook: Author

Haroldo Wittiz: Editor and Publisher

Facebook gives tips to get you pumping your timeline
The two days of the transition from corporate Facebook pages for the model with timeline (timeline), the social network decided to lend a hand to those who have doubts about how fully use the new features.
In Brazil, Facebook already has a large percentage of brands that use the new pages successfully, including the online store fashion and accessories Dafiti, the restaurant Caffè Zena and Skol. In the world, stand out brands like Lexus, Car, and Red Bull in energy.
Check out the tips:
Choose an attractive picture for the cover: the new cover photo captures the essence of culture and brand and also can show the products – the first element is that people see when they visit our brand. The Dafiti uses the space to promote their new collections and, therefore, already has more than 800,000 fans on your page. Brands can change the photo whenever they want and can use creative and exciting images to motivate the audience.
Use a sharp picture for the profile: this is the best place to use an image that visually identifies the company. As the profile picture represents our brand in other parts of Facebook – in miniature as advertisements or news feed – a high quality image (the logo) that people associate the brand can be a good choice.
Enter the timeline milestones: companies can now benefit from more photos, videos and links to visually engage the fans. To ensure that Internet users will see the best publications, posts can be marked on the timeline, and can be seen even after leaving the news feed. The markings can also be used to define key moments in the history of the company, and let the fans know and interact with the stories recorded in the past.
Select one post per week: companies can position the most important stories at the top of the page for up to seven days. So fans do not lose the best content.
Organize content and applications: the photo of a brand and custom applications will appear at the top of the page and can be reordered at any time. Brands can also create custom thumbnails to highlight what is most important – as events or applications to specific products or promotions.
Manage page: Administrators can now easily manage your pages through the admin panel, which allows content editing, mapping activity

Posted in Internet | Leave a Comment »