PrimeWork (Ano IX)

Liderança, Atitude, Desafios, Ações e Conquistas para o Empreendedor Moderno

  • About

    O Mundo todo celebra uma grande capacidade humana de empreender.

    Do mesmo modo que é vibrante, a estrada do empreendedor é repleta de obstáculos. Quer para abrir ou fazer crescer um negócio próprio, quer para avançar propositivamente dentro de uma corporação.

    Nesse sentido este blog busca preencher com informações, entrevistas e cases de sucesso pessoal e corporativo as muitas lacunas que se abrem quando surge o tema da iniciativa pessoal dos negócios.

    Esperamos que este blog, possa de alguma forma contribuir para o crescimento dos empreendedores.

    Haroldo Wittitz, Editor and Publisher

    The whole world celebrates a great human capacity to undertake.

    Similarly that is vibrant, the way to entrepreneurship is fraught with obstacles. Want to open or grow a business, want to move forward with proposals within a corporation.

    In this sense seeks to fill this blog with information, interviews and success stories of the many personal and corporate loopholes that open when the subject arises from the personal initiative of business.

    We hope this blog, can somehow contribute to the growth of entrepreneurs.

  • Enter your email address to follow this blog and receive notifications of new posts by email.

  • Posts recentes

  • Agenda

    setembro 2011
    D S T Q Q S S
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930  

A boa rede profissional

Posted by HWBlog em 27/09/2011

Quando ouve falar em fazer networking, você pensa no comportamento interesseiro de quem vê os conhecidos como meras fontes de favores? Ou imagina que isso é coisa de quem coleciona compulsivamente cartões de visita e quer catalogar o maior número possível de pessoas? As duas opções podem estar erradas. Cultivar os relacionamentos do jeito certo exclui a atuação calculista, o vício em trabalho e a obsessão em conhecer gente demais, revela uma pesquisa recente. Prepare-se para reavaliar sua rede de amizades profissionais.

Se vale ou não a pena esquentar a cabeça com a rede de contatos profissionais, e como fazer isso, virou uma arena de palpites nos últimos anos. Não faria mal à saúde mental pensar em trabalho fora do expediente? Seria bom conhecer mais pessoas ou só gente importante? O fato de alguém ser simpático me dá o direito de pedir favor? Dois pesquisadores americanos resolveram abordar o assunto com método científico. O professor de negócios Rob Cross, da Universidade da Virgínia, e o pesquisador Robert Thomas, da Accenture, enviaram questionários a mais de 2 mil profissionais em cerca de 300 companhias e concentraram-se nos hábitos sociais dos 20% mais bem-sucedidos. A grande vantagem do estudo é ter definido como “bem-sucedido” quem apresenta bom desempenho na carreira e também relata estar de bem com a vida. Aqueles que subiram na carreira como foguetes mas sacrificam a saúde e a vida extra trabalho foram considerados, na pesquisa, malsucedidos. No final, os pesquisadores se concentraram em 150 profissionais bem-sucedidos no sentido amplo, a fim de aprender como eles cuidam da rede de contatos.

Eles concluíram que os bem-sucedidos não têm redes muito maiores que a média nem especialmente recheadas de nomes poderosos. Em comum, esses profissionais cultivam relacionamentos reais. Em vez de perseguirem os poderosos atrás de cartões de visita, tentam aproveitar as relações que já existem e torná-las mutuamente benéficas.

As redes dos bem-sucedidos são diversificadas. Incluem gente de outros setores de atuação, de formações e idades variadas e níveis hierárquicos distintos. Elas também misturam contatos do tipo mais amigável, que oferece apoio, aconselhamento e influên­cia, e do tipo mais questionador, que critica, mostra desafios, novas ideias e pontos de vista diferentes. Note que um contato amigável pode ser um ex-chefe, e um contato questionador pode ser um grande amigo, o marido ou a mulher. Redes concentradas demais em gente influente ou grandes demais não chegaram a bons resultados. Os bem-sucedidos também têm gente de perfis diversificados no núcleo da rede, um grupo de 12 a 18 pessoas em média, com quem o profissional tem interação frequente e em quem deposita mais confiança. “Chegamos a conceitos abrangentes, que funcionam em várias culturas e diversos setores da economia”, afirma Rob Cross, da Universidade da Virgínia.

Uma rede bem cultivada não é coisa de bitolados no trabalho por motivos bem simples: ela se apoia em relacionamentos reais e torna seus participantes mais inteligentes. “Os relacionamentos autênticos formam um capital social precioso, que permite troca de informações, oportunidades e apoio”, diz o consultor José Augusto Minarelli, autor de livros sobre o tema. Para colocar em prática esses ensinamentos, você não deve pensar no nível hierárquico das pessoas. Você deve prestigiar todos, do porteiro ao presidente. No princípio você verá que agir assim, é sinal de educação, depois vai perceber que é bom para a vida profissional. É importante você ter um método. Não deve abandonar contatos quando muda de emprego. Deve organizar encontros pessoais regularmente com as pessoas com quem tem mais afinidade. Deve transitar por círculos diversos e se dispor a ajudar quem pede. Os relacionamentos bem cultivados o ajudarão a receber uma série de oportunidades. Você pode até não usar a palavra networking, mas sua vida fica melhor se aplicar esse conceito direito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: