PrimeWork (Ano VII)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Tópicos recentes

  • Agenda

    fevereiro 2012
    D S T Q Q S S
    « jan   mar »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    26272829  

Workaholic: quando o trabalho deixa de ser um prazer e se torna uma compulsão

Posted by HWBlog em 03/02/2012

Segundo o Aurélio, o workaholic é o indivíduo que trabalha compulsivamente, relegando outras atividades. A definição condiz com a dada por especialistas aos viciados em trabalho. Compulsão parece ser, de fato, a palavra-chave para esse problema que atinge aqueles que colocam a atividade profissional à frente de tudo.

São pessoas que esquecem das outras esferas que compõem a realidade, como a vida social, o lazer e, até mesmo, o ócio. Elas normalmente apresentam dificuldade em imaginar suas vidas sem o trabalho e se caracterizam por uma dedicação extremada a suas atividades profissionais.

Essa dedicação, quase exclusiva, pode fazer com que um importante elemento fique de lado: a saúde.

Consequências negativas dessa obsessão são destacadas:

O vício faz com que a pessoa não se cuide, mas cada indivíduo vai responder de uma forma a isso. Alguns deixam de se alimentar, resultando até em um quadro de desnutrição. Outros, alimentam-se apenas de guloseimas, ganhando peso. Outra situação comum é a pessoa não conseguir dedicar um tempo nem para ir ao banheiro, tendo como resultado, por exemplo, doença do trato urinário e pedras nos rins. Dores musculares e problemas arteriais também são recorrentes, já que essa pessoa fica o tempo todo na mesma posição e costuma ser sedentária.

Por isso, é importante saber quando a carga de trabalho ultrapassa a linha da normalidade. Alguns sinais são dados e não podem ser ignorados:

As demonstrações podem ser variadas, mas quando o estresse já está mais agudo, a pessoa pode começar com dores de cabeça, insônia, problemas de memória e dispersão, problemas que, com certeza, levam à baixa produtividade.

A pergunta que fica no ar é: uma carga exaustiva de trabalho pode tornar a pessoa menos produtiva? Parece irônico, mas a resposta é que sim.

O cérebro precisa descansar para se recuperar. Ao exigir muito da capacidade cerebral em cima sempre da mesma função, no caso o trabalho, será produzida uma fadiga mental. A pessoa tenta fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas não consegue concentrar-se em nenhuma delas. Assim, se torna um indivíduo improdutivo.

O porquê de alguém se tornar workaholic não pode ser creditado a apenas uma razão. Porém, considera-se algumas possibilidades:

Para alguns, o foco no trabalho é uma fuga para não encarar a falta de amigos e de envolvimentos afetivos. Mas nem sempre é assim. Muitos possuem uma vida social e afetiva, mas tendem a se tornar workaholic quando mudam de emprego ou quando se sentem realizados somente com conquistas, que são mais fáceis de alcançar no âmbito profissional.

As pessoas que cercam esse indivíduo têm um papel importante na identificação desse problema. O alerta deles pode ser uma forma de o doente conseguir reconhecer sua fragilidade e algumas características são comuns entre os ‘‘viciados’‘.

Por sua característica de dependência emocional, a pessoa, na maioria das vezes, torna-se extremamente irritável, mais rude, arrogante, o que não são boas características de um líder ou de um amigo.

O essencial a ser entendido é que o vício em trabalho tem características comuns a qualquer outra adicção:

A pessoa passa a ter uma relação de dependência emocional com seu sucesso e perfeccionismo, a ponto de se isolar de suas relações sociais, afetivas e familiares, tendo o trabalho como um meio de preencher uma sensação de vazio e angústia. Para não enfrentar outros medos, mais primitivos e incompreensíveis, o excesso de trabalho a protege, assim como um esconderijo. No entanto, isso tem um enorme custo, inclusive físico, podendo ser o primeiro indício de um processo depressivo ou fóbico.

Saber como buscar ajuda para sair dessa situação é crucial.

Há três meios essenciais para esse profissional voltar a ter uma relação saudável com o seu trabalho.

São eles: procurar um médico, normalmente um clínico; um psicólogo; e, também, buscar ajuda no seu meio social, como amigos e família.

O essencial – e que precisa ser entendido – é que a relação com o trabalho pode e deve ser boa. O workaholic é um obsessivo, mas existe o worklover, que é um apaixonado por sua atividade profissional, que consegue conciliar o trabalho com o seu lazer e com as pessoas que ama.

Esse é o caminho do equilíbrio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: